A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan


Título: A Garota do Calendário: Janeiro (A Garota do Calendário #1)
Autor(a): Audrey Carlan
Editora: Verus
Nº de páginas: 143
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.

Mia Saunders teve quatro homens na vida e todos se revelaram uma grande decepção. O último, então, foi o maior dos problemas; um agiota que emprestou muita grana pro seu pai e agora está cobrando um 1 milhão de dólares. Vá lá que seu pai não é um exemplo - ele adquiriu essa dívida por causa da bebedeira e de jogos -, mas foi quem segurou a barra de criar 2 filhas quando a esposa abandonou a família. O cara já deu uma surra no velho - que está em coma -, agora está ameaçando matá-lo caso não receba tudo. Pra salvar a vida dele, Mia aceita a proposta da tia de ser acompanhante de luxo durante 1 ano, período no qual ela conseguiria dinheiro suficiente para livrar a barra do pai, ajudar a irmã mais nova com os estudos e ainda ter uma reserva. Seu trabalho é passar 1 mês literalmente acompanhando um cara rico; sexo está fora do contrato, afinal prostituição é crime, mas também não é proibido. E é aí que começa a aventura da Garota do Calendário.

Em janeiro, Mia vai para Malibu passar alguns dias com Weston Charles Channing III (destaque pro Terceiro, por favor! rsrsrs), um roteirista mega famoso e lindo, maravilhoso, com um corpo escultural de surfista. Seu objetivo ao contratar uma acompanhante era poder circular livremente nos eventos sem ser abordados pelas interesseiras de plantão, seria como um escudo pra afastar as mulheres. Como é o primeiro trabalho, Mia vai bastante temerosa, mas sempre tendo em mente que precisa da grana pra salvar o pai. Mas chegando lá percebe que vai ser mais fácil do que pensava, não apenas porque Wes é visualmente atrativo, mas principalmente porque ele é super bacana, com um papo legal, um trabalho admirável e uma família unida.

Foi impossível não se envolver com Wes. Sua determinação de não se apaixonar foi aos poucos caindo por terra, especialmente depois de experimentar a performance sexual do surfista. A atração deles é instantânea, o casal tem uma química poderosa, e o sentimento parece ser recíproco. Mas o trauma dos últimos relacionamentos e a ameaça que o pai ainda corre a fazem abrir mão de qualquer romance. Esse é só o primeiro mês, ainda tem 11 pela frente! O que será que Mia vai aprontar no resto do ano?

Concordamos em não nos envolver. Apesar de que, para ser sincera, tinha que admitir que estava envolvida com Wes. Definitivamente.

O livro é muito curto, super rápido de ser lido. Pra você ter uma noção, na verdade termina na página 127, o restante é o começo do próximo volume, Fevereiro. A introdução ocupa as 24 primeiras páginas, um piscar de olhos, meio que só pra justificar esse lance de 1 mês na casa de um cara diferente. Então sobram aí pouco mais de 100 páginas pra gente acompanhar o mês de Mia e Wes. Os acontecimentos são bem acelerados, nada com muita profundidade. Aí tu pensa que, até chegar à casa dele, ela tava toda encucada se o cara ia querer transar ou não, mas chegou lá girou o botãozinho e pronto, libido total!

Tudo bem que a família é desestruturada, mas havia horas que parecia que Mia sequer lembrava que o pai estava em coma. A irmã, coitada, mal apareceu. A tia que tem dinheiro ao invés de ajudar a sobrinha com grana resolve oferecê-la como mercadoria. Mas gente! A melhor amiga teve mais destaque do que qualquer parente. Essa parte eu achei meio estranha, sabe? Como era o primeiro volume, podia ter um pouco mais de explicação, uns capítulos a mais pra dar um pouco mais de credibilidade.

E isso não tem nada a ver com julgar a escolha de Mia. O corpo é dela, o tempo é dela, a vida é dela, e cada um faz o que acha melhor pra si mesmo. Eu nunca precisei juntar nem 1 milhão de reais, quiçá 1 milhão de dólares, mas com certeza não faria o mesmo pelas minhas convicções e crenças, mas cada um é cada um. Se ela achou melhor assim, vai lá.

- Não estamos no filme Uma linda mulher, e eu não sou a Julia Roberts.

