{ na plateia } Queimando o Filme

Fabio Rabin, em seu novo show solo de Stand-Up Comedy que aborda o cotidiano, um texto bem elaborado sobre atualidades (política, esportes, tecnologia, celebridades) lugares por onde passou, sua nova vida como Pai, tendo que “virar homem”, sair da casa dos pais, crescer, mas sem nunca deixar de zoar. A eterna criança ainda perturba o seu mundo e promete “Queimar o Filme” de tudo e todos que forem abordados nessa peça, mas principalmente, de si mesmo.

Nunca tinha ouvido falar do Fabio Rabin, mas se é stand-up a gente quer ir pra rir. Dito e feito! Se você não conhece o tipo de espetáculo, é bem simples: um humorista vai pro palco sem cenário com uma roupa qualquer, pega o microfone e começa a contar piadas de própria autoria. A proposta é que a nossa atenção seja captada pela performance e pelo texto, e não por efeitos sonoros/visuais.

Fabio é paulista de sotaque bastante carregado, então já se prepare para escutar muitos manos e meus. Se você conseguir superar isso, vai tranquilo e preparado pra dar boas gargalhadas.

Ele aborda diferentes assuntos, como a saída da casa dos pais, o casamento, a chegada da primeira filha, além de temas atuais, como esportes, tecnologia, política, etc.

Minha única crítica é em relação às piadas com racismo, machismo e gordofobia. São poucas, mas estão presentes, mesmo com o discurso pronto de “você pode pensar que eu sou machista, mas não sou não, amo a minha mulher”. Nesses momentos confesso que fiquei no misto de incredulidade com vergonha alheia. Até que combina com o nome da peça, né?

Ah! Sabe o que eu descobri depois? Ele está no elenco do filme Um Suburbano Sortudo, fazendo o papel de um cineasta riquinho. O sotaque paulistano continua presente, mas ali ele vestiu a roupa e encarou o personagem.

Ao final, é possível tirar uma foto com o comediante no palco. Ele retorna para atender os espectadores, conversar e fotografar quantas vezes quisermos.

O espetáculo dura pouco mais de 1 hora e encontra-se em cartaz no Teatro Fashion Mall. Sextas e sábados às 21h30 e domingo às 20h. O valor na sexta é R$ 60,00 e em sábados e domingos é R$ 70,00, mas você pode conseguir um descontão de 58% e até concorrer a entradas gratuitas no site do Rio no Teatro. Vale lembrar que a classificação indicativa é de 14 anos.

Crítica escrita para o portal Rio no Teatro.
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)