Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar - Sarah MacLean


Título: Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar (Os Números do Amor #1)
Autor(a): Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 384
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Cultura
Nota:

A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.

E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para
cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.

Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.

Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Aos 17 anos, Calpúrnia teve um encontro marcante com o marquês de Ralston nos jardins de um casarão quando fugia de um baile. Era sua primeira temporada, mas ela já pressentia seu fracasso na sociedade, especialmente por conta do seu nome incomum, de sua beleza nem um pouco exuberante e dos vestidos estranhos que sua mãe a obrigava a usar. Ele a tratou com bastante atenção, fazendo elogios e elevando a autoestima da moça, mas, quando ela achou que poderia ser alguém importante pra ele, se deu conta de que apenas era um inconveniente pros planos do marquês; ele precisava do local para um encontro secreto com outra mulher. Ela assistiu tudo escondida, e as imagens dos beijos ardentes nunca saíram de sua cabeça.

10 anos depois, Callie nunca foi beijada, mas não deixou de acreditar no amor. Leu todos os livros que pôde e sonha com o dia que seu Ulisses chegará, só que isso parece cada dia mais impossível, ainda mais agora que sua irmã caçula está noiva. No baile de noivado, ela deu uma fugidinha e acabou parando no escritório do irmão,que sem querer incentivou-a a agir com mais ousadia, a ir além. Soma isso com um tantinho de bebida... pronto! Ela escreveu uma lista com 9 itens que gostaria de fazer caso não precisasse se preocupar com sua reputação.

Beijar alguém... apaixonadamente
Fumar charuto e beber uísque
Montar com as pernas abertas
Esgrimir
Assistir a um duelo
Disparar uma pistola
Jogar (em um clube para cavalheiros)
Dançar todas as danças de um baile
Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.

Já estava meio alegrinha, com ideias novas na cabeça, e, pra piorar a situação, ouviu em uma conversa que mania de ficar escondida espiando, Callie! sua irmã e seu cunhado a chamado de passiva, usando o futuro do pretérito pra indicar que ela seria uma boa mãe. Pronto, acabou com a menina! Dois segundos e meio de falta de juízo, e ela se vê saindo de casa - escondido, porque já deu pra perceber que ela é dessas - e batendo na porta de Gabriel St. John, o tal marquês que há uma década povoa seus pensamentos. E num momento ímpar de coragem lhe pede um beijo.

Foi tudo aquilo que ela esperava e mais um pouco. Mas não, não era paixão, e sim um acordo. Gabriel acabara de descobrir que tinha uma meia-irmã, fruto do relacionamento da mãe com um italiano, e agora ela estava sob sua responsabilidade e precisava ser apresentada à sociedade. Quem com uma reputação melhor do que a de Callie pra amadrinhá-la? Ela apareceu como a solução para todos os seus problemas. SQN!

- Acho que estou muito satisfeita pelo senhor ter cumprido sua parte no acordo.
- Bastante agradável não deveria ser o que está procurando. Nem o beijo deveria deixá-la satisfeita.
- Como ele deveria me deixar?
Gabriel então a beijou. De verdade.
E ela se perdeu.
- Beijos não devem deixá-la satisfeita. Eles devem deixá-la querendo mais.

Agora ela já poderia riscar o primeiro item da lista, e ela tomou o gostinho pela aventura. Entre ajudar a irmã St. John a aprender as regras da sociedade londrina, conviver com o marquês Ralston, se disfarçar pra viver novas aventuras e riscar outros itens da listas, Callie vai descobrir que o amor é tão perigoso quanto delicioso.

Nunca tinha lido Sarah MacLean, mas em se tratando de romance de época a gente pega sem medo. E não me arrependi! Foi uma leitura ótima, bem envolvente e rápida. Deu até agonia porque não podia parar pra me dedicar ao livro, então ia lendo de 1 em 1 capítulo em qualquer intervalo que eu tivesse até completar.

Claro que deu uma raivinha da Callie em alguns momentos, de gabriel em outras, mas o ser humano é assim, né, minha gente? Cheio de manias e defeitos como eu e você, com suas paranoias que por muitas vezes impedem de seguir rumo à felicidade. Os traumas pessoais foram bem trabalhados, cada um com seus motivos para manter um pé atrás e não se jogar de cabeça no relacionamento.

Nunca experimentara nada como aquilo... nada como ela. Nunca estivera com uma mulher tão aberta e livre... nunca conhecera nenhuma tão disposta a dar e a receber e a abraçar a paixão com uma vontade tão poderosa. Nunca conhecera ninguém como ela.