Eu tô numa fase de preferir romance à escancaração. Sei que a proposta do livro é ser hot, e ele atende a isso, com cenas bem quentes; Audrey soube narrar os momentos em que os dois iam pra cama e pra outros lugares, mantendo um clima sensual sem vulgarizar a parada. Mas eu gostei muito mais de quando eles conversavam, desenvolviam a amizade e deixavam brotar uma sementinha de paixão. rsrsrs Comparado a outros livros do gênero que li, esse teve um desenvolvimento da história em si bastante superficial, mas talvez seja só porque li só uma das doze partes, vai saber.

O final do livro deixou uma grande interrogação no ar. Mas são onze longos meses pela frente, e do jeito que a mulher tá tarada não sei se o Wes tem alguma chance depois do Réveillon. Só sei que li o comecinho de fevereiro e acho bem difícil Alec superá-lo.

Agora, com toda sinceridade, eu quero lhe agradecer por este mês. Estava esperando odiar cada segundo deste trabalho, e, em vez disso, acabou se tornando a coisa mais emocionante que eu já fiz na vida.

Cês sabem que eu sou aloka das capas, né? Fui catar na Amazon.com as edições lá de fora e me surpreendi ao constatar que os livros físicos foram vendidos em trimestres, só ficaram separados por mês os ebooks. E aí, meu povo, por mais que eu tenha AMADO as capas nacionais - um vestido de cada tamanho 44. obrigada! -, preciso admitir que pro leitor é muito melhor comprar quatro volumes de 450 páginas do que doze de 150. Sei que o preço tá super em conta, menos de 20 pila, mas multiplicando por 12 fica pesadinho.

A leitura é válida pros fãs de literatura hot, mas sabendo que não é tão escrachado - que bom! - nem com uma história bem desenvolvida - que pena! Vamos esperar pra ver as surpresas que os próximos meses trarão.
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

6 comentários

  1. Eu acho as capas nacionais desta série muito lindas, mas não consegui me interessar pela história, todas as resenhas que li até agora contam que Wes é fofo e que encanta, e ainda assim restam 11 meses e cada mês é um mocinho diferente, não consigo curtir essa variedade (rsr) tornando impossível se apegar ao romance, o que nos deixa só com a parte hot e com poucas páginas, 127 no total pra história?! sei lá... acho que essa série não vai me encantar ;)

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente enjoei de livros hot sem uma história com mais profundidade.E acho que histórias como essa ,iludem muito as meninas que acham que ser acompanhante é apenas um trabalho em que se consegue lucros,fácil,fácil.

    Não me interessei ! :|

    ResponderExcluir
  3. Olá Giulia,
    Essa série está dando o que falar, e a noticia de que terá uma série de TV ajuda e muito no sucesso. Cada resenha que leio sobre esse primeiro volume fico ainda mais empolgada para ler, pois mesmo em poucas páginas a autora conseguiu fazer um enredo que prende o leitor, com uma história e protagonista bem construídas, imagine a minha curiosidade para conferir o resultado. Todas as resenhas que li desse primeiro livro encontro a mesma coisa: Wes. Pelo jeito vai ser difícil os próximos personagens superarem esse. Como faz tempo que não leio algo desse gênero acho que esse livro será uma ótima oportunidade, ainda mais que é bem curtinho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Os leitores de livros eróticos estão amando essa série, eu particularmente não gosto do gênero, principalmente pelo machismo que muitas vezes aparece. O bom é que os livros são curtos, assim podem ser lidos rapidamente, mas acaba deixando o livro superficial. Também respeito mas não entendo a decisão da personagem, até porque pelo visto ela simplesmente se tornou acompanhante de luxo e deixou o pai dela de lado. Acho que seria mais indicado mesmo para os leitores de eróticos, que podem desfrutar das cenas HOT´S

    ResponderExcluir
  5. Quero ler essa série, mas acho uma pena as histórias não serem tão desenvolvidas!
    Ela foi por um caminha que eu não iria, mas como é ficção, tá valendo! haha

    ResponderExcluir
  6. Gente to muito curiosa pra ler essa série. Mas são 12 volumes. Assim vou a falência. A temática é bem legal,a mesma protagonista 12 histórias. Vamos torcer pra eu ganhar na megasena

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)