A Geografia de Nós Dois - Jennifer E. Smith


Título: A Geografia de Nós Dois
Autor(a): Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Nº de páginas: 272
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade.

Dois adolescentes de mundos diferentes, ligados pela coincidência de ficarem presos no elevador no meio do maior blecaute que os Estados Unidos já viu. Não tem luz em boa parte do país e vai demorar a voltar. O pai de Owen tinha saído pra visitar o local onde conheceu a falecida esposa, bem longe do atual apartamento deles, localizado no subsolo de um prédio de luxo. Lucy mora no 24º andar e tinha ido à portaria conferir a caixa de correio, pra ver se os pais tinham mandado algum cartão postal de mais uma de suas viagens sozinhos. Eles se encontram no elevador, ela voltando pra solidão do apartamento, ele fugindo pra solidão do terraço. Mas os planos foram interrompidos.

Naqueles poucos minutos em que não podiam escapar, eles se conheceram. A riquinha que estuda em escola particular só para meninas e o filho do administrador que foi trabalhar no prédio do primo como favor. Duas realidades distintas que entram em choque, mas se nivelam na escuridão. Entre escadas, lanternas e calor, Lucy e Owen têm uma noite inesquecível, marcada pelo brilho das estrelas como nunca visto, sem interferência de nenhuma outra luz.

Em todos os seus anos naquela cidade, Lucy jamais vira algo assim: um milhão de pontos de luz, geralmente todos sufocados pelo brilho da eletricidade, os telões e postes de iluminação, os holofotes e as sirenes, as lâmpadas fluorescentes e tubos de néon; todo aquele ruído branco que não deixava espaço para qualquer outra coisa.
Mas, naquela noite, o mundo caíra em silêncio. Não havia nada exceto a cortina negra do céu e as pinceladas das estrelas lá em cima, ardendo tão fortes, que Lucy percebeu que não conseguia desviar os olhos.

Mas no dia seguinte tudo muda. Ela acorda sozinha no terraço e não consegue mais encontrá-lo. Logo precisa viajar e manda um cartão postal pra ele. Ele saiu correndo do terraço pra ver se o pai tinha voltado, o encontrou adoecido e precisou cuidar-lhe. Em um dos passeios pela cidade, vê um cartão postal e escreve pra ela. E assim eles percebem que o que quer que tenha acontecido naquela noite foi recíproco. Só que ela irá se mudar, o pai de Owen será demitido e ele também precisará sair da cidade. Eles conhecerão novos lugares e pessoas e terão que descobrir se o sentimento é verdadeiro e se resistirá ao tempo e à distância.

Com a narrativa em terceira pessoa, acompanhamos intercaladamente os passos de Owen e Lucy entre as viagens dela e os vários locais por onde ele passa e mora. Embarque numa viagem de romance e saudade, sonhos e ilusões, decepções e esperanças, marcando vários pontinhos no mapa e morrendo de vontade de estar ao lado de cada um deles em cada um dos momentos.

Se traçassem um mapa dos dois, de onde tinham começado e de onde terminariam, as linhas seguiriam para longe uma da outra como ímãs de polos opostos. E já tinha ocorrido a Owen que havia algo profundamente errado com aquilo, que deveriam existir círculos ou ângulos ou voltas, qualquer ripo de traço que possibilitasse às duas linhas voltarem a se encontrar. Em vez disso, iam em direções opostas. O mapa era o mesmo que uma porta prestes a se fechar. E a geografia da situação - a geografia dos dois - estava completa e irremediavelmente errada.

Os personagens são novos, 16/17 anos, mas em momento algum me senti incomodada com "mais um livro da menina de dezessete". Creio que ausência física da mãe de Owen e a ausência emocional dos pais de Lucy fizeram com que eles amadurecessem muito rápido e deixassem aquela irritação adolescente. Esse era um ponto comum: a solidão. Ela cresceu a vida inteira na metrópole Nova York, mas nunca teve uma amizade real; ele perdeu sua vida feliz junto com a mãe e a mudança e não consegue - ou não quer - se adaptar a uma nova realidade. Sentir-se sozinho em meio a tanta gente é uma das discussões do livro.

São poucos personagens secundários, e passamos a conhecê-los melhor e entender sua relação com os protagonistas com o virar das páginas. Assim, vamos descobrindo os problemas familiares de cada lado e percebendo como enfrentaram o medo e a baixa autoestima. O foco não é o romance, apesar de ele permear toda a história.

