O amor nos tempos do ouro - Marina Carvalho

Resenha Livro O amor nos tempos do ouro

Cécile Lavigne é uma francesa que foi criada pelos pais com conceitos de igualdade e respeito, livros e pensamentos inovadores, mas perdeu toda a família em um trágico acidente. Ela foi mandada para o Brasil para morar com o tio, que - ambicioso que só, logo providenciou um casamento para a sobrinha com um velho e poderoso senhor de terras da colônia, a fim de ter acesso à herança. Mas Cécile não consegue se imaginar casada com o noivo a quem está prometida, um homem cruel, que se acha acima de tudo e todos.

As coisas pioram durante a viagem. As condições das estradas não eram muito boas por volta do século XVIII: o trajeto é perigoso, desconfortável e pode ter muitas surpresas, como ataques de índios ou animais. Para garantir a segurança da dama, Fernão foi contratado. Ele é um português que se aventurou na colônia e trabalha prestando serviços - nem sempre muito honestos - aos senhores, mas agora está decidido a largar a vida de trabalhos errados e viver tranquilamente nas terras que comprou com o dinheiro acumulado, mas Cécile muda seus planos. No começo, ele a enxerga como a aristocrata metida que só quer enriquecer com o casamento. Ela também inicialmente o acha um bronco, de coração e fala duros. Mas o convívio e as ações de ambos vão mostrando a essência de cada um e mostrando que a primeira impressão pode estar errada.

A cada dia ao lado daquela mulher, desfaziam-se as primeiras (e não muito boas) impressões a seus respeito, uma a uma. E o explorador mal sabia como lidar com essas novas constatações.

Preciso falar que esse livro foi um tanto dúbio pra mim. Sou o tipo de pessoa que prova a comida que não gosta em todas as oportunidades que pode, porque vai que eu resolvi mudar de gosto? Foi assim que descobri, aos 25 anos, que consigo comer tomate e cupuaçu. Tá, mas o que isso tem a ver com a resenha? Pois bem, já tinha lido 1 conto e 2 livros da Marina; o primeiro foi de boa, mas a história da Ana... socorro! Não rolou, nem com muita boa vontade. Muita imaturidade, cheia de buracos, vários problemas no enredo... Nem me arrisquei a ler Elena, mas quando soube de O amor, decidi que daria outra chance. Romance de época sempre dá aquela fisgadinha no meu coração, se passando em terras brasileiras? Claro que eu ia ler!

Esse foi o primeiro ponto de destaque. Nada de duques, condes e nobres. Aqui a gente encontra senhores de terra, escravos, feitores, índios... É a realidade da colônia, já saturada da cana e recém-descoberta como uma mina de ouro. Logo no começo há uma nota da autora contando sobre as adaptações que precisou fazer e as pesquisas realizadas no período de escrita, mas mesmo que não houvesse nada daquilo daria pra perceber que ela se dedicou para escrever coisas condizentes com a História do Brasil. E que delícia ler um gênero que eu amo se passando na minha terra!

Resenha Livro O amor nos tempos do ouro

Outro ponto forte foi a mistura de raças, credos e classes. A narrativa é em terceira pessoa e foca principalmente em Cécile e Fernão, mas às vezes mostra personagens coadjuvantes, como alguns escravos. Estavam presentes o catolicismo e as religiões africanas; os brancos, os negros e os indígenas; o luxo da casa grande, as condições subumanas dos escravos, as dificuldades que os exploradores enfrentavam pra sobreviver. Assim, vamos conhecendo, através de uma ficção muito gostosa de ler, um Brasil que fica esquecido nos livros de História ou conhecido só através da literatura clássica.

Falando nela, todo capítulo se inicia com um trechinho de um grande autor. Castro Alves, Fernando Pessoa, Drummond, Gonçalves Dias... Creio que foi uma forma de homenagear o período, os autores, e a própria profissão da autora, que é professora de Literatura.

Resenha Livro O amor nos tempos do ouro


Doeu demais ler os abusos sofridos pelos escravos e o papel de submissão ao qual a mulher era submetida. E pensar que isso tem reflexo até hoje. </3 Que vergonha da história do país, do pensamento idiota de que branco e homem eram superiores. Nojo define! Marina não apenas deixou isso claro na nota como também fez questão de inserir na história, como característica marcante na personalidade dos protagonistas. Cécile e Fernão eram pessoas que enxergavam além de cores e posses, respeitavam as pessoas com humanidade, independente de quem fossem.

Dessa vez história me prendeu, com um enredo bacana, uma mocinha impetuosa e corajosa e um galã nada convencional. A única coisa chata foi a enrolação que está em quase todo livro de romance: a falta de sinceridade que provoca vários mal-entendidos. Uma atitude é interpretada da maneira errada, uma fala é recebida de forma diferente do que a pessoa quis dizer... E aí se vão páginas e páginas de enrolação que poderia ter sido resolvida com uma simples conversa franca. Ficou meio repetitivo, clichê demais.

Cécile, pode até não parecer, mas possuo um coração e ele às vezes toma as rédeas da minha vida.

