Delícia, Delícia - Donna Kauffman


Título: Delícia, Delícia (Cupcake Club #1)
Autor(a): Donna Kauffman
Editora: Valentina
Nº de páginas: 296
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne, também conhecido como Chef Hot Cakes, o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes by The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas.

Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras... Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!

Prepare o coração e o paladar pra essa leitura, com certeza você vai desejar muitos e muitos doces enquanto vira as páginas. Delícia, Delícia faz jus ao título, e nem pense em deixar de lado o primeiro volume da série Cupcake Club.

Leilani largou a carreira de sucesso na agitada Nova York por um negócio próprio numa cidade pacata e desconhecida do interior. Ela é uma mulher independente, decidida, apaixonada pelo que faz e super dedicada ao trabalho e à família. Não tem medo de grandes mudanças nem dos julgamentos dos outros.

Ninguém tinha ficado mais surpreso do que a própria Lani ao descobrir que, em algum momento durante o período tenso e louco que levara para escolher o nome da confeitaria, instalar os equipamentos de cozinha, encher as prateleiras e os armários com as ferramentas necessárias, e arrumar as vitrines para seus doces... ela se apaixonara. Se apaixonara louca, desesperada e ridiculamente. Por sua própria confeitaria.

Ela estudou muito e conquistou a confiança de Baxter, chef e dono de uma famosa pâtisserie; ele praticamente deixou em suas mãos o sucesso de sua cozinha enquanto passava quase todo o tempo no estúdio gravando seu programa de TV. A relação deles na cozinha era ótima, com muito entrosamento nas receitas e nas conversas. Mas vocês sabem como é quando uma mulher cresce na profissão com um homem como chefe. Já acham logo que ela alcançou a promoção com artifícios além do mérito. As fofocas surgiram, e ela precisou lidar com a pressão e com a má fama sem desfrutar nem um pouco disso. Sim, ela queria algo a mais com Baxter, mas manteve o relacionamento na esfera profissional. Mas um grave problema de saúde do pai a fez pensar melhor se valia a pena continuar se submetendo a tanto stress longe da família e frustrada no amor.

Lani decidiu se mudar e começar do zero, usando toda sua criatividade e talento para dar mais sabor a deliciosos cupcakes. Até que um dia Baxter aparece em Sugarberry para gravar a nova temporada de seu programa. Ele mobilizou toda a equipe e convenceu a produção a comprar sua ideia só pra poder ir atrás daquela que fazia o coração bater mais forte. Só que se enganou bonito quando achou que ela estaria super receptiva a esse sentimento. Baxter e Lani vão descobrir aos poucos que misturar trabalho e emoção pode ser muito bom, mas também pode ser muito complicado!

- Quero conhecer o seu mundo, Leilani, o seu novo mundo. Eu adorei te ter no meu. Sempre achei fantástico o jeito como você simplesmente entrou no único universo que já conheci e o transformou em algo completamente diferente. Sabe, acho que não devia nem estar surpreso por você ainda continuar fazendo o inesperado, escolhendo um caminho que eu nunca teria previsto. Você sempre seguiu seu próprio ritmo. Posso até não saber tudo sobre você, Leilani, mas sou louco por todas as partes que conheço.

Curti muito a história de Delícia, e vou falar todos os motivos que me encantaram. Começamos pela idade dos personagens. Eles são mais velhos, adultos, independentes, já formados e estabilizados profissionalmente, donos do próprio negócio. Os dramas de aceitação não são sobre corpo ou personalidade, aqui envolvem profissão e relacionamento. Aliás, o pilar do livro é o contraste pessoal x profissional. Priorizar a família ou a carreira? Abrir mão da qualidade de vida em prol do sucesso profissional? Ou abrir mão de um cargo tão almejado pra estar mais em paz consigo mesma?

Ambos têm suas próprias convicções, então a princípio é difícil pra Baxter entender os motivos de Lani. Pra ele é um desperdício de talento ela se limitar a cozinhar apenas cupcakes quando a confeitaria tem um mundo de possibilidades à disposição. Mas, apesar das divergências, é possível ver a admiração mútua tanto pessoal quanto profissional. Eles se respeitam pela essência do que são e aos poucos passam a também compreender as motivações do outro.

- Não te quero apenas nua, Lei. Bom, isso não é verdade. Eu sempre vou te querer nua. Mas nada de limites quer dizer exatamente isso. Não se trata apenas de sexo. Eu vou querer seu tempo, sua atenção, sua risada, seus pensamentos. Se formos ter esse tempo, então vou querer tudo de você nele.