É como se cada um deles fosse um monte de partes soltas que não conseguem se encaixar e perceber sua função. Aí um vem e monta o outro, sem perceber que também está sendo montado. Eles passam a enxergar a si mesmos de um jeito novo, um olhar de autodescoberta, de singularidade e pertencimento. Essa cola que juntou as peças é o romance, ora ator principal, ora um mero figurante.

Pela primeira vez em semanas, ele se sentiu aceso por dentro, mesmo na mais escura das noites.

Gostei muito dos relacionamentos familiares abordados, tanto do Owen com seu pai como de Lucy com sua mãe, especialmente. Só senti falta dos irmãos gêmeos dela, tão citados, mas sumidos o tempo todo. Entendi que essa ausência era proposital - a autora escolheu o período em que eles se mudaram para a faculdade para desenvolver a história -, mas se eram pessoas tão importantes pra Lucy poderiam ser um pouco mais presentes.

Apesar de a autora já ter dois livros publicados no Brasil, esse foi o meu primeiro contato com sua escrita, e fiquei bastante surpresa. Gosto de livros que já no primeiro capítulo me transportam pra dentro da história e me fazem sentir em casa, nada daquele sentimento de confusão no começo. E foi assim até o fim, passando as páginas sem me dar conta de como já tinha evoluído na leitura.

E essa capa? Coisa mais lindinha! A Galera acertou ao manter a original, que na onda de menos é mais trouxe elementos importantes da história e me conquistaram de cara. Mas escorregou um pouquinho na revisão, com uns erros bobos e desnecessários.

Curti e recomendo. Um romance despretensioso, mas que chega de mansinho e quando você menos percebe já ocupou um espaço grande. Dê uma chance pra Lucy, Owen e sua Geografia. ;)
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

21 comentários

  1. Olá!

    Além de eu ter amado o título, achei a história dos dois tão imprevisível e diferente, tudo o que eu mais curto em um livro YA. Preciso dizer que quero ler esse livro agora!

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Giulia, essa autora tem umas capas bem fofas e sinopses que parecem filmes de sessão da tarde, apesar de ainda não ter lido os livros dela lançados por aqui tenho vontade de conhecer e espero ter oportunidade. Gostei de conhecer um pouco mais sobre o livro através de sua resenha e saber que apesar dos personagens serem novos não são irritantes rs, acho que esse deve ser um livro leve e que te conquista bem rápido. ;)

    ResponderExcluir
  3. Também adorei a capa.Achei muito fofa!
    Os protagonistas da história foram feitos um para o outro,mesmo sendo de "mundos" diferentes. Vivem praticamente sozinhos.
    Espero que se encontrem no final.

    ResponderExcluir
  4. Já tinha lido a sinopse a visto a capa do livro, mas não tinha entendido muito bem, mas com a resenha pude perceber, os dois são de mundos opostos, achei até interessante o imprevisto que fez com que eles se conhecessem, e a parte das narrativas intercaladas me deixa curiosa, até porque eu amo acompanhar dois pontos de vista, a autora sempre nos traz obras bem narradas, fofas, humoradas, que nos fazem torcer pelos personagens principais

    ResponderExcluir
  5. Olá Giulia,
    Que delicia ler essa resenha! Faz tempo que desejo ler um livro da autora, então foi uma grata surpresa ler uma resenha que me deixou ainda mais empolgada para dar uma chance. O livro A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista está na fila de espera há um bom tempo, então acho que vou acabar escolhendo esse para ler primeiro, mas pretendo ler ainda nesse ano A Geografia de Nós Dois. Adoro um bom romance despretensioso, com drama familiar, e onde podemos acompanhar o amadurecimento dos personagens, então já sei que vou me envolver com esse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Bonitinho esse! Acho super fofo esses livros que tem esses encontros e desencontros malucos!
    Nunca li nada da autora, mas gostei deste livro, vou colocar na minha lista!

    ResponderExcluir
  7. Estou tão ansiosa pela leitura desse livro, além da história parecer encantadora, a trama me pareceu ser envolvente, e como você mesma disse, faz com que o leitor se sinta em casa, já que a autora tem uma escrita maravilhosa, os personagens parecem ser bem cativantes, o que torna ainda melhor a leitura do livro, espero ter a oportunidade de ler essa obra logo, porque parece estar incrível.

