Aprendendo a Seduzir - Patricia Cabot


Título: Aprendendo a Seduzir
Autor(a): Patricia Cabot
Editora: Essência
Nº de páginas: 368
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

O que qualquer mulher faria se flagrasse o noivo aos beijos com outra mulher?
Cancelaria o casamento e nunca mais colocaria os olhos no desalmado traidor. Certo?
Não lady Caroline Linford.
Apaixonada pelo belo e galante marquês de Winchilsea, ela não se dá por vencida e resolve ir em frente com o casamento. Afinal, lady Linford ama seu prometido.
Com o intuito de se tornar o único objeto do desejo de seu noivo, ela convoca o renomado Braden Granville, mestre na arte da sedução, para, com ele, aprender a ser a melhor amante que Winchilsea pode vir a ter.
Porém, a aluna se torna tão aplicada que arrancará mais que elogios de seu professor...

Lady Caroline Lindford é uma grande e completa tola! Seu irmão foi baleado e só não morreu graças ao rápido socorro prestado por Hurst, o Marquês de Winchilsea. Ele também prestou apoio durante o período de recuperação, o que fez com que se aproximasse de Caro. Assim, ela ficou tão agradecida que se sentiu no dever de aceitar o pedido de casamento dele.

Até aí tudo bem, ela precisava mesmo se casar, nada mais justo que fosse com o homem que salvou a vida do irmão. Só que numa noite as coisas mudaram - ou pelo menos deveriam ter mudado. Percebendo a ausência do noivo, Caro resolve procurá-lo e o encontra... debaixo das pernas de uma dama! Não, ela não estava enganada, eles estavam fazendo coisas que ela sequer imaginava.

O que eu, você e qualquer pessoa normal faríamos? Um escândalo! Mas não! Ela não apenas sai de fininho como mente pra Braden Granville, o noivo da tal dama. E no ápice de sua falta de noção, pede a esse mesmo homem, cuja fama de libertino percorre toda Londres, para ensiná-la as artes da sedução. Quando a gente acha que a lerdeza da pessoa chega a um limite absurdo, ela se supera chegando para a primeira aula com um caderninho a fim de anotar todas as lições de como seduzir um homem.

- Bem, na verdade, senhor Granville, o que preciso é... preciso que o senhor me ensine a fazer amor.

Braden até tenta se recusar a ensinar tal absurdo, mas Caro tem um argumento infalível. Para ele cancelar o casamento, teria que enfrentar a fúria da noiva, visto que ela, apesar do título, não tinha dinheiro algum. Caro estava disposta a depor em seu favor dizendo que a viu em uma situação comprometedora, omitindo o nome do homem; em troca, Braden seria o seu professor. Negócio fechado! Mas, venhamos e convenhamos, esse tipo de lição não pode ser teórica, não é mesmo? E essa é a mesma conclusão à qual eles chegam. Bem, não muito de acordo, não muito convencidos de que estavam agindo certo, não muito confortáveis.

Fato é que de aula em aula novos fatos foram aparecendo, novos sentimentos foram descobertos, novas emoções foram vivenciadas. A única coisa que não mudou foi a lerdeza de Caroline, que do início ao fim do livro me deu uma irritação profunda por agir sempre com excessiva passividade.

Meg Cabot fez parte da minha adolescência com O Diário da Princesa quem nunca? e com Tamanho 42 não é gorda história da minha vida. De lá pra cá, não vejo mais tanta graça em seus livros porque deixei de ser o público-alvo, então prefiro nem reler pra não substituir as boas memórias que tenho das tardes passadas no sofá devorando suas histórias. Cresci, descobri a Patricia e achei que assim conseguiria voltar a ler Cabot. Não sei se comecei pelo livro errado ou se tava enganada mesmo.

Aprendendo a Seduzir até tem uma premissa legal, mas a protagonista me incomodou muito. Uma das características mais marcantes do romance de época é a mocinha à frente do seu tempo, independente, disposta a romper com os padrões da sociedade, E definitivamente não é isso que a gente encontra aqui. Ah, mas ela ousou ao pedir pra ter aulas de sedução. Jura? Dá uma olhadinha pro objetivo: se tornar a mulher ideal pra fisgar o noivo e não deixar ele ter olhos pra outra. Ah, me poLpa!

