Uma História Incomum Sobre Livros e Magia - Lisa Papademetriou


Título: Uma História Incomum Sobre Livros e Magia
Autor(a): Lisa Papademetriou
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 192
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Duas meninas encontram um livro mágico e cada uma se vê envolvida numa história que parece ser contada sozinha.

Kai chega ao Texas para visitar sua tia-avó Lavinia – uma senhora extravagante, durona e fã de hip-hop. Do outro lado do mundo, no Paquistão, Leila deseja ser tratada como uma princesa pela família de seu pai e viver fortes emoções.

Elas só não fazem ideia de que seus mundos completamente diferentes estão prestes a se chocar graças a um enigmático livro em branco.

Quando Kai escreve no livro, suas palavras magicamente aparecem no exemplar de Leila. As meninas então percebem que O cadáver excêntrico reage a cada frase acrescentada – não importa se foi inspirada pelo ataque de um chihuahua ou por um mal-entendido com uma cabra – com um trecho da história de amor vivida por Ralph Flabbergast e Edwina Pickle mais de cinquenta anos antes.

Uma história incomum sobre livros e magia entrelaça essas três perspectivas – de Kai, Leila e Ralph – de uma forma divertida e emocionante. É uma narrativa mágica sobre o destino e os laços invisíveis que nos ligam uns aos outros.

Resenha dupla, em parceria com a Andressa, do blog Mais que Livros

Dois exemplares de um livro foram encontrados por duas meninas - uma nos EUA e uma no Paquistão. A princípio ele só tinha uma frase e elas nem deram bola, mas um monte de eventos estranhos começaram a acontecer e interferir no presente. Frases apareciam ou sumiam nas páginas em branco, o livro surgia em lugares inusitados mesmo tendo sido guardados...
Kai mora nos EUA e foi passar um tempo com a tia avó Lavinia. Logo fez amizade com Doodle, uma menina lepidopterologista, estudiosa das borboletas e mariposas. Ela quer encontrar uma mariposa azul que brilha, uma espécie há muito não vista pela região, e apresentá-la na feira da cidade. Seu maior concorrente era o filho do dono da fábrica de caixões, onde o pai de Doodle trabalha. E ali começa uma competição que envolve trapaças e magia.

Do outro lado do mundo, no Paquistão, está Leila, uma americana que foi visitar uns parentes. Ela tá vivendo uns problemas com a família e as amigas, então é uma chance de distrair. Mas ficar em um lugar onde as pessoas parecem não se importar com ela e muitas vezes sequer lembram de fazê-la entender o que está sendo dito também não é muito legal.

As duas vão acompanhando aos poucos uma terceira história, a de Ralph e Edwina, um casal de jovens que viveu há cinquenta anos. Só que esses relatos aparecem magicamente, uma parte de cada vez, no livro O Cadáver Excêntrico.

Como essas três histórias se cruzam? O que as meninas têm a ver uma com a outra? Qual foi o fim de Ralph e Edwina? E a mais importante pergunta: magia realmente existe?

Você está tentando me dizer alguma coisa?, escreveu ela. Fechou o livro. Contou até cinquenta. Então voltou a abri-lo e soltou um gemido. Uma nova frase havia aparecido: Eu pensei que você é que estava tentando me dizer alguma coisa.

Essa leitura não foi exatamente agradável. A ideia de um narrador em 3ª pessoa que interage com o leitor fazendo piadinhas até seria legal se não fosse exagerada. A narração intercala entre Kai e Leila, as duas lendo/escrevendo em exemplares diferentes de um mesmo livro, salpicadas com partes de O Cadáver Excêntrico.

Foi difícil terminar, rolou uma insistência básica pra não abandonar o livro. Tivemos a sensação de que a autora se perdeu várias vezes, especialmente nas partes de Leila, indo por um caminho nada a ver e trazendo informações desnecessárias. O cenário árabe, com nomes, comidas e cultura bem peculiares, já é confuso por si só, aí acrescenta uns 10 personagens... lemos sem conseguir associar o nome à personagem. Quando juntava a família, rolava uma leitura dinâmica, ler por ler, sem absorver nada.

