Dama da Meia-Noite - Cassandra Clare


Título: Dama da Meia-Noite (Os Artifícios das Trevas #1)
Autor(a): Cassandra Clare
Editora: Galera Redord
Nº de páginas: 560
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Cultura | Fnac
Nota:

Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada. O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro – mas eles nunca podem se apaixonar. Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança – e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas … antes que o assassino coloque eles na mira. Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais – e ela pode suportar saber a verdade? A magia e aventura das Crônicas dos Caçadres de Sombras tem capturado a imaginação de milhões de leitores em todo o mundo. Apaixone-se com Emma e seus amigos neste emocionante e de cortar o coração no volume que pretende deliciar tantos novos leitores como os fãs de longa data.

Resenha dupla com o Leo, representando o blog Recanto da Mi

Sebastian Morgenstern raptou Caçadores de Sombras pelo mundo inteiro, enfeitiçando-os e tornando-os seus soldados Crepusculares, com o objetivo de destruir a Clave, dando assim início à Guerra Maligna. Ao lado do Povo das Fadas, ele quase alcançou seus objetivos, mas foi impedido por Jace Herondale e Clary Fairchild, que alcançaram o título de celebridades por conta de seus feitos.

Cinco anos depois, Emma Carstairs ainda tem as marcas da guerra em si. Seus pais foram assassinados e a Clave colocou suas mortes na enorme cota de Sebastian Morgenstern. Porém, Emma nunca acreditou que o vilanesco Sebastian fora o responsável pela morte de seus progenitores. As condições em que seus corpos se encontravam, com marcas ritualísticas, não condiziam com o perfil assassino do garoto.

Desde então, Emma investiga o que realmente aconteceu com os pais, tentando provar à Clave de que está certa. Agora, ela vive no recém reconstruído Instituto de Los Angeles, junto de Julian Blackthorn e sua família. O pai de Julian foi morto durante a Guerra Maligna e o menino precisou assumir as rédeas da criação de seus quatro irmãos mais novos, quando tinha apenas doze anos.

Emma e Julian são parabatai. Os dois sempre foram muito próximos e eram excelentes quando trabalhavam juntos, então pareceu natural passarem pela cerimônia após o fim da Guerra. Julian é o maior confidente de Emma, o único que sabe o quanto descobrir a verdade por trás da morte de seus pais é importante para ela.

Durante uma investigação, ao lado de sua nova amiga Cristina - uma Caçadora de Sombras da Cidade do México, que está fazendo intercâmbio em LA -, Emma descobre um corpo que está exatamente nas mesmas condições que seu pai e sua mãe foram encontrados, cinco anos antes. Essa é a primeira pista precisa que a menina obtém e mesmo com os Irmãos do Silêncio pedindo para que se afaste, ela não medirá esforços para conseguir mais.

Julian passou dois meses na Inglaterra, visitando sua família, e logo que volta, Emma não tarda em contar suas descobertas ao parabatai. Só que Julian está diferente, parece estar distante e tratando Emma de forma indiferente. Ela não sabe o que aconteceu, mas precisa de Julian mais do que nunca e quer seu amigo de volta.

Ao investigar mais com Diana sobre o corpo que encontrou, a tutora do Instituto conta que a Clave já tinha conhecimento de outras mortes em iguais circunstâncias, tanto de mundanos quanto de membros do Povo das Fadas. Após terem ajudado Sebastian na Guerra Maligna, uma lei, conhecida como Paz Fria, tirava as fadas da tutela dos Acordos e, consequentemente, da proteção dos Nephilim.

Então, é uma grande surpresa quando uma comitiva do Povo das Fadas surge no Instituto fazendo uma proposta aos Caçadores. Eles querem descobrir quem está por trás da morte dos seus e precisa da ajuda dos Nephilim. Aliar-se às Fadas é totalmente contra a Paz Fria, mas os feéricos têm um excelente instrumento de barganha, Mark Blackthorn.

