O Eterno Namorado - Nora Roberts

Esta resenha NÃO contém spoiler do primeiro livro da série.
Um Novo Amanhã

Essas histórias de primeiro namorado sempre me deixam ansiosas. Não rola nenhum paralelo com a minha vida, mas meu lado romantiquinho fica todo prosa. Pena que essa história me decepcionou um pouco.

Owen é a organização em pessoa, responsável por todas as planilhas e pelo cronograma seguido à risca pela família para a inauguração da pousada. É nesse clima de final dos preparativos que ele passa a olhar Avery, a dona do restaurante em frente, com outros olhos. Eles se conhecem desde pequenos e desenvolveram uma amizade tão natural que ficou um pouco difícil perceber quando algo mais podia acontecer. É aí que eles resolvem levar a sério a brincadeira de infância.

Já dava pra ter uma ideia da personalidade de ambos no primeiro livro. Ele é o mais centrado dos irmãos, ela a mais maluca das amigas. No bom e velho clichê "os opostos se atraem", a loucura de um completa a calma do outro. É um casal perfeitamente real, que pode ser encontrado em qualquer esquina.. E me identifiquei bastante com pontos da personalidade dos dois.

Enquanto Owen é muito racional e planeja tudo nos mínimos detalhes com bastante antecedência, Avery é mais impulsiva, deixando a emoção falar mais alto que a razão. Os sentimentos e pensamentos confusos dela pioram quando se trata de um trauma do passado, e caberá a ele ajudá-la a superá-los, isso depois de romper sua própria barreira de pensar que se avançar no relacionamento pode perder a amizade.

Lizzy, a fantasma, dá as caras novamente, com papel importante na junção dos casais (inclusive aquele que será o próximo protagonista). Só que ainda não me convenceu. Continuo com a sensação de que esse toque sobrenatural é desnecessário e mal construído, como se fosse uma solução fácil pros desfechos.

A pousada tá ficando linda, e juro que queria um anexo com o projeto de como eles idealizam cada espaço, em especial os quartos. Há bastantes cenas descritivas, o que eu não costuma gostar, mas se torna indispensável pra esse tipo de enredo. Cada móvel, decoração e detalhe faz minha imaginação borbulhar tentando juntar tudo e formar o cenário certinho na minha cabeça.

Justine, a matriarca Montgomery, continua sensacional, responsável por uma das melhores cenas. Os outros personagens - que não são poucos - continuam aparecendo naturalmente, como parte da história que são. Natural que as amigas se relacionem e os irmãos se falem diariamente, então a gente continua vendo Clare e Beckett e já começa a rir das brigas de cão e gato de Ryder e Hope.

O livro tinha tudo pra ser maravilhoso, com um potencial enorme - ainda que clichê - a ser explorado. Mas foi um tanto lento no começo, e o excesso de personagens dificulta a lembrar quem é quem, ligar os nomes às personalidades, funções etc. Também demorei muito a entender qual seria o clímax, parecia que a história andava linearmente e não chegava a reviravolta. Como consequência, foram poucos os momentos de tensão.

Se você ler fora de ordem, vai entender tranquilamente, porque é uma história fechada, do casal. Mas não recomendo nem um pouco, não vai ter a mesma graça, tanto pela questão da pousada como pelas relações familiares que de tão fortes são quase um personagem. Não foi melhor que o anterior e espero que o próximo feche com chave de ouro. Oremos!

O Eterno Namorado (A Pousada #2) - Nora Roberts
Arqueiro
304 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

3 comentários

  1. Giulia!
    Gosto das séries em que não precisamos ler os livros na ordem ou podem ser lidos de forma independente.
    E amo a autora.
    Senti apenas você dizer que é difícil engrenar a leitura pela quantidade de personagens e saber quem é quem, confesso que também tenho um pouco de dificuldade com muitos personagens, tenho de sair anotando cada um para entender.
    “O que sabemos, saber que o sabemos. Aquilo que não sabemos, saber que não o sabemos: eis o verdadeiro saber.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Oii! Hoje li uma resenha do terceiro volume da série e não me interessei, aí li esse do segundo volume e me identifiquei bastante com a trama!
    Não que eu tenha um amoooor de infância, mas tenho uma historinha aí e ele é o mais centrado e eu sou a mais maluquinha hahaha
    Uma pena que a leitura não tenha sido tudo aquilo, realmente quando começa a arrastar vai ficando meio sem propósito. Tomara que o terceiro seja melhor! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Giulia, da Nora Roberts só havia lido o box "Quarteto de Noivas", e simplesmente amei a escrita dela. Ainda não havia lido nenhum livro da trilogia "A pousada", mas posso dizer que amei a resenha.
    Sou aquela leitora fanática por romances clichês, eles me fascinam, e esse não poderia ser diferente. E esse amores de infância que só se desabrocham na fase adulta me atraem como um imã. Não gosto muito quando a autora enche o livro de personagens, é exaustivo e acabo lembrando só dos principais.
    Espero que o último volume compense esse pra você.

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)