A Cabana - William P. Young

Resenha Livro A Cabana

Mackenzie Allen Phillips tinha uma vida bem boa. Vivia com sua esposa e três de seus filhos, tinha orgulho dos outros dois mais velhos que já saíram de casa, gostava de seu emprego e ia aos domingos aos cultos com a família. Mas tudo mudou depois de um fim de semana acampando. A caçula Missy foi raptada e todos os indícios apontavam para um serial killer de crianças.

Desde então, a Grande Tristeza tomou conta de Mack. Ele carregava a culpa consigo, mas também culpava Deus - o mesmo a quem a esposa chamava de Papai - pela morte da filha. Nan se preocupava com o marido e percebia que ele estava cada vez mais afastado. Kate, a filha mais nova, se isolou e ficou totalmente introspectiva. Uma família feliz destruída pela tragédia.

- Mackenzie, você não pode "produzir" confiança, assim como não pode "fazer" humildade. Ela existe ou não. A confiança é fruto de um relacionamento em que você sabe que é amado. Como não sabe que eu o amo, não pode confiar em mim.

Até que Mack recebe um bilhete o chamando para retornar à cabana onde seu maior pesadelo aconteceu. E o mais estranho: assinado por Papai. Será que Deus estava o convidando? Será que era uma brincadeira de mau gosto? Mas como aquele envelope foi parar na caixa de correios se não havia nenhuma pegada na neve? Tomado por uma mistura de sentimentos ruins, Mack se dirige à cabana. E é lá, no local de maior dor, que ele descobre como Deus é e se relaciona com os seus, aprende sobre cura, juízo, perdão e principalmente amor e vê todo o seu ser transformado após um verdadeiro encontro com Deus.

Resenha Livro A Cabana

Eu já tinha lido A Cabana quando adolescente, mas naquela época não era nem de perto tão crítica quanto sou hoje. Só que não foi essa a maior diferença entre as minhas leituras. De lá até agora, passei por muitas outras experiências que me fizeram crescer espiritualmente, aprendi uma nova forma de me relacionar com Deus e pude enxergar o livro de uma forma diferente (torço pra que daqui a uns 5 anos eu releia e tenha uma outra visão, transformada por conta de novas vivências). Resolvi reler por conta do filme e me reapaixonei.

É importante frisar que o livro não pretende substituir a Bíblia nem brigar com ela, pelo contrário, é bem embasado nas Escrituras e apenas se propõe a dar uma interpretação à Trindade e à maneira como Deus se relaciona entre si e com os homens.

- Então qual de vocês é Deus?
- Eu - responderam os três em uníssono.

Ao apresentar o Pai como uma negra, Jesus como aquilo que ele é um árabe e o Espírito Santo como uma asiática, William quebra estereótipos e brinca, numa atitude até um pouco provocadora, com os padrões tão difundidos. Quem nunca imaginou o Pai como um homem velho barbudo e Jesus de cabelão e olho claro? E quase ninguém para pra pensar que o Espírito Santo é uma pessoa, não uma fumacinha ou algo como fantasma, não é mesmo? Esse é o primeiro paradigma que ele vem quebrar, e o faz com muita fundamentação bíblica.

Resenha Livro A Cabana

O maior impacto, porém, é explorar o relacionamento de Deus conosco. Mack representa cada um de nós, que em algum momento foi ferido por circunstâncias que fogem do nosso controle e projeta em Deus a responsabilidade por alguma desgraça. Aquelas perguntas que a gente já fez pelo menos uma vez na vida estão presentes nos diálogos; as dúvidas que a gente tenta entender, mas não consegue; os questionamentos que são figurinha carimbada nas discussões entre ateus e cristãos.

- O mal é uma palavra que usamos para descrever a ausência do bem, assim como usamos a palavra escuridão para descrever a ausência de Luz, ou morte para descrever a ausência de Vida. Tanto o mal quanto a escuridão só podem ser entendidos em relação à Luz e ao Bem. Eles não têm existência real. Eu sou a Luz e eu sou o Bem. Sou Amor, e não há escuridão em mim. A Luz e o Bem existem realmente. Assim, afastar-se de mim irá mergulhar você na escuridão. Declarar independência resultará no mal, porque, separado de mim, você só pode contar consigo mesmo. Isso é morte, porque você se separou de mim, que sou a Vida.

E as respostas... ah, as respostas! São um alento para o nosso coração. Não é uma verdade absoluta, mas é uma forma de encarar a Bíblia - às vezes tão confusa e difícil de interpretar - com uma linguagem simples, direta e repleta de amor. Um único parágrafo ajuda a entender uma questão que já te deixou dias encucado. Uma frase que te faz parar a leitura e refletir por bons minutos.

- Eu nunca o abandonei e nunca deixei você. [...] Mas pense nisto: quando tudo o que consegue ver é sua dor, talvez você perca a visão de mim, não é?