Entenderam que eu gostei do romance? Ok, agora tira o foco dele e vamos falar de outra coisa. Toda essa libertação da protagonista poderia ter acontecido sem o vínculo TÃO forte com um homem. Gosto da pegada feminista dos romances de época, que mostram protagonistas à frente do seu tempo, independentes, ousadas. E Callie teria tudo pra ser assim, mas Ralston está o tempo inteiro guiando seus passos, dando a ela uma pseudoindependência. Seria muito mais legal se ela conseguisse romper com os padrões, acessar os locais proibidos e cumprir toda a sua lista sem a mãozinha dele.

Ah! Não entendi esse título. É uma tradução quase fiel à original, mas ficou esquisita, porque no fim não teve muito a ver com a história. Ficou com cara de livro de autoajuda. E não é exagero, eu já tinha essa impressão quando ouvi uma menina contando que perguntou sobre ele na livraria e a atendente mandou procurar na seção de autoajuda. ¬¬ Então, né?

A capa é padrão Arqueiro de qualidade, com bom gosto e sem aquela cara de romance de banca. As próximas da série também são lindas, e é claro que eu quero ler as histórias do gêmeo de Gabriel e da meia-irmã deles. ♥

Mais uma ótima série que eu comecei, pra lista de incontáveis que estão pela metade e que não consigo definir de qual gosto mais. hahahaha!

9 comentários

  1. eu só tenho um arrependimento, ter começado a ler os livros da Sarah tão tarde! ela tem um jeito único e especial de escrever, ela transformou uma situação de séculos atrás em algo atual e super envolvente de ler
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. livro de autoajuda kkkkkkk essa foi boa, estou doida pra ler esse livro, curto muito romance de época e gosto muito da escrita da Sarah MacLean, e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  3. Fora esse negócio de livro de autoajuda (eu li sobre aquele caso lá...) acho que é um baita livro, independentemente do título um tanto estranho.
    Estou louca pra ler, até porque já vejo muitos elogios aos livros dessa autora e queria conferir algo. Vai ser com esse que vou começar. Adorei a história e a pegada feminista em livros assim é bem bacana de conferir, também gosto. Essas garotas fortes e fora do padrão rendem bons romances do tipo. Não sei se a parte do homem lá na história vai tirar um pouco a graça de alguma coisa, mas está valendo né. Faz parte da trama, não? Ahh, só lendo também pra entender.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Giulia. Tudo bem?
    Nove regras a ignorar antes de se apaixonar já está na lista de desejados desde que a editora anunciou o lançamento. Achei a premissa bem interessante e gostei bastante da sua resenha, trouxe os elementos que instigaram a minha curiosidade para saber mais do livro, principalmente por ser meu gênero preferido. Gostei de saber de toda essa sedução e romance, inclusive o tema forte como o feminismo, também presente na trama. A capa padrão é muito bonita, mas concordo com você sobre o título; ele parece livros de autoajuda, hahá!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Realmente se só tivessem me falado o nome eu pensaria que é um auto ajuda! Mas quando vi a capa vi que se trata de um romance de época (a capa é linda demais!), mas nem imaginei que fosse algo assim. Eu gosto quando tem romance (e muito) em romances de época, mesmo a "mocinha" sendo toda a frente de seu tempo.

    ResponderExcluir
  6. Oi Giulia,
    Sou fã de romance de época, é meu gênero literário favorito, então esse livro está na lista de desejados desde quando vi o lançamento. Faz algumas semanas que tive meu primeiro contado com a Sarah Maclean, li Entre o Amor e a Vingança da série O Clube dos Canalhas, e posso afirmar com extrema segurança que virei fã da autora! Amei demais a forma como ela escreve, especialmente o modo de como ela criou a protagonista. Como adoro essas protagonistas que fogem totalmente das regras impostas pela sociedade já sei que vou gostar da Callie, estou curiosa pra conferir as aventuras dela, bem como acompanhar seu crescimento pessoal. Esse Gabriel parece ser mais um daqueles libertinos irresistíveis.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Oi Giulia, eu também ainda não li nenhum livro da Sarah MacLen, e de todos os livros dela que estão na minha lista, esse é o que eu mais tenho vontade de ler no momento.
    Eu o adicionei na minha lista assim que eu vi a sua divulgação, eu achei a premissa muito boa e essa capa está linda!
    E adorei o ponto que você colocou sobre a "liberdade" da Callie, apesar de ainda não ter lido o livro, eu entendo e concordo com você. E eu rir com a história desse título de autoajuda kk
    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Oi Giulia!
    Esse livro tbm foi meu primeiro contato com a autora, já li a série dela inteira em inglês mesmo e a outra série dela publicada pela Gutenberg e amei! Super recomendo! Acho que por ser um titulo longo eles fizeram o melhor que puderam na tradução dele até mesmo para manter um padrão para série. Tbm amei as artes da capa dessa série que a arqueiro já divulgo nos eventos que teve pelo pais.
    Bjs

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)