Ligeiramente Seduzidos - Mary Balogh

Esta resenha NÃO contém spoilers de outros livros da série.
Ligeiramente Casados
Ligeiramente Maliciosos
Ligeiramente Escandalosos



Título: Ligeiramente Seduzidos (Os Bedwyns #4)
Autor(a): Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 288
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas.

Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes - prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de Wulfric Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança.

Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém.

Em Ligeiramente Seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.

Morgan, a caçula dos Bedwyn e a única que não herdara o nariz adunco característico da família, tinha acabado de debutar na sociedade londrina quando viajou para Bélgica com uma amiga. Sua intenção secreta era estar perto do local da guerra, e conseguiu, viveu de perto as emoções da Batalha de Waterloo. Foi durante esse período que conheceu Gervase, o conde de Rosthorn, um libertino que há 9 anos vive longe da Inglaterra, após ser condenado ao exílio por seu pai.

As circunstâncias que levaram Gervase à ruína ficam obscuras durante boa parte do livro, mas de uma coisa temos certeza: tem super a ver com Wulfric Bedwyn, o duque de Bewscastle. Eles nutrem ódio um pelo outro, e é o desejo de vingança que leva Gervase a cortejar a doce Morgan. A princípio ela percebe que tem algo estranho nos interesses de um homem bem mais velha por uma dama recém-apresentada à sociedade, mas o passar dos dias revelam um amigo bastante atencioso e um amante caloroso.

Morgan mostra que é uma Bedwyn quando se recusa a voltar para casa por motivos familiares e aproveita o tempo para cuidar dos feridos de guerra. Ela não gosta de ser considerada uma linda cabecinha que não pode ser preocupada com nada, pelo contrário, quer estar a par de tudo, inclusive do perigo. Mas não percebe que o maior perigo está o tempo todo ao seu lado.

A inocência de Morgan entrará em conflito com o desejo de vingança de Gervase. E só o perdão será capaz de desatar os nós que prendem todos às tristezas e rancores do passado.

Naquele momento, Gervase se deu conta de que ela era mesmo uma mulher por completo - uma mulher com um coração terno e com a força e a coragem necessárias para agir. Ele percebera, assim que a conhecera, que Lady Morgan não era uma mocinha afetada, mas agora tinha a prova irrefutável. Naquele dia, naquele momento, ela parecia mais linda do que em qualquer outra ocasião.

Seduzidos causou reações opostas em mim. Às vezes eu estava super envolvida nos fatos, outras me pegava meio entediada, lendo por alto e torcendo pra chegar algo emocionante. Gostei muito da primeira parte do livro que mesclou a ficção com fatos da derrota de Napoleão, misturando por um momento o romance de época com o romance histórico. Foi inteligente e interessante colocar as personalidades históricas como personagens do convívio de Morgan e Gervase. E o mais legal foi que Belogh não se preocupou com a batalha em si, mas sim com o sentimento de quem fica, tanto a despedida quanto a expectativa pelo retorno, e com todo o trabalho decorrente do confronto, pra cuidar de feridos e enterrar os mortos. Morgan me surpreendeu ao sair do alto de sua posição aristocrática e se igualar a cabos, soldados e pessoas normais que lutavam juntas com o mesmo objetivo.

Ela também foi muito madura pra sua idade, não apenas nessa questão da guerra, mas no próprio relacionamento. Cresceu praticamente sem os pais, tendo como referência o irmão, que é praticamente uma pedra de gelo. Ao mesmo tempo que entendia sua insegurança, tinha vontade de dar um sacode nela pra parar de graça e se permitir ser feliz.

Já Gervase, cara, não sei se qualquer outro homem teria agido diferente nos 9 anos de exílio e na oportunidade de vingança. Pelo menos ele assumiu, o tempo todo foi bem sincero quando confrontado. E teve atitudes que me surpreenderam, com muito menos orgulho do que o machismo da época ditava.

Ah! O livro aborda homossexualidade de uma forma sutil, e fiquei impressionada com esse assunto ter surgido num romance de época, já que era um tabu muito grande e quase não é visto na literatura.

Amei a modelo da capa, combina com a Morgan descrita no livro, bem melhor que a Freyja do livro anterior. E, já que tô comparando, não foi o melhor da série, mas também não foi tão decepcionante quanto o primeiro. E os irmãos todos aparecem nesse livro, bem mais do que nos outros, com papel importante na segunda parte da história.

