Minha Vida Mora ao Lado - Huntley Fitzpatrick


Título: Minha Vida Mora ao Lado
Autor(a): Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina
Nº de páginas: 320
Onde comprar: Saraiva | Casas Bahia
Nota:

“Minha mãe nunca ficou sabendo de uma coisa, algo que ela reprovaria radicalmente: eu observava os Garrett. O tempo todo.”

Os Garrett são tudo que os Reed não são. Barulhentos, caóticos e afetuosos. São de verdade. E, todos os dias, de seu cantinho no telhado, Samantha sonha ser uma deles, ser da família. Até que, numa noite de verão, Jase Garrett vai até lá e...
Quanto mais os adolescentes se aproximam, mais real esse amor genuíno vai se tornando. Contudo, precisam aprender a lidar com as estranhezas e maravilhas do primeiro amor. A família de Jase acolhe Samantha, apesar dela ter que esconder o namorado da própria mãe.

Até que algo terrível acontece, o mundo de Samantha desmorona e ela é repentinamente forçada a tomar uma decisão quase impossível, porém definitiva. A qual família recorrer? Ou, quem sabe, Sam já é madura o bastante para assumir suas próprias escolhas? Será que está pronta para abraçar a vida e encarar desafios?
Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade?

Samantha Reed recebe ordens de uma mãe neurótica com limpeza e organização e tem um relacionamento superficial com a irmã, que não aceita pacificamente tanto controle e deu uma de rebelde. Mas o que vê no quintal dos vizinhos é o extremo oposto. Ela observa do telhado os Garrett desde que eles se mudaram, uma grande família de 8 filhos - barulhenta, amorosa, bagunceira -, só que a mãe sempre fez questão de manter distância, como se fosse rica-chique-importante demais pra se misturar com essa gentalha. E é numa noite como qualquer outra que seu desejo de ter contato com aquela família se torna real; Jason, o 3º filho, vai até ela e rompe a barreira.

Os Garrett já eram a história que me ninava, muito antes de eu imaginar que podia fazer parte dela.

Tudo começa com amizade, já que ele também ficava vendo aquela menina de longe todos os dias no telhado espiando sua família. O convívio, a afinidade com os irmãos mais novos, a simpatia dos pais, tudo faz Samantha ser "adotada" pelos Garrett. Lá, também, ela descobre emoções nunca antes vividas, sentimentos totalmente diferentes dos que teve com seus ex-namorados. E, quando menos percebe, está completamente envolvida no namoro e na vida - aparentemente caótica, mas deliciosa - de uma família grande.

Como é que o meu mundo e o dos Garrett tinham limites tão bem definidos até este verão e agora eles não parar de se interligar?

Enquanto isso, a mãe está cada vez mais focada na campanha de reeleição pra deputada. Uma mulher controladora que não percebe estar sendo controlada por um de seus assessores. Essa relação ultrapassa a barreira profissional, interferindo no dia a dia da família. E, quando um segredo ameaça a paz de ambas as famílias, Samantha precisará definir quem ela é e decidir de qual lado vai ficar.

E descubro que é assim que acontece. Você está andando por um caminho, impressionado com a perfeição dele, com o fato de você se sentir incrível e, algumas esquinas depois, se perde num lugar pior do que qualquer coisa que poderia ter imaginado.

A sinopse não me preparou pro que eu ia encontrar, de verdade. O primeiro capítulo dá uma breve introdução e depois já fiquei envolvida pela história. O tempo inteiro fiquei com a sensação de não ter lido quase nada quando na verdade tinha avançado muitas páginas. Não consegui prever o clímax ao qual a sinopse se refere e, mesmo sendo previsível o que ia acontecer a partir dali, me vi presa até o final, precisando saber como chegaria até ele.

Jase e Sam são sarcásticos e bem-humorados. O romance não é arrebatador, mas é muito gostosinho de ler, bem crível, me fazendo voltar à adolescência e relembrar as delícias e dores da idade. Há as dúvidas de quem se vê apaixonada de verdade, a expectativa pela primeira vez, o "fazer bem" mútuo, a busca pela própria identidade. Li com aquela sensação de que eles se gostam de verdade e poderiam cruzar comigo no shopping como um casal de adolescentes felizes.

Nossa casa era a obra de arte de minha mãe, a prova de que ela merecia o melhor de tudo. No entanto, o que eu amava ali era a vista. E por muito tempo, essa era a garota que eu era. Aquela que observava os Garrett. Minha vida morava ao lado.