Amei a capa - até porque rolou votação, e votei na que ganhou - e a diagramação, foi um trabalho muito bacana da Globo. Também não tenho o que reclamar da revisão, ainda mais porque teve toda uma preocupação com uma versão mais arcaica da língua por conta da época. No meio da narrativa, havia pedaços do diário da Cécile e de cartas que Fernão escreveu pra ela, destaque especial. ♥ Só uma coisa poderia ter sido diferente pra melhorar nossa experiência de leitura: as notas vieram todas concentradas no fim do livro. Imagina a chateação ter que ir e voltar toda hora pra ler um pedacinho que poderia ter vindo no rodapé! Nesse caso, a leitura por e-book é muito melhor; é só clicar que abre uma janela com a nota, você lê, fecha e volta ao texto normalmente (tive acesso à versão do Kindle, não sei sobre as outras plataformas).

A grande lição do livro não é o respeito - apesar de ser importantíssimo -, mas nos levar a acreditar que somos capazes de efetuar mudanças. Cécile não consegui acabar com a escravidão, mas conseguiu fazer diferença para as pessoas que estavam ao seu redor, especialmente pros dois ou três mais próximos. Bora pensar comigo como dá pra melhorar a vida de pelo menos uma pessoa pertinho de nós?

A autora já está escrevendo um spin-off, e dessa vez estou ansiosa por ele. Torço para que mais autores sigam o exemplo da Marina e usem a nossa História como base para suas histórias. Se a Literatura tem o poder de nos fazer viajar, sonhar e aprender, por que não fazer isso de um jeito mais brasileiro? Visitar o nosso passado, conhecer mais a fundo a nossa cultura, entender o hoje olhando pra trás, tudo isso através dessa ferramenta que a gente tanto ama: o livro.

Resenha Livro O amor nos tempos do ouro

O amor nos tempos do ouro - Marina Carvalho
Globo Alt
328 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

10 comentários

  1. Oi Giulia.
    Também adoro romances históricos e fiquei bastante animada para ler O amor nos tempos do ouro. Gostei bastante do cenário ser aqui no Brasil com as classes que haviam aqui na época.
    Achei um toque bem interessante ter trechos de autores brasileiros. É uma ótima forma de prestas homenagem a eles.
    Eu li apenas um livro da autora, Azul da cor do mar, e achei a história bem simples, mas com um narrativa envolvente.
    Espero gostar de O amor nos tempos do ouro. Essa capa realmente é linda.

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem..
    Adoro narrativa simples e leve da autora,e também sou apaixonada pelo gênero,ainda mais quando a historia do nosso pais faz parte do enredo,então sim,eu vou conhecer a historia de Cécile e Fernão,e que capa mais linda só por ela ja leria o livro.
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  3. Olá,ainda não li nenhum livro da autora.
    Um fato que me agradou muito quando comecei a ler sua resenha,foi essa viagem que os personagens fazem pelas terras brasileiras . Como é interessante conhecer um pouquinho da nossa história...
    E como não ficar curiosa com um romance histórico!? :)
    Adorei a sua dica . E se tiver uma oportunidade vou ler sim!

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho muita vontade de ler os livros dessa autora, mas infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler nenhum deles. Gostei da ideia de ser um romance de época ambientado no Brasil, já que não temos muitos deles. E conhecer mais um pouco sobre o povo do nosso próprio país sempre é válido. Quero ler!

    ResponderExcluir
  5. Oi Giulia,
    Ainda não tive a oportunidade de ler Marina Carvalho, ganhei o segundo livro da série Simplesmente Ana e estou com ele aqui na minha estante, só que preciso ler o primeiro antes, mas confesso que não estou empolgada para ler já.
    Como sou apaixonada por romances de época, meu gênero literário favorito ♥, quando vi o lançamento desse livro (amei a capa e votei nela) já coloquei na lista de desejados. Estou ansiosa para ler, principalmente por ser a nossa história, um romance de época vivenciado no Brasil, amei! Acho que vou escolher esse livro para conhecer a escrita da autora ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Estou doida pra ler esse livro, curto muito romance de época e a escrita da Marina Carvalho, parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  7. Oi Giulia, é tão bom quando resolvemos dar uma nova chance a um autor e ele acaba nos surpreendendo né? <3 Eu ainda não li da Marina Carvalho, mas já adicionei esse livro na minha lista.
    E o que eu mais amei nesse livro foi justamente o fato de ela ser ambientada aqui, no período escravista. Pois essa é uma época que sem dúvida, não podemos esquecer. Só achei um pouco chato esse negócio do mal entendido, mas acho que não chega a prejudicar muito a leitura. Amei a resenha *-* E pretendo ler muito em breve, beijo!

    ResponderExcluir
  8. Que resenha lindona!!!
    Eu também não gostei muito da série da Ana, mas to loucaaaa para O Amor nos tempos do ouro.
    Também amei essa capa e foi a que votei.
    E a história parece ter sido muito bem escrita e desenvolvida, coerente com a época, o que imagino ter dado um trabalhão para a autora.
    A Cécile tem jeito de ser a frente de seu tempo, mas sem ser chatinha ou promíscua demais como vemos em vários livros de destaque atualmente.
    E o Fernão parece ser um doce com casca de cavalo! rs
    já queroooooo!
    bjos e que resenha linda hein? Me encantou! rs

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Gosto muito dos livros da Marina Carvalho e quando vi esse livro no lançamento fiquei logo interessada ainda mais com essa capa linda, parece que a autora fez um excelente trabalho de pesquisa nesse livro, algo que gostei muito e também achei interessante temos um romance de época que se passa aqui no Brasil, gostei muito dos assuntos que ela aborda e estou bem curiosa para ler a historia desse casal !!

    ResponderExcluir
  10. Oi!!
    Será que vcs que leram o livro sabem me dizer alguma frase relevante ?

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)