Posso passar linhas e mais linhas tentando explicar o que senti ou o que você vai encontrar, mas não vou conseguir. Você precisa ter essa experiência, folhear as páginas de um livro só seu pra poder marcar, escrever (esse tá liberado rs), colar post-its e ter uma conversa mais pessoal com Deus. O objetivo não é converter ninguém ao cristianismo (até porque o próprio livro brinca com o fato de Jesus não ser cristão), mas abrir os olhos pra um relacionamento maravilhoso que muita gente deixa de aproveitar por ideias erradas, medo, traumas ou outros problemas.

Inicialmente lançado pela Sextante, o livro foi incorporado ao catálogo da Arqueiro e recentemente ganhou uma nova capa para combinar com o filme. Aliás, essa edição, que já pode ser encontrada nas livrarias, contém fotos dos personagens e cenas da trama, além de uma nota do autor contando a trajetória do livro, desde os nãos recebidos no começo até as gravações.

Resenha Livro A Cabana

Antes de encerrar, queria falar sobre o autor. Ele não é um louco que teve uma epifania e resolveu escrever. William é filho de pastor, viveu com os pais em um trabalho missionário durante a infância e se formou em Religião. Ele não levanta bandeira de religião ou denominação, apenas tenta incentivar que as pessoas conheçam Deus e se relacionem com Ele.

- O sistema do mundo é o que é. As instituições, as ideologias e todos os esforços vãos e inúteis da humanidade estão em toda parte e é impossível deixar de interagir com tudo isso. Mas eu posso lhe dar liberdade para superar qualquer sistema de poder em que você se encontre, seja ele religioso, econômico, social ou político. Você terá uma liberdade cada vez maior de estar dentro ou fora de todos os tipos de sistemas e de se mover livremente entre eles. Juntos, você e eu podemos estar dentro do sistema e não fazer parte dele.

Separe um tempo, peça a Deus pra preparar sua mente e coração para aquilo que você precisa assimilar, dispa-se de preconceitos e leia! De verdade, esse livro pode mudar a sua vida.

PS: Essa semana iremos dedicar os posts para A Cabana. Terá crítica do filme, opinião de outros leitores e muito mais. Acompanhe, todo os dias, às 10h. E no final, quem sabe, a gente tem surpresinha. rsrs

Resenha Livro A Cabana

A Cabana - William P. Young
Arqueiro
240 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon


18 comentários

  1. Oi Giulia, sempre leio resenhas maravilhosas dessa história e apesar de ainda não ter lido (lerei), imagino que ele seja realmente muito emocionante e o considero muito interessante por trazer a tona a importância que Deus deve ter em nossas vidas independente de religião, pois acho que Deus é maior que tudo e essa história parece nos apresentar exatamente isso. Um acontecimento, questionamentos que inevitavelmente surgem e um encontro que muda tudo e leva vários ensinamentos ao leitor. Deve ter sido muito bom reler um livro e se "reapaixonar" como você disse. ;)

    ResponderExcluir
  2. Amei sua resenha.... Explendida a forma como o autor quis demonstrar Deus está forma de amar e proteger!

    ResponderExcluir
  3. Giulia!
    Acredito que tudo que pode nos elevar espiritualmente de alguma forma, vale a pena.
    Ver que o livro traz uma visão mais próxima de Deus conosco e traz questionamentos pessoais que devemos analisar, é uma obra prima na minha opinião.
    Não li o livro, nem assisti o filme, mas muito me interessa.
    Desejo um mês repleto de realizações e uma semana de luz e paz!
    “ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  4. Que resenha!!! Impossível não querer ler. Nunca li este livro é ja me apaixonei!! A frase que mais me chamou a atenção​ nesta resenha foi"explorar o relacionamento com Deus", confesso q a carapuça serviu..Rs Muitas vezes me coloco em vários questionamentos,pq isso,pq aquilo, mas não parava para pensa no meu relacionamento com Deus, será que estou "fazendo" certo, se estou dando o verdadeiro Valor a esse Amor? Bom, sei que vou procurar agora o livro pra comprar, para conhecer esta história e me aprofundar mais na palavra através dá bíblia, pois as vezes Deus fala onde menos esperamos e através da sua resenha, Ele falou comigo!!
    Bjs Giulia ��

    ResponderExcluir
  5. Oi, Giulia, tudo bom?
    Eu também compartilho da mesma experiência (li esse livro na adolescência), acho que, na época, se não me engano, estava com 14 anos. Então, claro, não gostei muito, embora eu tenha achado interessante. Acho que eu ainda não conseguia entender todas as metáforas da história, de modo que não aproveitei a leitura da forma como deveria. Diferente de você, ainda não reli depois disso, mas gostei tanto de saber que a sua experiência foi diferente, que senti vontade de reler. Farei em breve e venho contar a minha experiência! :) Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Guilia, tudo bem?
    Uma as coisas mais legais que um leitor pode fazer é isso. Reler histórias depois de um certo tempo. As experiências que vamos adquirindo, bem como carga emocional e espiritual, mudam nosso senso crítico dia após dia. Eu nunca li esse, e confesso que fiquei interessada nele apenas pelo filme.
    Mas ando com tanto livro acumulado que não sei se vai dar tempo de ler.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  7. Realmente este não é um livro para qualquer um.
    Particularmente, eu não sou religiosa. Até me considero ateia em alguns momentos, por isso nunca cogitei ler esse livro, pois para mim é apenas perda de tempo.
    Quem sabe em algum outro momento eu não quebre meus preconceitos e me permita que o livro "transforme a minha vida".

