A Traidora do Trono - Alwyn Hamilton

Esta resenha NÃO contém spoiler dos outros livros da série.
A Rebelde do Deserto

Cada resenha dessa série vai ser um grande desafio. Dessa vez, além de ser mega difícil falar sobre o contexto, ainda tenho que me controlar pra não soltar spoilers do primeiro livro. Difícil, mas não impossível.

Antes de mais nada, não recomendo fazer que nem eu, dando um intervalo enorme entre os livros. Se eu viesse no embalo, ficaria muito mais fácil, mas a pausa me fez esquecer algumas coisas, especialmente porque li outro livro nessa pegada árabe e me confundi toda. A parte inicial é pra te ajudar a relembrar, e ela cumpre bem o papel. Há um mapa mostrando os lugares do deserto já tomados pelo sultão e uma lista de personagens explicando resumidamente quem é quem na história; o primeiro capítulo todo é um resumo do que aconteceu em A Rebelde do Deserto.

O meu problema foi não conseguir relacionar nomes, lugares e poderes de cara, mas conforme a leitura foi avançando as coisas foram fluindo. Amani começa a se preocupar com a revolução, indo à frente em missões especiais. O que não tá muito bem é o relacionamento com Jin, que sumiu em um momento bastante delicado. Ela é traída, capturada e levada como prisioneira para o covil do sultão. Em meio a reviravoltas e mortes, Amani manipulada, é manipulando, e principalmente lutado pela própria sobrevivência.

Sequei as lágrimas. Me obriguei a lembrar que eu era uma garota do deserto. Não podia desperdiçar água.

Quem gostou do primeiro precisa pegar a continuação logo. A história ganha novos cenários, mas não deixa a ação e a emoção de lado. Vemos um amadurecimento da personagem, mas em alguns momentos ainda percebemos sua ingenuidade, aquela coisa de pessoa abandonada que sabe se virar, mas ainda tem um vazio no coração.

Pra ser sincera, até eu fiquei nessa inconstância, sem saber quem era mocinho e vilão e me deixando convencer por meia dúzia de palavras bonitas. Pensar na rebelião, com tantas vidas sendo perdidas, com tanta incerteza de futuro, fez refletir sobre a responsabilidade de um governante, com um povo em suas mãos que não sabe se suas motivações são genuínas ou puramente egoístas.

O afastamento do casal foi ruim por um lado, o romance acabou ficando em segundo plano. Mas por outro foi bom para enxergarmos de fato o que são individualmente e dar um destaque maior para a rebelião. Só temos a visão de Amani, então não dá pra conhecer a fundo Jin, mas nas suas falas e atitudes podemos perceber quem ele é e suas intenções.

O que mais me encantou na série foi a possibilidade de conhecer um pouco mais da mitologia. A gente tá muito acostumado com a cultura europeia e nórdica, mas é incomum ver alguém explorar as lendas árabes. A autora foi inserindo no próprio enredo as histórias das mil e uma noites, pincelando personagens e contos.

Djinnis não eram humanos feitos de fogo. Nós é que éramos djinnis feitos de poeira e água, com apenas um pouco de sua chama para nos dar vida. Uma centelha tirada do incêndio. Éramos uma versão muito mais sem graça deles.

E o final, putz grila! Nem se tu for aloka dos spoilers que nem eu e ler o final pra voltar vai prestar. Tentei fazer isso, achei que era uma coisa e fiquei besta que na verdade era outra. Ou seja, vai de pouco a pouco pra não estragar a surpresa nem embananar tudo, mas não enrola também.

O grande problema da série? O excesso de personagens e o intervalo entre os volumes. Apesar de ter a história fechada, te deixa ansioso pelo desfecho. E o próximo só no ano que vem! /o\ Vem logo, livro 3! E me traga um novo amanhã, um novo deserto!

A Traidora do Trono (A Rebelde do Deserto #2) - Alwyn Hamilton
Seguinte
440 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

5 comentários

  1. Não conhecia " A rebelde do deserto" mas já vou querer ver a resenha do primeiro livro..
    Espero não me decepcionar , mas parece ser uma história bem intrigante..
    Como assim o próximo só no ano que vem?!
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Giulia!
    Não li ainda nenhum dos livros, mas gosto sempre de aprender sobre a mitologia dos locais onde os livros são ambientados, principalmente dos países árabes, já que não tenho muito acesso.
    Bom feriado!
    “Saber envelhecer é a grande sabedoria da vida.” (Henri Amiel)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, assim como você, quando estou lendo uma série, e dou um intervalo entre os livros, esqueço de alguns fatos importantes para prosseguir a leitura.E sempre acontece! Rsrs

    Não li ainda o primeiro livro. Mas tenho quase que certeza de que vou gostar.Adoro mitologias e uma história com muitas aventuras.

    Espero ler em breve. ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi Giulia,
    Estou querendo ler A rebelde do deserto há tempo e agora que lançou o 2º livro vou me aventurar neste mundo. Enquanto o primeiro livro nos apresenta Amani e o início de sua trajetória, A traidora do trono abrange muito mais da história e, com isso, já estou convencida do quanto a autora criou uma trama bem elaborada e com muito a ser explorado. Fiquei curiosa com algumas coisas, principalmente, sobre o final do livro e minhas expectativas só cresceram com sua resenha.

    ResponderExcluir
  5. Olá Giulia, tudo bem?
    Eu estou doida para ler estes livros. A cada resenha que leio só vejo elogios e isso só aumenta ainda mais a minha curiosidade. Também gosto bastante de conhecer mitologias e culturas diferentes.
    Beijos

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)