Há cinco anos, Mark, que era metade feérico, foi recrutado e levado pela Caçada Selvagem e, desde então, Julian e os irmãos não tinham notícias dele, que não poderia voltar para casa se não fosse liberado. A proposta das fadas era simples: Julian e Emma encontrariam os responsáveis pelas mortes e lhes entregariam para que aplicassem sua própria justiça e, em troca, dariam a Mark o direito de escolher se retornaria com a Caçada ou se ficaria com a família no Instituto.

Sem saída, Julian aceita a proposta, querendo ter seu irmão de volta à família. O problema é que esses anos longe de casa transformaram Mark e o garoto que fica ali para ajudar na investigação não é o mesmo que Julian conhecia tão bem.

Munidos com apenas uma única pista, os Caçadores de Sombras precisarão desvendar esse mistério antes que o prazo de quinze dias se esgote. Serão eles capazes de atingir esse objetivo e ainda manter segredo da Clave? E será Emma capaz de suportar a verdade por trás da morte daqueles que tanto amava?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

LEO: Quando comecei a ler Os Instrumentos Mortais, lá em 2012, a série não passava apenas uma trilogia. Pouco depois, Cassandra Clare resolveu expandir seu universo e atualmente já temos dez livros publicados sobre os Caçadores de Sombras, isso sem falar do Códex e do livro extra As Crônicas de Bane. Confesso que não li Cidade do Fogo Celestial e quando solicitei Dama da Meia-Noite, não sabia muito bem o que esperar.

Um primeiro ponto a destacar refere-se ao amadurecimento na escrita de Cassandra Clare, que é palpável logo no primeiro capítulo. Assim que iniciei a leitura, já me vi preso em sua narrativa e querendo desbravar suas mais de quinhentas páginas em uma única sentada. Concluí a leitura em dois dias, fazendo pausas apenas para ter um pouco de vida social, mas sempre voltando à obra assim que podia.

DREEH: Dama da Meia-Noite é narrado em terceira pessoa, mas não acompanha somente uma única visão. Claro que grande parte da trama é escrita na perspectiva de Emma ou de Julian, mas outros personagens também são seguidos, o que expandiu ainda mais o conhecimento do leitor sobre o que acontecia ali.

Emma é uma protagonista fabulosa. Logo de cara me apaixonei por seu jeito astuto e determinado, além de sua personalidade espertinha e sarcástica. Julian também é maravilhoso, mas confesso que em certos momentos sua "perfeição" me incomodou um pouco. Ver os dois juntos é como ver uma combinação perfeita. É óbvio que os dois se amam, mais do que é permitido aos parabatai, mas apenas Julian parece ter total consciência disso, enquanto Emma ainda se pergunta por que pensa tanto no amigo.

LEO: Para mim, esse é o único defeito do enredo, o clichê do romance. Por serem parabatai, Emma e Julian não podem ficar juntos como um casal. Onde vimos essa questão de amor proibido anteriormente? Ah, sim. Quando Clary e Jace acharam que eram irmãos e quando Will se apaixonou pela feiticeira Tessa. Achei que Cassandra poderia ter evitado esse plot repetitivo e, aí, a história teria sido perfeita.

Ou não. Falando em Clary e Jace, meio que peguei raiva dos dois nesse livro. A todo momento, a sombra do casal surgia na história, por conta de Cassandra querer associar essa nova série com a anterior e mostrar a relação dos novos protagonistas com os antigos. Vê-los aqui, cinco anos depois, até foi legal, mas se tornou enfadonho e desviou o foco da escrita da autora.

DREEH: Mais uma vez, Cassandra conseguiu me fazer me apaixonar por todos os personagens criados. Os irmãos de Julian são fantásticos, mas meu favorito de longe é Mark, que deu grandes lições através de sua vida taciturna. Os gêmeos Ty e Livvy são como unha e carne, um completando o outro, mesmo com Ty recusando-se a ser parabatai da irmã. O modo de pensar do menino é único, diferente de tudo aquilo que os Nephilim conhecem, e foi impossível não me afeiçoar a ele. Drusilla é apaixonada por filmes de terror e tem um jeitinho fofo e inocente que encanta a todos. E o caçula, Tavy, é muito queridinho, aquele tipo de criança que você tem vontade de morder.