Tudo gira em torno de homem ali... Ficou noiva por agradecimento à dedicação do cara, não quer destruir sua reputação, quer se adequar às necessidades dele em detrimento das suas próprias... Não dá, péssima mensagem! Mesmo que a gente enxergue uma evolução na personagem, mais uma vez é graças ao homem que ela muda de vida. Macho salvador, a gente vê por aqui. Menos, bem menos, quase nada!

Nada que a senhorita faça ou diga mudará isso. Não pode forçar ninguém a se apaixonar pela senhorita. Poderá provocá-lo por um tempo. Poderá conquistar seu respeito, até sua admiração. Mas amor... amor verdadeiro... Isso é algo que poucos encontram, e pouquíssimos são capazes de mantê-lo, quando conseguem achá-lo.

Pelo menos Braden tem um resquício de sanidade e algumas falas mais lúcidas, isso até ele parar de pensar com a cabeça de cima. Mas aí sacomé, né? Se encanta com a inocência, descobre o fogo por traz da aparência virginal... Tão linda essa visão "dama na sociedade, prostituta na cama"... SQNUNCA!

Destaque mais que especial pra Emily, a amiga de Caro. Ela é feminista assumida, daquelas ativistas, que vão pra rua manifestar e chegam a ser presas por sua audácia. Aí sim eu vi vantagem! Não tô dizendo que todo mundo tem que fazer isso, mas foi um belo de um contraste com a lerdeza de Caroline.

- Você se preocupa demais em fazer outras pessoas felizes - disse Emily, com firmeza. - E você, Caroline? O que você quer?

Ah, sim! Não tem como não notar a experiência da autora na escrita. Sabe aquele final de capítulo que parece novela, termina na melhor parte e você tem que esperar o dia seguinte pra saber o que vai acontecer? Era esse o sentimento durante a leitura. Aí não tinha como parar, precisava de "só mais um capítulo" pra não perder o fio da meada. E assim a história ia evoluindo.

A capa que está aqui na resenha não combina muito com a história, mas também tenho que admitir que é linda. Temos percebido uma onda de valorização do gênero, perdendo o status de "romance de banca" e conquistando muitos corações. As capas acompanham essa tendência, e a Essência não ficou pra trás. A capa antiga não era feia, também não tinha muito a ver com a história, mas, já que é pra não ter ligação, essa ficou mais bonita.

A escrita é fluida, a ideia é boa, a maioria dos personagens são bacanas, mas a mensagem e a protagonista me irritaram de uma maneira tal que a vontade de desistir era grande. 3/4 de livro e eu ainda sentia vontade de dar um sacode em Caroline. Por isso a nota baixa. E por isso ainda vou dar outra chance à Meg/Patricia com Pode Beijar a Noiva, esperando que esse não me decepcione. Torçam por mim!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

12 comentários

  1. Essa nova capa de Aprendendo a seduzir está realmente maravilhosa, mesmo não estando relacionado com a história.
    Até hoje só li um livro da Meg Cabot (na minha infância) e como eu amo romance de época, fiquei curiosa para ler esse livro e relembrar a sua escrita, mas agora fiquei na dúvida se leio ou não :/. Eu não sabia que a protagonista era desse jeito (aff) mas em compensação a Emily já tem todo o meu amor <3
    Adorei a resenha, beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Uma pena que não tenha gostado taaaaanto assim. Talvez seja por crescer mesmo, ou por já estar acostumada com a escrita e livros dela? Não sei, mas espero gostar dele. Tenho aqui e está pra ser lido. Torcendo pra não sair dessa leitura irritada com a personagem :S

    ResponderExcluir
  3. Sou uma grande fã de romance de época, adoro o contexto social retratado, em especial este em que a protagonista é traída antes de se casar e convoca um libertino para ser seu professor na arte de sedução para passar a ser o único objeto de desejo de seu noivo. Vou tentar ler esse livro ainda esse ano, pois como já disse, adoro romance de época e quero saber como será o desenrolar de toda esta história.
    Bjs, Giulia!