    ResponderExcluir
  8. Oi Giulia,
    A dor da perda de um filho é inexplicável para mim, pois eu não consigo imaginar o nível de tristeza e dor que alguém nessa situação possa sentir. Eu li A cabana há um bom tempo e me lembro que não foi uma leitura fácil, primeiro, pela escrita do autor que achei um pouco difícil no início e, segundo, pela história em si. A forma como William P. Young usou para representar Deus, Jesus e o Espírito Santo foi tão chocante, genial e bem vinda, pois foi a primeira vez que parei para pensar que Deus não precisa ser um homem ou branco ou, ainda, ter uma descrição definida. Apesar da triste trama, é um livro lindo sobre perdão e superação. Pretendo fazer a releitura desta obra e assistir ao filme que está com uma fotografia linda e um elenco maravilhoso.

    ResponderExcluir
  9. Tive a oportunidade de ler esse livro anos atrás.
    Não lembro de todos os detalhes sobre o livros mais, o que é uma pena porque lembro que adorei a leitura na época. Estou ansiosa para assistir o filme tenho certeza que vai ser muito bom como o livro é! Já estou me preparando por choro no final dele também bom pelo menos no livro foi assim!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Giulia!!
    Adorei a resenha!! Já faz muito tempo que conheço esse livro A cabana, mas nunca tive vontade de ler esse livro por pensar que era de autoajuda. Mas depois que vi o trailer do filme fiquei louca de vontade de ler e assistir A cabana!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  11. Não acredito muito em Deus e em Espírito Santo, acho que é por isso que quero tanto ler esse livro, nunca consegui ler a Bíblia e muitas pessoas, assim como você, dizem que esse livro possui uma interpretação simples e muito boa dela e quanto a resenha, gostei bastante dela, fiquei com mais curiosidade ainda de ler o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, que resenha <3 primeiramente, parabéns.

    A Cabana é um livro importante pra mim. Eu o li só uma vez há anos e foi justamente esse livro que me fez começar a me aventurar nesse mundo literário. Fiquei curiosa quando você disse que quando releu o livro, enxergou a história de uma maneira diferente. Eu sinto que comigo será a mesma coisa. Passei por muitos eventos que me fizeram amadurecer, me afastar um pouco de Deus e novamente voltar a me aproximar dele. Fico imaginando como será a minha experiência de ler este livro pela segunda vez... algo marcante é certo <3

    Essa nova edição parece tão bonita, só complementa mais a imersão na leitura.

    Beijos


    http://nebulosadeflores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Tenho bastante interesse em ler o livro (faz um tempão) e assistir ao filme.
    Parece ser uma história pra lá de emocionante e bem profunda. Uma história muito bem construída e com personagens envolventes...
    Vejo muita gente falando bem da obra e isso vem me deixando cada vez mais curiosa.
    Sua resenha me deixou ainda mais animada! Espero conferir ambos em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  14. Giulia, sempre tive várias oportunidades de ler o livro, mas quando eu tinha uns dez anos, minha mente era fechada, eu não conseguia ler o livro sem fazer vários questionamentos ao autor (e eu sabia que não obteria a resposta), porém, agora, quase uma adulto, quero muito poder ler esta obra.
    Por mais que ela quebre todos os paradigmas que estamos acostumados a conviver, ela repassa mensagens que só podemos receber com o coração e a mente aberta, temos que mergulhar na profundidade desse livro e não ficar apenas na superfície.
    Creio que esse livro após finalizado por mim, será de uma grande ajuda para eu crescer cada vez mais espiritualmente, e perceber a Santíssima Trindade com outros olhares, um olhar mais puro.

    ResponderExcluir
  15. Já conhecia a história e quanto mais leio resenhas mais da vontade de ler logo!!! AHHHHH
    Preciso ler antes de assistir o filme

    ResponderExcluir
  16. Li esse livro há tempos e me lembro bem de que cheguei a comentar sobre como o autor foi corajoso a ponto de colocar o Pai, o Filho e o Espírito Santo tão diferente dos esteriótipos que vemos sempre. Porque Deus não pode ser uma mulher, ou negra, ou asiático? E tem também a dor da perda, que é muito difícil de suportar quando sai do que é comumente esperado: que os pais partam primeiro que os filhos. Só sei que amei o livro, mas emprestei e não me devolveram até agora. Quem sabe dou sorte de ganhar um exemplar novo.

    ResponderExcluir
  17. Louca para ler esse livro, por isso não li sua resenha porque quero descobrir tudo sozinha.

    ResponderExcluir
  18. Já li o livro há anos e quero reler antes de ver o filme. E adorei essa nova edição com as ilustrações dos atores e tal, acrescentou muito!
    Já coloquei na lista para relê-lo ;)
    E adorei a resenha!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)