Quanto ao final, foi de tirar o fôlego. Anteriormente, conseguia prever mais ou menos o desfecho dos textos da autora, mas aqui o clímax me pegou de jeito e nem vi de onde ele veio. Cassandra me surpreendeu de uma forma, que quando a revelação aconteceu dei um berro, não acreditando no que estava acontecendo. Além disso, o livro é tão repleto de reviravoltas e ação, que fez com que não caísse na monotonia.

LEO: A edição física do exemplar está maravilhosa, mais um trabalho sensacional da Galera Record. A capa é uma adaptação da original e é uma das mais bonitas que já vi. As páginas são amareladas, a fonte é média e o espaçamento é bom. Mais uma vez a revisão deixou a desejar, encontrei muitos errinhos bobos durante a leitura, que me incomodaram sim. Esperava um cuidado a mais. Minha edição ainda conta com a capa holográfica e o capítulo extra - que confesso que ignorei. #shameonme.

Dama da Meia-Noite é um ótimo livro que dá início a uma trilogia que promete agradar até o fã mais exigente. Cassandra Clare se superou e já estou ansioso pelos próximos volumes, assim como pelas outras séries. Com certeza recomendo a todos!
Andressa Leal
Andressa, Dressa, Dreeh. Carioca e Tricolor. Na casa dos vinte. Futura noiva. Viciada em The Sims, fotografia e livros. Acredita que ter um blog é a melhor forma de juntar sua profissão com suas paixões.

7 comentários

  1. Andressa, mesmo não ter lido nenhuma das obras de Cassandra Clare, sei o quanto ela é amada por muitos leitores e como suas histórias são cheias de aventuras e de personagens únicos e inesquecíveis. Eu soube recentemente do lançamento desta nova trilogia, que por falar, tem uma linda capa e uma história muito intrigante. Confesso que me senti meio perdida por não conhecer os personagens e o mundo criado, mas espero mudar essa situação em breve e me apaixonar por toda a serie, como aconteceu com muitos.
    Adorei a resenha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Caramba, amo taaaaanto os livros dela! E o que estou gostando de ver é que o final está surpreendendo muita gente. Tá todo mundo dizendo que esse final não podiam prever, ou que ficaram chocados e etc. Aqui de novo. E não sabem o que esperar. Espero que seja bom mesmo, estou louca pra ler esse e ver o que ela conseguiu criar. Parece bom.

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Acredite se quiser ainda não li nada da Cassandra! Mas fiquei animada com essa trilogia. Nunca li nada sobre anjos (ou meio anjos) então estarei dando uma chance aos dois. E esses clichês eu até gosto as vezes, até pq amo um romance!

    ResponderExcluir
  4. Olá Andressa,
    Fazia um bom tempo que queria ler os livros da Cassandra, há apenas algumas semanas tive meu primeiro contato com sua escrita lendo o primeiro volume de Instrumentos Mortais, e nossa! Por que não iniciei a leitura antes?! Apesar de não ter os outros livros na estante, não resisti essa edição maravilhosa e garanti o meu exemplar hahah. Mas antes vou ler primeiro os demais livros das séries anteriores (de preferência todos nesse ano), para depois devorar Dama da meia-noite.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler esse livro, curto muito a escrita da Cassandra Clare e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história, gosto muito de sobrenatural.

    ResponderExcluir
  6. Oi Leo e Dreeh!
    Já li o livro e amei, tbm estou louca pelo próximo livro o final realmente conseguiu me surpreender e quero muito saber o que a autora fará com a saga. A edição esta lindíssima, eu não consegui achar o errinhos comentados, porem devia estar tão entretida que nem notei rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto muito da escrita da Cassandra e gosto da forma como ela não deixa nada em aberto, e como uma coisinha que ela cita tem toda uma história por trás e que em algum momento ela acaba nos revelando.
    Na rápida aparição da Emma e do Julian em IM, eles já conseguiram
    me conquistar, e fiquei agora curiosa pra saber sobre esse final. E já vi algumas pessoas reclamando sobre essa menção de citar toda hora o Jace e a Clary, e deve ser realmente muito chato :/
    Pretendo ler em breve, beijo!

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)