É bem clara a transformação de Sam no decorrer da história, o modo como a proximidade com pessoas tão diferentes de sua família contribuíram pro seu amadurecimento e autoconhecimento. E confesso que me identifiquei demais com o relacionamento dela com a mãe, especialmente nas partes em que ela não mais reconhece a própria família depois de tanta influência externa.

Para que ser a pessoa que sempre fui se mal consigo reconhecer minha própria mãe?

Com 8 filhos, já é de se esperar que as mais diferentes personalidades apareçam. Cada um teve seu momento de destaque, mas sem dúvida quem roubou a cena foi George. 4 aninhos e um coração extremamente sensível, ele é um "você sabia?" ambulante com fortes tendências à piedade. Você precisa ler pra entender e se apaixonar por ele também! A caçula, Patsy, também me fez dar boas risadas. E adorei o sr. e a sra. Garrett, um casal super apaixonado que não tá nem aí pros comentários maldosos e criam seus filhos com poucos recursos e muito amor.

Nan, melhor amiga de Sam, e seu irmão Tim são responsáveis por levantar discussões sobre responsabilidade, aceitação e ética de modo muito pertinente. Na realidade de emprego de verão e carteira de habilitação aos 17 anos, vemos muitas coisas diferentes do que estamos habituados, mas que não deixam de ser válidas para trazer o tema à tona e passar uma boa mensagem ao leitor. Fico na torcida pra que a Valentina traga o livro sobre Tim e Alice (a 2ª Garrett, alvo das cantadas de Tim durante todo o livro) - The Boy Most Likely To.

Só teve um detalhe que me incomodou. O final, apesar de fechado, me deixou com algumas interrogações na cabeça. O que aconteceu com fulano ou beltrano? Como resolveram tal coisa? Curiosidades aparentemente bobas, mas que poderiam ter sido respondidas em 1 ou 2 parágrafos de forma a nos deixar mais saciados.

Gostei bastante da capa, sugerindo uma imagem pro casal, mas não definindo seus rostos. E esses 4 elementos resumem muito bem a ideia geral do enredo. A revisão e a parte gráfica estão bem boas, como já é de se esperar dos livros da editora.

Pega pra ler com tempo pra não ter que parar e ficar se corroendo de vontade de descobrir o que vai acontecer. Com certeza Huntley mereceu ser finalista do Prêmio RITA (Romance de Estreia) e ganhar o prêmio de Melhor Romance Juvenil pela YALSA (Young Adult Library Services Association). Leia!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

14 comentários

  1. Oi Giu, tudo bem?

    Adorei a sua resenha, e ela resume bem o que eu senti durante a leitura. Gostei de como a autora abordou o primeiro amor, as primeiras dúvidas, a vontade da Sam ser mais do que apenas o que sua mãe queria para ela, a discussão sobre responsabilidade e ética. E realmente, os personagens são cativantes, dá para facilmente imaginar a Sam e o Jase como um casal de adolescente que vemos por aí, todos os dias... achei o sentimento deles tão verdadeiro, e embora o romance não tenha me arrebatado, é realmente bem gostosinho de acompanhar a evolução deles.

    Quero muito o livro do Tim, eu adoro personagens secundários e ele me ganhou. Comecei o livro detestando ele, tinha vontade de bater nele sempre que abria a boca, mas ele demonstrou uma maturidade e uma preocupação com o próximo. Aah, o George <3 gente, melhor personagem!! Hauhsu.

    Linda resenha!!

    Beijinhos,

    Rafa || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  2. Gostei do livro. Ele não apenas mostra as mais diversas personalidades, ensinando o leitor, até certo ponto, a respeitar as diferenças, como também trata de uma forma mais "discreta" a questão do abandono afetivo. Quanto a personagem principal estava sedenta por um pouco de carinho e atenção? Algo que não fossem meras cobranças, que a fizesse sentir amada e não escravizada.
    Muito interessante, parabéns pela resenha!
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  3. Esse livro!!!! esse livro <3
    eu ainda não li, mas preciso muito del. Desde que vi a divulgação da editora eu morro de vontade de ler e a sua resenha só veio me confirmar o que eu já sabia, que é um livro que merece uma atenção e que provavelmente, eu vá me apaixonar por ele.

