Talvez um dia - Colleen Hoover


Título: Talvez um dia (Maybe #1)
Autor(a): Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Nº de páginas: 368
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas
Nota:

Um dos livros mais comentados de 2015, nos Estados Unidos, este é mais um sucesso arrebatador de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless.

Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex-melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Mais um livro fantástico da diva Colleen Hoover. E mais uma vez eu tenho que me limitar a falar quase nada da história pra não estragar aquele gostinho especial durante a sua leitura. Juro que vou me segurar ao máximo e mesmo assim tentar passar o suficiente pra te convencer a ler - se bem que só de você saber que é dessa autora deveria ler até o diário da infância dela.

O presente de aniversário de Sydney não foi nada bom. Estava esperando uma festa surpresa, mas acabou descobrindo que o namorado estava a traindo com a melhor amiga. Ela deixou pra trás o apartamento que dividia com a dita-cuja e até sua bolsa ficou esquecida no calor do momento e do soco na cara. Sem ter pra onde ir, aceita o convite de ficar na casa de Ridge, o carinha que espia da varanda tocando violão.

Faz algum tempo que ela descobriu que Ridge sai às noites para tocar e se encantou com sua entrega ao momento, à música. Cansada de só ouvir, resolveu escrever letras pras melodias que já invadiram sua mente, até que ele a flagrou, e caiu como uma luva! Ele é o compositor da banda, mas passa por um bloqueio criativo e não consegue finalizar suas canções. Após uma troca de SMS e de finalmente ela ser convencida a enviar a letra, ele fica fascinado com a música e com a possibilidade dessa parceria. Só que o processo acabou se adiantando por conta daquele pequeno incidente que já contei.

Não é fácil vencer uma guerra travada contra seu coração.

Só que esse convívio acabou se tornando mais intenso do que um relacionamento musical. E seria perfeito se não fosse o "pequeno detalhe" chamado Maggie, a namorada de Ridge. Sydney entra em conflito porque não quer fazer com os outros o que fizeram com ela. Ridge entra em conflito porque quer ser fiel à namorada apesar dos sentimentos. E o mundo continua girando, cheio de problemas e atrações, ao redor de duas pessoas que se apaixonam gradual e perdidamente.

Aprendi que não podemos dizer ao coração quando, quem ou como amar. O coração só faz o que quer. A única coisa que podemos controlar é se escolhemos nos dar a chance de deixar nossa vida e mente alcançarem nosso coração.

A grande sacada do livro está na característica de um dos personagens. Muito antes de esse livro ser anunciado pela Galera, eu li uma resenha e peguei esse spoiler, nunca mais esqueci e me martirizei esse tempo todo por isso, mas no pré-Mochilão falaram também e aí fiquei mais aliviada porque lendo ou não saberia do mesmo jeito. Mas acho que seria mais emocionante se só tivesse descoberto durante a leitura.

Colleen tem aquele jeito maravilhoso de escrever que prende, encanta e faz querer mais. Não dá pra parar depois que começa porque você tem a necessidade de saber o desenrolar dos fatos. Dá pra sentir o que os personagens sentem, entender os dilemas que eles estão enfrentando, se apaixonar junto com eles. Tem pouquíssimas cenas de sexo, e elas são narradas de forma poética, você sente amor ao invés de quenturas.

Os capítulos são narrados intercaladamente entre os personagens, então acompanhamos um pouco do que se passa dentro de Ridge e Sydney. Cada um tem seus próprios questionamentos e lutas, e é interessantíssima a discussão sobre fidelidade e traição que a autora levanta. Desejar alguém por que se apaixonou é traição? Mas e se você, mesmo apaixonado, lutar contra esse sentimento e tomar a decisão de se manter fiel ao compromisso, é traição?

Nossas almas não são apenas compatíveis, estão em perfeita sincronia. Sinto tudo o que ela sente. Compreendo coisas que ela nem precisa me dizer. Sei que posso lhe dar exatamente aquilo de que precisa, e o que ela deseja me dar é algo que eu nunca soube que necessitava.

