Desejo Insaciável - Kresley Cole

Quando eu vi Desejo Insaciável na pré-venda da Amazon, foi interesse à primeira vista. Gosto bastante de histórias sobrenaturais, e esta parecia bastante interessante, já que seria voltada para um público mais adulto. Iniciei a leitura cheio de expectativas, mas foram necessárias apenas 36 páginas para que eu decidisse abandonar o livro com o ódio fervendo por dentro.

Nessa história vamos conhecer Lachlain. Ele é líder dos Lykae (lobisomens) e foi aprisionado e torturado durante anos pelos seus maiores inimigos, os vampiros. Lembram daquela história de imprinting lá de Crepúsculo? Então, aqui isso meio que acontece também, e os lykae sabem que encontraram as mulheres de suas vidas com apenas um olhar ou um aroma.

Lachlain está aprisionado nas catacumbas de Paris e quando sente o cheiro do amor de sua vida, usa todas as suas forças para escapar. Sim. Ele ficou preso durante séculos, mas bastou sentir o cheiro da moça para dar um jeito de escapar. Na Paris dos dias atuais, ele não conhece quase nada, está movido apenas pelo seu desejo insaciável de encontrar sua prometida.

Emmaline é essa garota. Ela está na cidade atrás de pistas sobre o que aconteceu com seus pais, mas sua investigação não deu em nada. Sua tia e tutora liga para ela, pedindo que volte imediatamente para casa, pois corre um grande perigo. Emma quase consegue escapar, mas aí seu destino cruza-se com o de Lachlain.

A grande questão é que Emma é uma vampira. A prometida do grande líder dos Lykae pertence à raça que ele tanto abomina. Porém, isso não muda os desejos dele de possuí-la. Na rua mesmo ele já rasga a blusa dela e revela seus seios, arrasta ela para o hotel em que a moça estava hospedada e está determinado a tê-la para si.

E foi aí que decidi abandonar a história. Mas entendam que só piora a situação. Lachlain obriga Emma a tirar as roupas e entrar nua no chuveiro com ele. Ele a toca e a força a tocá-lo, mesmo a moça implorando para que ele pare. Lachlain exige que Emma o masturbe e acaricia suas partes íntimas para excitá-la. E o pior de tudo: a jovem moça virgem começa a sentir prazer com as investidas do lykae.

Gente. Isso pra mim foi o cúmulo do absurdo. A protagonista estava em vias de ser estuprada e a autora começou a romantizar tudo. Fiquei embasbacado, completamente sem reação. Joguei o livro para o lado e fui blogosfera afora em busca de resenhas, até encontrar uma que se assemelhava com o que eu pensei. Só que ao contrário de mim, a blogueira leu o livro até o fim e contou que essa questão do abuso segue até o desfecho.

Caramba! Vi também muitas leitoras "justificando" as atitudes de Lachlain e falando que ele acabará se rendendo quando se apaixonar por Emma de verdade. Mas e daí? Isso não é motivo nenhum para alguém romantizar um estupro. Na nossa atualidade, com o feminismo tão em pauta e a cultura do estupro tentando ser destruída, lançar um livro com essas características beira o ridículo.

Imagino que a editora Valentina tenha resolvido lançar a série aqui devido ao sucesso que fez lá fora, mas foi um péssimo momento e espero, do fundo do meu coração, que se os outros volumes forem assim também, que não sejam lançados por aqui.

Desejo Insaciável é um livro grotesco e que não merece a recomendação. Era uma história com bastante potencial, mas que foi ofuscada pelo abuso e o machismo. Passem longe!

Desejo Insaciável - Kresley Cole
Seguinte
352 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Americanas | Saraiva | Amazon
Leonardo Amarante
18 anos, gaúcho, estudando biomedicina. Vidrado em exatas, mas apaixonado pelos livros desde que se conhece por gente. Blogueiro nas horas vagas, tem paixão pelo que faz, e acredita fielmente que foi destinado à literatura, só falta ela perceber isso também.

4 comentários

  1. Já conhecia o livro mas nunca me interessei e, mesmo sem sua resenha, nunca teria lido. Gente, fiquei abismada com o que acabei de ler! Esse livro é bem pior do que esperava. Isso é um incentivo ao machismo e para piorar, foi uma mulher que escreveu essa história. E acreditar que tem gente que acha isso bonito e justifica as atitudes de Lachlain, é como se, mesmo que indiretamente e sem perceber, a pessoa defendesse o estupro e o machismo. Com certeza teria feito o mesmo que você, abandonando o livro.

    ResponderExcluir
  2. Eita,eis um livro que estimula o estupro. Credo!
    E o pior é o de descobrir agora que algumas pessoas justificaram o abuso . Triste!

    Sinceramente falando,já não gostei muito da história, que me pareceu uma imitação de Crepúsculo.
    Mas obrigar alguém a praticar sexo?
    Passou dos limites. :(

    ResponderExcluir
  3. Oi Leo,
    Não tinha o costume de ler muito livros desse gênero, mas agora iniciei a leitura de duas séries que estavam há um bom tempo esperando para serem lidas.
    Mas gente, que livro é esse? É claro que não vou querer ler não! Quando vi o lançamento confesso que até fiquei interessada em ler, pois a trama me chamou a atenção, mas agora sinceramente vou passar bem longe desse livro. Que absurdo romantizar o estupro, ainda mais que o abuso continua até o final do livro, não acredito que esse livro tenha feito sucesso lá fora. Não tem justificativa para isso, e saber que o protagonista encontra a redenção é o cúmulo mesmo. Uma série a menos para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Credo, que horror!
    Da nojo e até medo de saber que tem um livro desses circulando.
    Sinceramente, achei desrespeitoso a editora lança-lo aqui.
    Dar-se o trabalho de comprar e traduzir uma coisa dessa? Com tantos nacionais maravilhosos? Affffs, sem palavras!
    Já anotei o nome da autora aqui no meu caderno de autores que não lerei mais, justamente pela intolerância e desrespeito narrados.
    bjss e boas leituras!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)