    ResponderExcluir
  4. Eu estou louca para ler esse livro. Desde que a editora divulgou a capa ele me chamou atenção. A sua resenha só me deixou ainda curiosa, me parece ser um livro muito irneressante e que eu não vai querer largar até terminar

    ResponderExcluir
  5. Oie.
    Eu também adoro esse tipo de capa, que não revela o rosto do casal.
    Enfim, a premissa é interessante e mesmo se tratando de um romance, não é bem o tipo que eu estou acostumada a ler... Então seria legal sim dar uma chance para o livro. Só fiquei meio assim em relação o final que te deixou cheia de perguntas em como eles conseguiram resolver algumas coisas.
    E é claro que estou curiosa.
    Amei a resenha, muito bem escrita e estruturada. <3 Amei os quotes.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    É muito bom ver uma capa inteligente como essa, que deixa mais ou menos explicito sobre a história, mas não define toda a grandiosidade. Eu já vi esse livro em livrarias e eu já coloquei no meu carrinho, mas não sei porque eu retirei. Essa história com certeza irá me envolver, me emocionar e me fazer ficar vidrada. Queria saber porque ainda não coloquei no carrinho. Eu, com sua resenha, tenho a certeza que vou colocar no carrinho e vou comprar. Preciso. snif snif.

    Parabéns pela resenha e pelo blog!
    Um beijo. :)

    ResponderExcluir
  7. Amiga primeiramente vou dar uma de puxa saco, mas eu adoro você e seu blog, porque admiro muito seu trabalho viu? Segundo dizer que tenho visto muita gente falando bem desse livro. Ainda não tinha lido nenhuma resenha pra te falar a verdade, apenas as considerações, mas hoje eu li, porque já tava ficando curiosa. Eu até gostei da trama e tudo mais, só que quando um livro deixa algumas pontas soltas mesmo com um desfecho satisfatório isso deixa o leitor um pouco decepcionado e isso acaba que atrapalhando. Mas mesmo assim eu vou ver se leio para poder conhecer, porque eu achei a capa linda e acho que irei gostar do gênero.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/renovamos-com-geracao-editorial-muita.html

    ResponderExcluir
  8. Me parece o tipo de história que você não consegue desgrudar por nada, hein? Quero muito ler o livro, adorei a história. Eu odeio esses finais que nos deixam com dúvidas, não gosto de ter que imaginar o que aconteceu sabe?
    E gente, 8 filhos? Cruzes!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Amei demais a resenha, com certeza tenho que ler esse livro.
    Fiquei com pena da garota ter uma família assim, ainda bem que apareceu uma família para receber apoio e carinho.
    Amo família grande, sempre quis ter vários irmãos e a casa sempre cheia.. mas agora que sou adulta, mudei de ideia e só quero um filho rsrs
    Será que vai ter uma continuação para tapar esses buracos que ficaram??
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Eu estou muito curiosa com esse livro, e a cada indicação ou resenha positiva, eu fico com mais vontade ainda. Desde que li a sinopse desse livro, fiquei a imaginar uma história que vai me prender do começo ao fim, e pelo que posso notar, vou precisar ler em uma sentada só para não ficar desesperada. Uma ótima resenha.
    Bjs!

    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Giulia,
    Olha confesso que se não tivesse lido a resenha eu não daria nada pelo livro, porque ô capinha insossa. Mas, pela tua resenha a narrativa parece ser bem envolvente não é? Eu gostei, leria sim a história com certeza, uma família com oito filhos deve ser uma loucura hein??? huhauhauhauha
    Beijos
    Conversas de Alcova ♥

    ResponderExcluir
  12. Já li várias resenhas deste livro, a grande maioria positivas acabou que eu comprei o livro, mas ficou ali na estante, quase esquecido, mas agora lendo a sua resenha, vou tirar o livro agora mesmo da estante porque tenho certeza que vou adorar.
    Adoro seu blog
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bem?

    Primeiramente preciso te dizer: seu blog é lindo! <3 rs
    E a sua resenha?! Linda e muito bem desenvolvida, aumentou minha expectativa no livro. Estou com muita vontade de ler esse livro, ele está na minha lista de desejados desse ano. A capa é linda, e foi a primeira coisa que me atraiu nele. Depois eu li a sinopse e uma resenha dele, e pronto, me deixou aquela vontade de conhecer a história. Espero ler a obra o mais rápido possível!

    Beijos,
    Dai | www.cheirodelivronacional.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oláa
    Acho que esse livro tá bombando na blogosfera viu..já vi algumas resenhas bem positivas sobre eleo que me deu mais motivação em querer ler :)
    Gostei muito da sua resenha pois nos deu mais esclarecimento sobre a estória e já estou louquinha pra saber como e onde vai dar esse relacionamento de Sam e Jace!!!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2015/12/titulo-irmandade-perdida-autor-anne.html

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)