    ResponderExcluir
  8. Que capa linda, fiquei apaixonada! Já tinha visto esse livro antes mais nunca tinha me interessado, mais lendo sua resenha mudei de opinião e fiquei super curiosa pra saber mais da historia e desses dois personagens que só da forma como você falou de cada um e seus relacionamentos familiares já me simpatizei, adorei sua resenha me ajudou muito a decidir ler esse livro finalmente, apesar de nunca ter lido nada da autora, acho que vou gostar desse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oiiie ;)
    Então que livro mais fofo, e concordo com você que a capa é mesmo linda, quando vi ele nos lançamentos já foi pros meus desejados, sem nel ler sinopse ou resenha, somente pela capa. Mas com a resenha gostei ainda mais dele, isso de os dois serem partes soltas e se completarem que lindo, gosto muito de romances assim, algo tão encantador e ainda mais porque parece que a história tem algo a nos ensinar, além de fazer nos apaixonar. Gostei muito também do começo da história o encontro no elevador e o destino pregando peças, quero ler logo.
    Bjoes...

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito de A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista dessa mesma autora, estou doida pra ler esse livro, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente não li nenhuma obra da autora.Já tinha visto resenhas sobre este livro e gostei do casal,a parte do elevador e como eles percebem que gostam da companhia um do outro,e mesmo um não estando na presença um do outro tenta se comunicar com os cartões postais e tudo mais...Esse parece ser um romance bonito e fofo.Gostei dos quotes o penúltimo é perfeito!

    ResponderExcluir
  12. Que delicia ler essa resenha! Faz tempo que desejo ler um livro da autora, então foi uma grata surpresa ler uma resenha que me deixou ainda mais empolgada para dar uma chance. O livro A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista está na lista de desejados há um bom tempo, então acho que vou acabar escolhendo esse para ler primeiro, mas pretendo ler ainda nesse ano A Geografia de Nós Dois. Adoro um bom romance

    ResponderExcluir
  13. O que mais me chamou a atenção foi essa capa, e quando soube que era da Jennifer fiquei com mais vontade de ler, já que quero conhecer a escrita dela um bom tempo. Pensei que seria mais um livro clichê que tem por aí, mas me surpreendeu quando você disse que o livro era muito mais que isso. Espero realmente lê-lo em breve!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. A Geografia de Nós Dois tem uma capinha muito linda! Impossível não se apaixonar por ela, não é mesmo? Sua história também não fica para trás.
    Muitas narrativas de adolescentes ás vezes acabam sendo irritantes e até mesmo em muitos momentos, repetitivas, porém logo fiquei intrigada em saber que ela foge disso, e nos traz tantos assuntos importantes como os problemas familiares.
    Já foi adicionado em minha lista de desejados!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. OMG.
    Que capa mais diva é essa, faz tempo que quero ler esse livro, mas ainda não tive tempo, amei a premissa, amei que eles se conheceram no elevador, apesar desse começo me parecer bastante clichê, estou muito curiosa para conferir, essas duas realidades tão divergentes bater de frete, enfim ansiosa demais.

    ResponderExcluir
  16. A história parece ser bem gostosa de se ler!! Estes encontro e desencontros parecem na verdade aproximar os personagens!! Muito legal a forma como Lucy e Owen se conhecem, como eles passam a ver que eles têm muita coisa em comum!! A distância para os dois é um mero acaso!! Já quero ler!!

    ResponderExcluir
  17. A história tem cara de ser bem legal. Pelos seus comentários feitos na resenha já deu pra sentir o quanto a história é boa e envolvente. Gosto de histórias assim. Curto bastante esse tipo de trama juvenil. Vou tentar ler também.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi Giulia, essa autora tem umas capas bem fofas,estou apaixonada pela sinopse desse livro, ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro da autora mais super quero ler!Pensei que seria mais um livro clichê que tem por aí, mas me surpreendeu quando você disse que o livro era muito mais que isso. Espero realmente lê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  19. Oi, Giulia.
    Sou uma leitora apaixonada por romances e sempre que vejo algo novo, não penso duas vezes antes de ler. Fiquei curiosa sobre toda a narrativa que A Geografia de Nós Dois nos conta. A solidão e os conflitos familiares, junto com o romance tornou tudo perfeito, agradando á todos que o leem.
    Torcendo para que em breve eu possa conhecer essa obra.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Também não li nenhum um livro da autora, por falta de oportunidade mesmo, e lendo sua resenha, fiquei com mais vontade ler! Um romance despretencioso, como voce disse que é capaz de fisgar o leitor desde o início! Gosto quando o autor tem essa capacidade, de nos deixar intimos dos personagens e nos faz ficar torcendo por eles! Parabéns pela resenha! Bjão!

    ResponderExcluir
  21. Quero muito ler este livro...

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)