    ResponderExcluir
  4. Olá Giulia,
    Acredita que ainda não li nada da Meg Cabot? Mas desse ano não passa! Estou em dúvida em qual livro ler, mas com certeza será um dos romances de época assinado por Patricia Cabot, e a escolha está pesando para A Rosa do Inverno. Sou fã de romance de época, adoro o contexto social retratado, e pelo que percebi a autora gosta de abordar em seus livros uma sociedade bem machista, que sem dúvida, é um tema que sempre está presente nas histórias de livros desse gênero, e infelizmente, por ainda refletirem em muitas ações atualmente. Vou deixar esse livro na lista para ler futuramente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Giulia!
    Amo os livros da Meg, porem já os li depois de adulta. Já li muitos livro dela, mas ainda não deixei de ver a graça nos livros como ocorreu com você.
    Gostei bastante desse livro, porem acho que você pode ter certa razão ao dizer que começou com livro errado. Acho que você pode ter a mesma sensação com pode beijar a noiva. Recomendo a Rosa do Inverno e retrato do meu coração.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ih,quando a personagem principal nos desagrada nesse grau,a leitura muitas vezes se torna lenta.
    Já li os dois primeiros livros da série O Diário da Princesa. Apesar de já na época ter passado do público alvo do livro. Mas gostei,RS.
    Quem sabe eu me surpreenda com esse? :)

    ResponderExcluir
  7. Oi Giulia!
    Amo Meg Cabot (quem não a ama né?) mas nunca li seus livros como Patricia Cabot.
    Concordo com vc que hoje em dia tb não sinto mais graça com os livros dela...quando leio o nome dela nas capas penso que irei amar mas quando vou ler...me decepciono...um exemplo foi a duologia Insaciável...nem quero comentar!
    A premissa de Aprendendo a seduzir é boa e confesso que dei risada com a Caro chegando no primeiro dia de "aula" com um caderno e a caneta kkkkkk Fiquei curiosa para saber o final e quem sabe mais pra frente eu leio =)

    ResponderExcluir
  8. Oi tudo bem...
    Primeiro de tudo essa capa e maravilhosa ..
    Aprendendo a seduzir foi uma leitura que me surpreendeu,a narrativa deixa transparecer todos os costumes da época e nos transporta para a história, com uma escrita descritiva, fluída e envolvente,adorei ler principalmente por amar romances de epoca..
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que você, infelizmente, começou pelo livro errado da Patricia Cabot. Eu também estou lendo esse e confesso que empaquei na leitura por detestar a Lady Caroline, então te entendo. Mas Liberte Meu Coração é um livro maravilhoso (embora esteja assinado como Meg mesmo) e você deve ler assim que puder. Acho que desse você pode gostar.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Giulia.
    Da Meg Cabot eu só li a série A mediadora e gostei. Acho que teria gostado mais se tivesse lido quando era mais nova.
    Pela sa resneha deu para ver que você realmente ficou irritada com a lerdice da Caroline rsrs mas você tem razão, nos romances de época as protagonistas geralmente estão a frente da sua época e por isso são "solteironas" ou não elegíveis para o casamento.
    Como não li nada da Patricia Cabot, vou dar uma chance a Aprendendo a Seduzir, mas vou com as expectativas baixas. Pelo menos a escrita é fluida e prende a atenção do leitor.
    Também achei essa capa bem mais bonita que a anterior.

    ResponderExcluir
  11. Também achei a capa linda, mas a história realmente não é pra mim!
    Já não curto muito livros hot, com essa protagonista boba, aiii gente, que raiva me deu só lendo a resenha kkkkkk
    Tipo, ela é corna e aceita?E acha que precisa aprender a "entreter" o futuro marido, como assim????
    Não gostei não. Provavelmente não lerei.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Esse é um livro que está na minha lista de leitura, gostei muito dessa historia que me deixou curiosa, achei os personagens interessante e principalmente o enrendo com esse começo maluca, ainda não li nenhum romance de Meg Cabot para estou bem curiosa para conhecer a escrita da autora nesse gênero tão diferente dos outros livros que li dela !!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)