O Ceifador - Neal Shusterman


Num mundo onde a nuvem evoluiu para a Nimbo-Cúmulo, que governa com justiça e poder, os ceifadores são o único medo da humanidade. As pessoas não morrem mais por causas naturais, e, caso aconteça, há a possibilidade da revivificação. Só os ceifadores têm poder de tirar a vida de alguém, com o propósito de manter o controle populacional e o fazem de acordo com as próprios escolhas ou combinações estatísticas dos tempos antigos.

Numa lógica invertida dos tempos atuais, os que tiram a vida têm respeito e sua missão como uma honra, mas ainda assim suas atitudes são encaradas com contradição por alguns. É o caso de Rowan. Seu contato com um ceifador não foi lá dos melhores. Pior ainda é quando ele descobre que será aprendiz do Honorável Ceifador Faraday.

Pra piorar, durante seu aprendizado, precisará conviver com Citra, que também está aprendendo a ser uma futura ceifadora. Ela nunca quis a função, mas saber que isso concederia imunidade à sua família foi um dos motivadores pra ela aceitar. O problema é que são dois jovens para uma única vaga, e a Ceifa decidiu que o vencedor deverá coletar o outro assim que for ordenado.

Em meio a aulas teóricas e práticas, Citra e Rowan vão deixando de lado suas aparências frágeis e se transformando em armas letais. Ao mesmo tempo, precisam lutar contra seus princípios e convicções para não se deixar dominar pelo poder. Uma transformação física e psicológica, que envolve músculos, determinação e caráter.


Gostei bastante dessa distopia não apenas pelo enredo que prende e instiga, mas principalmente por todas as críticas que faz e reflexões que causa. Imaginar um futuro sem crimes, doenças e necessidades, possibilidade de ressurreição e rejuvenescimento, extinção da miséria e várias outras coisas não é difícil, o lance mesmo é pensar nas consequências.

Sem medo da morte, as pessoas "brincam" de morrer e transformam ceifadores em celebridades. E estes, fadados a uma missão ingrata, questionam sua integridade e hombridade, num conflito eterno entre dever e compaixão.

A narrativa é ágil e eletrizante, e mesmo que você se sinta perdido no começo vai na fé que depois tudo se esclarece. Na verdade, essa confusão tem gostinho de quero mais, fazendo você passar pelos capítulos curtos sem se dar conta de que já tinha evoluído tanto.

Com narração em terceira pessoa, os capítulos são entremeados com fragmentos do diários de alguns ceifadores. Essa é a única parte que temos acesso mais íntimo e profundo com eles, porque o tipo de narração escolhido não nos permite entender bem os personagens. Mesmo eu amando a história, acho que gostaria ainda mais se fosse contada sob o ponto de vista de Citra e Rowan alternadamente.

O primeiro livro termina bem redondinho, dando aquela sensação de saciedade que o leitor precisa pra aguentar a espera até o próximo. Mas não diminui em nada a ansiedade pra ler a continuação e saber qual será o destino da Ceifa e seus ceifadores. Agora é esperar maio de 2018 - sim, mais de 1 ano - até o próximo. Socorro!


O Ceifador (Arc of a Scythe #1) - Neal Shusterman
Seguinte
448 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

4 comentários

  1. Oi Giulia, tô super interessada nessa história e leio atentamente todas as resenhas que saem dele, o que só tem aumentado o meu interesse. Inicialmente eu não curti essa capa, mas a sinopse e as resenhas me fizeram mudar de ideia e acho que esse vai ser o meu primeiro contato com o autor que é bem elogiado. Você disse que o final é redondinho e confesso me tranquiliza um pouco, pois minha ansiedade não permite que fique na curiosidade até 2018 haha... Já tá na lista dos livros que quero ler, curti demais a resenha :D

    ResponderExcluir
  2. Caraca, que premissa bacana! Achei muito original, bem diferente das várias distopias que vemos por aí. Eu fiquei com vontade de ler, mas fico com dúvida pelo que você falou de ser um pouco confuso no começo. Mas vou colocar aqui na minha listinha.

    ps: a capa é linda.

    ResponderExcluir
  3. Giulia!
    Adoro distopia e ver uma tão bem construída, com uma sociedade perfeita, sem doenças, onde se pode ser resucitado ou rejuvenescido, é maravilhoso, mas também deve ser o maior marasmo e sem objetivos futuros. A ideia de incluir o Ceifador para controlar a população é genial.
    “Compreender que há outros pontos de vista é o início da sabedoria.” (Campbell)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  4. Oi Giulia, tudo bem?
    Nossa, parece que inverteram todas as histórias que tem essa pegada e criaram essa, e quer saber, ficou mega interessante. Só acho que vou esperar ter pelo menos o outro livro. Fico agoniada quando termino a leitura e tenho que ficar esperando pela continuação, mas ainda bem que está prevista para o ano que vem né.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)