Vi algumas resenhas criticando que o livro é lento, a protagonista é insegura, bate muito na mesma tecla. Eu penso totalmente ao contrário, achei o ritmo ideal, nada apressado, totalmente crível. Já não são mais adolescentes ou bem jovens pra cederem à atração física e aos impulsos sexuais, já não se deixam levar apenas pelo sexo. A maturidade já os leva a quererem compromisso e valorizarem sentimento, e mesmo assim usarem o lado racional pra considerar as variáveis trabalho e família.

Já falei sobre a questão machista que o livro abordou bem, mas me admirei quando chegou ao final e eles finalmente ficaram juntos. A relação que a autora escreveu foi de reciprocidade. O livro é narrado em 3ª pessoa, mas o foco alternava entre os personagens. E quando chegou a parte em que falava sobre os sentimentos de Baxter, era gostoso ver como ele queria sim uma entrega de corpo e alma de Lani, mas também queria se entregar completamente a ela. Gostei muito de ver um relacionamento de igualdade, dos dois no mesmo nível, sem um estar no pedestal do outro.

Lani era forte, sua igual, equiparando-se a ele em todas as formas possíveis.
[...]
Ele queria ser o protetor e... o protegido também. Ter alguém para cuidar de seu coração, de seu bem-estar emocional, se não de seu corpo físico. Queria saber que Lani estava lá, que sempre estaria lá, leal àquele desejo, a ele, assim como Baxter seria, de todas as maneiras, em relação a ela.

Fiquei especialmente encantada com a sororidade presente na trama. A amizade entre mulheres tão diferentes e a forma como elas se ajudam foi a cereja do cupcake (já que estamos falando de doce, deixa eu usar metáforas relativas ao tema, né? rs). Nas sessões de boloterapia, mais do que cozinharem, elas faziam confissões, estabeleciam laços. Lani até fazia boloterapia sozinha, mas era muito melhor com a amiga Charlotte, mais legal ainda com o Clube do Cupcake.

Era terapia para manter a sanidade.
O mundo delas duas poderia ser um caos descontrolado, mas confeitar sempre fazia sentido. Farinha, manteiga e açúcar eram partes intrínsecas dela, assim como respirar.

Ainda bem que a Valentina trocou a capa, essa é muuuuuito mais linda que a original. E a diagramação também está bem bacana, principalmente o "Capítulo" escrito com letrinhas decoradas. Achei fofo. *-* Só as páginas brancas que foram vacilo, mas eu relevo porque a história é amorzinho.

Delícia, Delícia foi meu primeiro contato com a escrita de Donna Kauffman e já quero toda a série Clube do Cupcake e os outros livros. Torcendo pra fazer muito sucesso e a editora trazer logo todos pra cá!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

18 comentários

  1. Olá Giulia,
    Fiquei bem curiosa com esse livro quando vi o lançamento, tanto o título como a capa me chamaram muito a atenção, pois adoro livros com enredo de gastronomia, sempre digo que meu pecado é a gula hahaha. Adorei o que li na resenha, parece ser uma história do jeitinho que gosto, com personagens mais maduros e dramas bem reais. Me encantei de ver que a sororidade está presente na trama, que criativo essa forma de sessão de boloterapia. Quero muito ler esse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Me parece que essa história é uma busca feminina pela independência .E acho interessante quando a personagem luta por seus sonhos.
    E me parece que a Lani dá prioridade a realização do seu trabalho sem ficar o tempo todo só pensando em um "príncipe encantado".
    Gostei!

    ResponderExcluir
  3. Oi Giulia, eu li esse já faz um tempinho, e acho que criei tanta expectativa que acabei me decepcionando um pouco. Achei o começo do livro super envolvente, mas já depois da metade, achei alguns dramas desnecessários. Mas acho a leitura válida, principalmente pra quem procura algo despretensioso. E essa capa é um amorzinho mesmo *-* Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Giulia!
    Fui num evento da Valentina e eles apresentaram esse livro mas não me prendeu.
    Depois de ler sua resenha já fiquei com vontade de morder esse cupcake (tentando entrar na metáfora também hahahaha).
    Achei esse livro parecido com os da Rachel Gibson referente a maturidade dos personagens. Tem vezes que cansa só a atração impulsiva e os problemas do passado dos protagonistas....
    A Valentina está cada vez mais arrasando nas capas <3
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem..
    Quando peguei esse livro pensei que loucuras iriam ocorrer nos bastidores, ainda mais com essa linda capa,tive a sensação de que tudo ia pegar fogo,no entanto, a história é um pouco mais profunda,fiquei muito surpresa de uma maneira positiva,não tava esperando por algo tão próximo da realidade,mesmo que sempre tenha o lado da fantasia(como em todo bom romance)tem uma boa dose de realidade que me fez amar o livro,com personagens muito bem construídos e com cenas bem divertidas..
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  6. Ainda não conhecia esse livro, mas já babei pela capa. É bacana saber que os personagens são mais maduros e que o dilema é outro dos livros que estou acostumada a ler, já que isso traz uma mudança. Quero fazer a leitura o quanto antes! Foi para a lista.