Normalmente eu fico extremamente incomodada com triângulos em que a gente acaba torcendo pra que o casal se desmanche e a terceira pessoa vença. Mas aqui eu fiquei bem dividida, porque entendi o paradoxo de sentimentos de Sydney - de querer viver o amor, mas não querer sacanear outra menina, inclusive, mas não somente, porque ela é muito legal - e de Ridge - de se descobrir apaixonado por duas pessoas ao mesmo tempo. Eu tentei de várias maneiras entender como a autora iria resolver a questão, já que o fim era óbvio, e até previ o caminho, mas não imaginei como ele seria trilhado e fiquei positivamente surpresa.

A tal característica que eu citei faz toda a diferença, e foi um dos motivos pelos quais o livro me tocou tanto. Tem muito a ver comigo, então foi fácil me encantar e deixar boquiaberta com as descrições. A sensilibidade da Colleen ao descrever algumas sensações e percepções. Não dá pra explicar, mas quando vocês lerem certamente vão entender.

Além de toda essa delícia que é a história e a narrativa, a autora fez uma parceria com o cantor e compositor Griffin Peterson para dar vida às músicas que Ridge e Sydney compuseram juntos. Enquanto lemos, podemos ouvir cada canção, letra e melodia, se encaixando perfeitamente à história, ao momento vivenciado pelos personagens. Dá pra ouvir no site oficial, mas como tenho Spotify preferi curtir por lá. As músicas são maravilhosas, tipo chiclete, que gruda e você quer ficar ouvindo mesmo sem estar lendo. hahaha! Dá pra levar pra vida! Minhas preferidas foram I'm in trouble e Hold on to you.

Percebo que não poderá haver um talvez um dia entre nós. Nunca haverá talvez um dia.

A capa é uma adaptação da original, amorzinho define. Dessa vez preciso fazer algo que não costumo, que é falar sobre tradução. Não posso julgar se está boa ou não porque não sei inglês, mas tenho que admirar o trabalho de não apenas traduzir as músicas como fazer a versão em português delas, criando rimas e encaixando na métrica. Tá de parabéns! Em compensação, a Galera escorregou na revisão, com uns erros bizarros, tipo número no meio da palavra. Assim não dá, gente!

E pra galera que lê em inglês e quer mais emoções... Colleen Hoover preparou uma surpresinha! Tem um epílogo especial, um último capítulo narrado por um personagem diferente. Curiosos pra saber quem e o que aconteceu? Acesse com a senha everything. Ainda não preciso me despedir dos personagens, porque eles devem aparecer em Maybe Not, o livro que conta a história de Warren e Bridgette.

Definitivamente essa mulher é minha autora favorita. Não teve um livro que eu não tivesse amado, alguns menos, outros extremamente, mas todos com todas as estrelas. Ela pode escrever cartão de Natal, diário, pedido de oração, lista de tarefas pra faxineira, agenda da escola dos filhos... eu vou querer ler!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

10 comentários

  1. Oi Giulia!
    Sou suspeita para falar dos livros da Collen porque amo todos eles, se ela lançou bula de remédio eu to lendo igual a você rssrs
    Realmente os livros dela, me prendem e me cativa.
    Li o livro em inglês na época em que lançou e me lembro claramente da trilha sonora! As músicas grudam que nem chiclete mesmo, foi uma ótima ideia da autora. Fiquei chateada com a revisão mal feita :/

    ResponderExcluir
  2. Olá Giulia,
    Não há necessidade de tentar me convencer a ler Colleen Hoover, também sou do grupo que lê até a lista do supermercado dela se for possível hahaha.
    Que resenha mais perfeita, como é bom ler uma resenha de uma fã dessa talentosa autora que tanto amo. Todos os livros que já li da autora ganharam todas as estrelas, sou bem sentimental, então sempre fico envolvida com suas histórias, e que jeito maravilhoso de escrever, que nos prende até a última página. Adoro quando os capítulos são intercalados com as narrativas dos personagens e, com certeza vou querer ler com a trilha sonora, combinação perfeita livros + música.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Uau,pela resenha sei que vou amar esse livro. Assim como você gosto da escrita da autora,que me fez ficar muito emocionada com seus livros anteriores.

