A rosa e a adaga - Renée Ahdieh

Esta resenha contém spoiler do primeiro livro da série. Mas pode ler depois da 2ª foto.
A fúria e a aurora


Gosto é de livro assim, que com 2 já resolve logo tudo e não deixa a gente sofrendo na espera (mentira, se eu curto a série, quanto mais livros a autora escrever, melhor! Já já falo mais sobre isso. hahaha). Terminou a história de Sherazade e Khalid, e eu tô aqui querendo um tiquinho mais.

No fim do primeiro livro, acontece uma tempestade devastadora em Rey, e é nesse momento que o casal se separa. Sherazade voltou para "casa", e é no acampamento no deserto, junto com sua irmã e Tariq, que ela tenta aprender a controlar seu dom e cuidar da saúde do pai. A família é sua prioridade, mas ela não esquece o seu grande amor e sofre com a saudade, especialmente quando ouve os planos de destituir o califa do trono por acreditarem que ele é um insensível assassino de esposas. Com muita determinação, ela move céus e terra para descobrir uma forma de quebrar a maldição de Khalid.

Algumas coisas não precisam ser ditas. Não precisou me dizer que está apaixonada por Khalid Ibn al-Rashid. E eu não precisei lhe dizer que adormeci chorando por semanas depois que partiu. O amor fala por si só.

Ele também sente falta daquela que fez seu coração bater mais forte e revelar o menino por trás do mostro, especialmente nos momentos em que a maldição o atormenta. E todo esse sofrimento é em prol do seu povo, para protegê-lo. Em meio à reconstrução do reino, há uma esperança, uma luz para quebrar a maldição terrível e viver em paz, mas há muitos riscos, o preço pode ser caro demais.

Sherazade sabia que era Khalid. Ela sentiu mais do que viu. Como sempre. Como nunca. Como uma rosa sente o sol.

É nessa luta contra as forças da magia negra que os dois irão enfrentar diversos obstáculos, descobrir seus próprios limites e saber até onde são capazes de ir por amor. Numa releitura maravilhosa de As mil e uma noites, vemos o amor improvável e mágico de dois jovens que encontraram forças um no outro para salvarem a si e ao seu reino.


Acabou e eu tô como? </3 Se o primeiro já tinha me conquistado, esse só veio pra confirmar. Na resenha de A fúria e a aurora falei bastante sobre o casal, então agora dá pra falar mais dos outros personagens. No desfecho, conhecemos mais profundamente alguns deles, em especial Tariq, (ex-namorado), Irsa (irmã) e Jahandar (pai). Eles me causaram sentimentos contraditórios, mas no fim consegui entender melhor até as motivações de cada um.

Ok, Khalid me convenceu. Lembro que no primeiro fiquei com aquele pé atrás porque não sabia quase nada sobre Tariq. Mas mesmo assim acho que ele foi injustiçado pela maneira como a história foi contada. Sim, defendo os primeiros amores. rsrsrsrs

Sherazade soltou o ar rapidamente, apenas para respirar fundo. Inspirar o perfume dele. O aroma de sândalo e sol. Os dedos dela afagavam-lhe a pele, criando suas próprias memórias. As mãos de um mestre espadachim. Os lábios de seu grande amor. O coração de um rei.

Que dor pela morte de um personagem! Poucas mortes literárias me marcaram tanto quanto essa, tive vontade de esganar a Renée por matar aquela pessoa. E o epílogo... que coisa mais fofinha! Eu quase perdoei a autora depois dele. Quase! rsrsrs

Algumas reviravoltas acontecem, a gente tem pequenos ataques do coração ao ver segredos sendo revelados e altas surpresas, o que foi bem legal pra não cair na mesmice. A autora conseguiu explorar de forma bastante criativa a cultura árabe.

Tá quase um puxa-saquismo falar em toda resenha do trabalho da Globo Alt, mas não tem como não destacar o cuidado deles com a edição e divulgação. Essa almofada mara da próxima foto veio junto com o livro, e eu fiquei morrendo de vontade de ter a primeira também, pra fazer o par.

A verdadeira força não é a soberania. É reconhecer quando precisa de ajuda e ter a coragem de aceitá-la.

E antes de acabar, meu surto básico porque esse mês vai sair Contos de A fúria e a aurora! Serão três contos, contando a primeira impressão de Khalid ao conhecer Shazi, seus sentimentos no período em que viveu sem ela e com o palácio destruído, e o relacionamento de Despina e Jalal, o que é ótimo já que o foco do primeiro livro está em Sherazade. Já posso querer pra ontem?

Leiam! Não façam como eu, que intercalei outro livro com referências árabes e fiquei perdida. De preferência, tenha os dois em mão e pegue um atrás do outro pra não perder nenhum detalhe e ficar com o coração em paz logo. Venha pras mil e uma noites com Sherazade e Khalid!


A rosa e a adaga (A fúria e a aurora #2) - Renée Ahdieh
Globo Alt
366 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

6 comentários

  1. Olá!!
    Confesso que pulei um pouco a sua resenha para não pegar spoiler mas eu já sei que um personagem querido morre :(
    Quero conhecer os livros !! Vou conferir a primeira resenha!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Giulia!
    Bom ver que a continuação é ainda melhor que o primeiro livro e que Sherazade consegue seus intentos, além de podermos conhecer um pouco mais sobre sua irmã.
    Quero muito ler a série.
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Vi tanta coisa legal desses livros que a ansiedade tá lá encima pra ler. Pelo que entendi da história essa é pra ler e ficar no coração do leitor mesmo. O primeiro livro foi muito bem falado e espero que esse segundo esteja bom assim mesmo. Já estou com os dois aqui e só esperando a hora de começar. Pulando uns spoilers, mas nossa, essa história tem uma referência tão legal e a trama em si parece tão rica e viciante né? A cultura árabe, os personagens e todos esses sentimentos e complicações deles...tudo parece muito bom de ler.
    Já fico com medo de ver que a autora matou alguém que impacta assim. Ahh odeio isso! Mas adoro também. Vai entender... Às vezes dá uma vontade de esganar o autor mesmo né! xD
    Mas a gente ama isso.
    Parece ter boas reviravoltas e surpresas, então já é melhor preparar o coração pro fim dessa história. E quero ler os contos também! Tomara que sejam bons *-*

    ResponderExcluir
  4. Li o primeiro livro e confesso que meu coração quis sair pela boca com aquele final devastador. Estou louca para ler A Rosa e a Adaga, quero muitoo conhecer o final da história desse casal que conquistou cada parte da minha simpatia. Mas, como assim alguém querido morre??! Ah, preciso desse volume e logo.

    ResponderExcluir
  5. Odeio quando o personagem morre pq parece que fica um vazio. Eu achei essa almofada uma gracinha. Gostei do fato de que a autora ressalta a cultura árabe. Eu já li um livro desse tipo e me apaixonei. Apesar de gostar de livro único, quando o livro é bom dá vontade de ler várias continuações mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Li o primeiro e Khalid tbm não me convenceu. Na verdade, eu meio que espero que ali ninguém seja o que aparenta ser, espero muitas reviravoltas, muitos desesperos hahahahahaha
    Enfim, sua resenha só me deixou mais desesperada ♥

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)