A Sala dos Répteis - Lemony Snicket

Esta resenha contém spoiler do primeiro livro da série.
Mau Começo

Resenha Livro A sala dos répteis

A sala dos répteis é a continuação de Mau começo, o primeiro livro de Desventuras em Série. Então, aqui vai conter spoiler do livro, já que é uma sequência e uma coisa precisa da outra, certo? Certo!

Como sabe, no final do primeiro livro, o plano do conde Olaf, em se casar com a filha mais velha dos Baudelaire, Violet, e ser responsável pela fortuna, é descoberto e ele foge com a sua trupe de teatro. Apesar do banqueiro, Sr. Poe, tentar detê-lo ele vai embora, mas antes disso, antes de zarpar/picar a mula, ele fala somente para Violet que voltará.

Com isso, mesmo a juíza Strauss querendo ficar com a guarda dos irmãos, ela é impedida, já que o Sr. Poe (responsável pelos meninos enquanto não tiver um teto) faz questão de lembrar que os pais dos órfãos deixaram claro que só quem fosse parente poderia ficar com a guarda dos Baudelaire.

Bem, antes de iniciar de fato o livro 2, Lemony Snicket (narrador) faz um apanhado do que aconteceu no primeiro livro, até para situar o leitor.

Enfim, o Sr. Poe encontra uma nova pessoa para cuidar das crianças que fica um pouco distante da cidade. Confesso que fiquei um tanto assustada enquanto chegavam na casa do novo tutor, o doutor Montgomery Montgomery. Isso mesmo! Não digitei duas vezes não. O nome e o sobrenome são iguais, tanto é que ele foi motivo de piada por conta disso.

Sim, voltando! Fiquei assustada porque o nome do local em que eles passaram já era chamado de Mau Caminho, tanto o narrador quanto os irmãos falavam de um cheiro forte e desagradável das raízes das árvores, sem contar que quando eles chegaram lá tudo era relacionado a cobras.

Mas como dizem, a primeira impressão pode mudar depois que conhece melhor as coisas, né? E foi isso o que aconteceu. Tio Monty (como gostava de ser chamado pelos Baudelaire) era um grande pesquisador, na verdade ela era um herpetologista, aquele que estuda cobras.
"Cobras!", exclamou o tio Monty. "Cobras, cobras, cobras! É o que eu estudo! Adoro cobras, de todos os tipos, e dou volta ao mundo à procura de espécies diferentes para estudar aqui no meu laboratório! Não é interessante?"


Os meninos ficam encantados com o seu novo tutor e com a casa, já que lá, ao contrário da casa do conde Olaf, eles teriam um quarto para cada, acesso irrestrito à biblioteca, comidas deliciosas e passeios com o tio.

Como o dr. Montgomery Montgomery está prestes a participar de um congresso no Peru e mostrar a sua nova descoberta, a Víbora Incrivelmente Mortífera, ele precisa organizar tanto as suas coisas quanto as crianças. Para que elas estejam mais por dentro do assunto, tio Monty leva as crianças para conhecer outras criaturas capturadas ao longo de suas viagens, e todas estas estão devidamente “seguras” na Sala dos Répteis. Esse passa a ser o local onde os quatro adoram passar a maior parte do tempo estudando e observando os animais.
A Sala dos Répteis era toda de vidro, com paredes altas e transparentes de vidro e um teto de vidro altíssimo que se erguia convergindo para um ponto, como no interior de uma catedral[...] Os répteis estavam distribuídos em gaiolas de metal trancadas que se apoiavam sobre mesas de madeira formando quatro fileiras bem demarcadas de um estremo a outro da sala.

Resenha Livro A sala dos répteis

Só que tem uma coisa: não podemos esperar finais felizes, né? Então, um dos assistentes do dr. Montegory DO NADA mandou uma carta informando que estava deixando o cargo E por COINCIDÊNCIA chega um novo assistente com uma mala muito misteriosa. Seu nome? Stephano. Os Baudelaire ao ver, já se ligam quem é. No entanto, tio Monty se sente ameaçado, já que ele acha que o seu novo ajudante está ali para roubar a sua descoberta.