Faltam 2 livros pra acabar a série. Apesar de continuar ansiosíssima pelo último, depois desse fiquei especialmente curiosa pelo próximo. Ai, que tortura essa espera!!!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

9 comentários

  1. Eu sou muito avessa mesmo, eu tenho o Ligeiramente Escandalosos, mas não tenho os anteriores :/
    Eu gosto muito desse gênero, mas acho que acabei ficando um pouco saturada, então não sei se pretendo ler esse e os demais livros da série ainda esse ano.
    Achei bem interessante o fato da Mary abordar a homossexualidade já que, como você mesmo falou, isso era um tabu, e fiquei curiosa pra saber como ela falou disso no contexto.
    Ah, e apesar de não gostar de capas em que aparecem os rostos, essa eu achei bem bonita :) Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem..
    Esse livro é o tipo de livro que fomenta debates essenciais para nosso amadurecimento social..
    O que mais amei nesse livro foi o cenário de guerra,nunca tinha visto isso em um romance de época: a atenção com a veracidade dos fatos, a dor por trás da batalha, o papel de Morgan nesse episódio histórico (que ao invés de fugir como os outros nobres fazem, fica para tentar ajudar e salvar o máximo de homens feridos), o sangue, os mortos, e a sensação de perda e de impotência que uma guerra gera.,esse pilar torna a trama intensa, emocionante e cruel..gostei bastante..
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  3. Estou amando essa série, já li os outros três, doida pra ler esse, a escrita da Mary Balogh é ótima, essa resenha me deixou ainda mais ansiosa em conferi essa história, esse livro parece que vai ser um dos melhores da série.

    ResponderExcluir
  4. Sempre gostei de romances históricos,mas confesso que ultimamente não tenho lido muitos.Inclusive essa série infelizmente ainda não li.
    Me parece uma história super envolvente,e claro que vou ler assim que tiver uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  5. Oi Giulia.
    Eu li o primeiro da série e não gostei dos personagens e nem da escrita da autora. Depois dele, desisti de ler a série.
    Parece que em Ligeiramente Seduzidos há esse mesmo problema depois da primeira parte do livro. Espero que os dois últimos sejam melhores!

    ResponderExcluir
  6. Olá Giulia,
    Sou apaixonada por romance de época, meu gênero literário favorito. Faz tempo que quero ler a série Os Bedwyns, quero muito conhecer a escrita da Mary Balogh, vejo muita gente falando bem da autora, que seus livros vão além do romance e tratam assuntos mais sérios, reflexivos e polêmicos, gosto de livros que trazem algo a mais. Pelo que já li, essa vai ser uma leitura bem envolvente, especialmente pelo cenário histórico abordado, pois amo livros onde a história tem como pano de fundo a guerra. Já fiquei completamente envolvida e cativada com a protagonista Morgan, adoro essas personagens fortes, determinadas e decididas, que não se deixam influenciar pelas regras sociais. Vou tentar organizar minhas leituras e ler o primeiro volume da série no próximo mês.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu só li um livro dessa autora e gostei bastante do modo como ela conduz a trama e insere vários elementos. Interessante ela ter abordado a questão da homossexualidade, que realmente não é recorrente nos livros desse gênero. Fiquei com muita vontade de ler!

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler essa série!
    As resenhas que li de todos os livros são bem positivas, e as personagens pelo jeito são bem fortes e marcantes.
    O que mais me deixou curiosa nesse livro em especial, foi a Morgan mesmo, que apesar de ser nova e inocente, é ousada e corajosa ao mesmo tempo. AMEI! To pensando em ler ele primeiro de tudo kkkk pois amo personagens assim, que vão a luta. Da uma força quando a gente tá desistindo, é só lembrar da personagem kkk
    Nossa, não sabia que abordava a homossexualidade, fiquei mais curiosa agora! Espero que tenha abordado de uma forma respeitosa, sem ser xingando e tal.
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Li um livro da serie Bedwyn que gostei muito e lendo essa resenha fiquei interessada nesse livro mesmo tendo uns momentos de leitura arrastada, achei interessante temos uma historia que não se passa em londrês e gostei de saber que esse livro trás fatos históricos, estou bem curiosa sobre esse casal !!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)