As partes de Kai até eram mais fáceis de engolir. O mais provável é que não fazemos parte do público-alvo do livro e não conseguimos ler com olhos juvenis. Mas reconhecemos que é uma história voltada pra crianças e com algumas lições bem características para a inocência da idade.

O livro mágico lhe ensinara uma coisa: ela nem sempre precisava compreender o que estava acontecendo para continuar avançando.

Se não fosse ficar muito grande, o título poderia ser Uma história incomum sobre livros, magia, mariposas, violino, cabras, flores e amizade. ¬¬

A capa é uma adaptação da original e tem tudo a ver com a história. A diagramação também foi enfeitada com pedacinhos da capa. Se vocês repararem bem, nas barras superior e inferior tem a silhueta de dois lugares: a de cima, meio árabe, enfeita os capítulos com foco em Leila; a de baixo é uma representação da cidadezinha da tia Lavinia e enfeita os capítulos da Kai. As partes do Cadáver Excêntrico vêm em itálico, destacando-se do resto do texto. A revisão também estava boa, o que é importantíssimo, visto que os leitores estão em fase de aprender e/ou assimilar a língua.

Nenhuma de nós curtiu, e fica de novo o aviso de que o fator idade/expectativa pode ter pesado. Isso não significa que o livro seja de todo ruim, que não vá funcionar pro público certo ou que você não vá gostar. Experimente e tire suas próprias conclusões.
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

8 comentários

  1. olá, é uma pena que vocês duas não curtiram a trama muito me interessou exatamente por esse lado juvenil e inocente, espero não me frustrar com o andamento da trama
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi,que pena que o livro não foi tão legal...
    Antes de ler a resenha e ver somente duas estrelinhas e meia,pensei que o livro fosse o máximo! Acho que pela capa que achei uma graça.

    Bem,não li,mas achei bem confuso.

    ResponderExcluir
  3. A capa desse livro é bem bonita, mas só reparei na representação das cidades das protagonistas, por que vc falou rs. Sobre o livro em si eu achei bem confuso a sinopse e o resumo e por sua resenha não acho que vá me prender, como vc disse acho que o fato de não ser o público-alvo iria pesar nessa leitura por mais que eu leia alguns juvenis :|

    ResponderExcluir
  4. Estou louca de desejos por esse livro, amei a capa e a sinopse já me fisgou desde o início. Adoro livros de magia, e esse parece ter uma bela aventura, de uma forma divertida e emocionante.

    ResponderExcluir
  5. O que primeiro me chamou a atenção nesse livro, quando foi lançado, foi a capa. Ela é muito linda e criativa, eu amei. Depois de ter visto a capa fui ler a sinopse e já me apaixonei pelo livro ali mesmo rsrs depois de ler sua resenha e a da Dreeh, fiquei Um pouco mais desanimada, especialmente porque numa resenha dupla nenhuma das duas ter gostado mesmo me desanimou Que pena!

    ResponderExcluir
  6. Oi Giulia,
    Como disse lá no blog da Dreeh estou bem curiosa para ler esse livro, amei a capa e a sinopse já me fisgou desde o início. Adoro livros de magia, e esse parece ter uma aventura divertida e emocionante. Mas confesso que agora fiquei com o pé atrás, espero que a história não seja tão cansativa assim, não vou criar muitas expectativas quando iniciar a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que pena a história ter deixado a desejar, visto que a capa é tão bonita e eu, como uma boa julgadora de livros pela capa, com certeza me interessaria HAHA. Não tinha percebido o detalhe dos cantos inferiores e superiores, super discretos e bonitos.
    Achei a ideia de autora boa, porém histórias que se passam no nosso mundo e envolvem magia precisa de um cuidado muito grande, e muitos escritores acabam se perdendo, como foi o caso.
    Realmente, ler algumas cenas e não absorver nada é frustrante, já tive experiências assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Estou vendo comentários bem controversas sobre essa historia o que me deixou ainda mais curiosa para ler, não é muito o tipo de livro que gosto de ler mas gostei da capa que passa um ar de magica ao livro e achei a historia interessante principalmente por esse livro que simplesmente aparece, se tiver oportunidade quero ler essa historia !!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)