Esse homem não era Stephano, por mais que quisesse se fazer passar por Stephano[...] Podia ter rapado a sua longa sobrancelha duas em uma, podia ter deixado crescer uma barba no seu queixo ossudo, mas a tatuagem de um olho em seu tornozelo era mais reveladora que qualquer sinal de nascença.

Enfim, na verdade, deu para perceber que o conde Olaf não ia desistir tão fácil e se disfarçou de Stephano para ficar mais perto dos órfãos, e assim dar continuidade ao seu plano de pegar a fortuna. Daí por diante encontraremos várias artimanhas, suspense e um assassinato. Quem foi assassinado? Xiii, vou contar não. Tem que ler!

Por ser uma sequência, acho que o livro cumpriu com o que eu esperava. O livro é voltado para o público infanto-juvenil, então ainda é relativamente pequeno, mas possui um pouco mais de páginas do que o primeiro. Foi uma sacada legal para aqueles que estão iniciando e tendo o gosto pela leitura, pois as histórias vão ficando mais longas a cada livro. Como o primeiro o livro foi mais de apresentação das personagens, esse já deu para dar mais uma aprofundada na história dos irmãos.

Continuo adorando a narração de Lemony Snicket e suas conversas com o leitor, principalmente quando ele dá dicas para não seguir as mesmas experiências de Violet Baudelaire ou quando explica os significados das palavras nas frases. Tanto o título quanto a capa correspondem à história e o livro ainda vem com algumas ilustrações no início do capítulo.

Quem leu “Mau começo” tenho certeza de que lerá ou leu “A sala dos répteis”, porque cresce a curiosidade do que vai acontecer na próxima história, já que Lemony Snicket dá dicas no final do livro de onde acontecerá a próxima desventura dos órfãos, além do leitor roer os dedos para saber como será o fim da história dos Baudelaire.

Resenha Livro A sala dos répteis

A sala dos répteis (Desventuras em série #2) - Lemony Snicket
Seguinte
184 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

6 comentários

  1. Estou muito animada para começar a ler esta série. Toda vez que vejo resenha eu fico imaginando as cenas do filme! Esse conde Olaf não vai deixar as crianças viverem felizes nem tão cedo até conseguir o que ele quer!

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é bem pequenininho, tem só 184 páginas que podem ser lidas bem rápido. Toda vez que vejo falar da série eu fico triste por tantas coisas ruins que as crianças passam tudo por causa do conde. Quando elas arrumam alguém que devem ficar bem ai acontece algo. Eu gosto de livros em que a autora conversa com a gente. Torna tão confortável.

    ResponderExcluir
  3. Danila, estou querendo comprar todos os livros da série para poder lê-los, vejo tantas resenhas positivas sobre. Mas posso dizer que essas crianças possuem a passagem direta para o Céu, o tanto que eles sofreram, sofrem e ainda sofrerão ao decorrer dos volumes. E não acredito que um nome tão fofo como Olaf tem a ousadia de pertencer à um ser humano tão ruim. Com certeza eu me apegaria à família Baudelaire inteira, e sentiria muito dó dessas crianças.

    Danila, gostaria de fazer um pedido ♥ Muitas pessoas falam que a série nos primeiros episódios são bons, mas depois perde o eixo dos livros, bem que você poderia ver alguns episódios e veja se a adaptação é realmente fiel à série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nicoli. Eu assisti a todos os episódios da série. Giulia, até pediu pra que fizesse uma postagem comentando. Só que eu só li até o 2º, o 3º está para chegar e a série vai até o 4º livro. Então achei melhor esperar um pouco mais, ler os quatro primeiros para ter propriedade para fazer comentários do livro e da série.

      Excluir
  4. Danila!
    Esse tal de Conde Olaf é mesmo o 'cão chupando manga', né? Nem dá descanso para as crianças e ainda apronta cada vez mais...
    Uma pena essas crianças sofrerem tanto sem um lar com estabilidade e ainda bem que elas são muito inteligentes para se livrarem das artimanhas do Conde...
    Desejo uma ótima semana!
    “Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler esses livros!
    Bacana que tenha uma introdução sobre o primeiro livro pra gente se situar no segundo, mas a leitura parece tão gostosa e rápida que acho que nem precisa disso, pois dá pra ler um atrás do outro hahaha

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de fevereiro você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)