    ResponderExcluir
  7. Oi Giulia.
    Gostei bastante da premissa de Delícia, Delícia. Acho que com personagens mais maduros e em outra fase da vida, a narrativa deixa de ser tão frenética, com diversas questões "triviais" rondando os personagens.
    Achei bem interessante o ponto de vista masculino, pois vemos tanto a presença do machismo tanto na realidade quanto na ficção, que achei um toque inteligente da autora ter colocado as preocupações e decisões de Lani e Baxter de igual para igual.
    Com certeza vou ler esse livro.
    Achei a capa muito fofa!

    ResponderExcluir
  8. O livro já foi me ganhando pela capa, e agora pelo sua resenhas, fiquei extremamente curiosa!
    Sério, parece ser muito gostoso de ler, não só porque tem doces kkkk
    Os protagonistas pelo jeito são maduros e responsáveis o suficiente para lidar com seus medos, fracassos, sonhos, além de correr atrás do que querem.
    Por falar na trama sobre machismo e sororidade, já me ganhou mais uma vez!
    Curiosidade me define kkkkkkkk
    É que é impossível olhar pra essa capa tão linda e não querê-la pra si kkkk
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Li esse livro e gostei muito essa historia, primeiro foi um livro que foi me conquistando aos poucos, achei bem interessante esse enrendo e principalmente temos um pouco do universo gastronômico aqui que me fez ficar o livro inteiro com vontade de fazer cup cake, também achei legal a autora ter tratado de temas como vida profissional e família e adorei essa capa que está linda !!

    ResponderExcluir
  10. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser deliciosa.

    ResponderExcluir
  11. Sempre me encanto com livros de romance clichê, principalmente esse mais lentos que vão mostrando de vagar como os personagens vão se envolvendo, e o casal já não fica de primeira, e se apaixona assim que se vêem, e isso de certa forma foi o que mais me chamou a atenção na sua resenha, claro que a premissa da estória também me pareceu encantadora, quero muito ler esse livro.

    ResponderExcluir
  12. Oie fiquei encantada com a capa, a temática, a resenha e os personagens.
    Esse livro me representa, gosto muito de doces e de praticar a culinaria doce, é tudo tão delicado e lindo. E o livro está divino, estou curiosa para apreciar essa leitura e aprender e me encontrar junto com a Leilane.Assim como o livro te encantou sei que também vou me encantar.
    Obrigado pela resenha e nos mostrar que o livro tem muito a nos ensinar e divertir.
    Bjoes

    ResponderExcluir
  13. Sua resenha me fez pensar em ler este romance. Também li algumas resenhas sobre ele e muitas falavam negativamente sobre o tema. Mas você conseguiu me convencer a ler. Gostei de conhecer os personagens e saber que eles são mais centrados e maduros. Com certeza vou querer ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Achei bacana o fato dos personagens serem mais velhos, com certeza o romance é mais maduro e tudo mais.
    Essa coisa de pessoal e profissional citados no livro também é muito legal!
    E tem coisa mais fofa que cupcakes? Não, não tem! haha

    ResponderExcluir
  15. Gosto do fato de os personagens já serem mais velhos e terem carreiras estabelecidas. Já estava com muita vontade de ler e depois desse resenha incrível então, não resta dúvidas.
    Bjs :-* .

    ResponderExcluir
  16. Não negarei minha curiosidade sobre este livro. Quando o vi pela primeira vez, imaginei que se tratava de mais um livro de receitas, mas para minha surpresa, ele trata de um romance cercado de ótimos personagens e uma narrativa leve, divertida e que merece ser lida. Lerei com toda a certeza.
    Bjs, Giulia!

    ResponderExcluir
  17. O livro me parece bem interessante. Nada daqueles romancesinhos de adolescentes, e sim, uma história de pessoas maduras, que prezam o lado profissional. Fiquei super curiosa para saber como seria esse amor em meio à culinária.

    ResponderExcluir
  18. A primeira vez que vi a capa do livro achei tratar-se de história de adolescentes e quão errada eu estava. Na época do lançamento eu não me interessei muito, tanto que nem li nenhuma resenha sobre ele. Agora estou vendo como perdi tempo e estava enganada. Amei a resenha e estou muito curiosa sobre o desfecho da história.

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)