    Adorei de verdade o soco que Sydney deu na ex melhor amiga. Foi merecido...RS
    Espero me surpreender mais uma vez lendo lendo o livro de Colleen Hooven. :)

    ResponderExcluir
  4. Eu amo esse livro da CoHo, por enquanto é o meu favorito dela *-*
    E quando eu comecei a lê-lo eu não fazia a ideia desse pequeno detalhe e quando isso foi mencionado, quase não acreditei, e realmente você tem razão, eu descobrir isso durante a leitura fez toda a diferença.
    E eu adorei a sensibilidade que a CoHo teve a escrever esse livro. Os personagens são maravilhosos, tão cativantes *-*
    Isso sem falar na músicas do Griffin (até hoje eu escuto ♥).
    Ah, Maybe Not também é uma graça, super recomendo!! Beijo :)

    ResponderExcluir
  5. Colleen Destruidora Hoover.
    Essa mulher nasceu com o dom de escrever!
    Não me canso e não me cansarei de ler qualquer coisa que essa mulher escreve e me surpreendo toda vez! Mesmo vc imaginando como será alguma cena ou o final, ela sempre deixará vc de boa aberta!
    Não tenho dúvidas que também irei favoritar esse livro quando ler e estou super ansiosa para isso! E com essa trilha sonora feita especialmente para o livro...dá para favoritar 2 vezes? kkkkkkk
    Não consigo comentar mais pq ainda não li =( Mas já comecei a escutar as músicas hahahaha
    Beijooos

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem..
    A Colleen Hoover é uma das minhas autoras preferidas,faz tempo que li Talvez um Dia em ebook,mas ao reler a obra todas as emoções da primeira leitura voltaram com força total: culpa, raiva, insegurança, alegria, paixão e um amor profundo pelo significado por trás dessa história,enfim amei esse livro demais e a trilha sonora e maravilhosa..
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  7. Que lindo saber que a autora fez uma parceria para dar "vida" às músicas do livro. Acredita que ainda não li nada dela? Mas depois dessa resenha e desse livro que parece ser tão amor, já quero começar por ele e conhecer essa escrita de uma mulher que todo mundo fala tão bem. Foi pra lista!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Giulia.
    Eu amo a escrita da Colleen. Amei a trilogia Métrica e O lado feio do amor, então eu quero muito ler Talvez um dia.
    Também não sou muito fã de triângulos amorosos, então estou bem curiosa para saber como a autora vai desenvolver a relação entre Ridge e Sydney.
    Achei bem interessante a autora ter feito uma parceria com um compositor. Dá um toque realmente especial.
    Já fiquei curiosa para saber qual é essa surpresa no final do livro *-*
    Espero poder ler esse livro em breve!

    ResponderExcluir
  9. Giulia, li umas resenhas tão fofas desse livro, e a sua foi a mais detalhada e que me deixou looooouca de curiosidade!
    Confesso que tenho um pé atrás com a Colleen, porque só li o Métrica dela, mas não gostei, daí agora ao mesmo tempo nãao tenho tanta vontade de ler seus livros, mas dei fico curiosa por causa das resenhas maras que leio! rsrs
    Quero ver se leio um ou dois dela pra Maratona de Inverno, e tirar isso a limpo.
    Eu ainda não tenho Talvez um dia, no entanto, quero muito, pois parece ser lindo, intrigante com esses conflitos da Sydney e original até.
    bjos

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Quero muito ler esse livro da Colleen Hoover, quando vi no lançamentos fiquei interessada e lendo a resenha fiquei ainda mais curiosa para ler, gostei muito da historia mas estava na duvida sobre esse triangulo amoroso e lendo a resenha achei legal como a Sydney age, também gostei muito que tenhamos musica como tema desse livro e principalmente essa parceria com o Griffin Peterson e estou curiosa sobre esse epilogo extra !!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)