Felizes para Sempre - Nora Roberts

Esta resenha NÃO contém spoilers dos livros anterior.
Álbum de Casamento
Mar de Rosas
Bem-Casados



Título: Felizes para Sempre (Quarteto de Noivas #4)
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 293
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Casas Bahia
Nota:

Em Felizes para sempre, último livro da série Quarteto de Noivas, você vai descobrir que o amor não avisa que está a caminho e, quando chega, vira seu mundo de cabeça para baixo.
Parker Brown sabe que subir ao altar é um dos momentos mais extraordinários na vida de um casal. Por isso ela administra a Votos a bem-sucedida empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas com pulso firme e muita dedicação.
Seu dia de trabalho começa cedo às vezes de madrugada, quando alguma noiva ansiosa lhe telefona aos prantos. Mas ela não se importa. Cada vez que ajuda uma mulher a escolher o vestido perfeito para o grande dia ou vê o sorriso nervoso e feliz de um noivo no altar, ela sente que está dando sua contribuição para uma história igual à de seus pais.
Porém a rica, linda e inteligente Parker também quer ser feliz no amor. Só que, em vez do intelectual sensível que sempre esteve em seus planos, parece que o destino lhe reservou uma surpresa.
Malcolm Kavanaugh é um mecânico de automóveis e ex-dublê de filmes de ação. Amigo do irmão de Parker, ele não tem vergonha de elogiar as belas pernas da moça e, com suas mãos ásperas, faz com que a empresária certinha e controladora simplesmente perca o chão.
Agora eles vão descobrir que, mesmo com suas diferenças, podem completar um ao outro. E quem disse que o príncipe encantado não pode chegar numa Harley-Davidson?

Acabou! :( E terminou com chave de ouro, o melhor dos livros pra mim. Desde o primeiro livro tentei enxergar a romântica por trás da supereficiente, organizada, metódica e pontual cerimonialista, e ela apareceu da melhor maneira.

Já falamos de Parker anteriormente, mas é aqui que ela ganha destaque. Os Brown sempre foram uma família rica e bem-sucedida até que o acidente com os pais destruiu tamanha perfeição. Parker precisou do apoio de seu irmão, suas amigas e da governanta mais fofa do mundo para se reerguer e superar a perda. Juntando os sonhos das amigas com seus recursos financeiros disponíveis, ela teve a ideia de fundar a Votos, regendo perfeitamente toda a orquestra de doces, fotos, flores, cores, cerimoniais e afins. Ela é a eficiência em pessoa, sendo um pouco de tudo pra resolver os milhões de pepinos que as noivas arrumam nos horários mais impróprios possíveis.

Malcolm é bem diferente. Dono de uma oficina mecânica, ele sempre foi um excelente profissional, ganhando a confiança de muitos clientes, inclusive de Del Brown. Seu passado é um assunto delicado, um fantasma que o assombra sempre. É aquele clichê do bad boy que conquista a mulher toda certinha, mas que a gente ama quando tem a dose certa, e aqui certamente tem. Ok que rola um machismo básico dos machos (Mal e Del) brigando pela felicidade da fêmea, mas a gente releva e foca no fato de Mal ser um filho bem bacana.

Não era comum Parker se perguntar que rumo sua vida estaria tomando. O mais frequente era concentrar toda a sua atenção nos detalhes, nos planos, nas contingências, nas necessidades, nos desejos e nas fantasias de outras pessoas. Talvez fossem os contrastes do dia, aquele céu suave e sombrio contra as árvores ainda brilhantes. As folhas soltando-se para dançar e rodopiar no ar enquanto os crisântemos e os ásteres teimavam em florescer.
Tudo parecia ter feito uma pausa à espera de mudanças, mas e ela? Mudanças tinham muito a ver com perdas e ganhos, abrir mão de alguma coisa para atingir outra, nova e diferente. E, precisava admitir, ela dava muito valor à rotina, à tradição e até mesmo à repetição.
Rotina equivalia a segurança, proteção, estabilidade. Ao passo que era em terreno instável que em geral nascia o desconhecido. E essa, percebeu, era uma forma de pensar tão sombria quanto estava o céu. O mundo estava se abrindo, disse a si mesma, não se fechando. Nunca tinha sido covarde; nunca tivera medo de pisar em terreno instável.
A vida tinha mudado, e era para ser assim.

No livro anterior, já percebemos que a relação de Parker com Malcolm ia além de conserto de carro. Eles tinham uma faísca, um desejo bem claro, pelo menos por parte dele. Enquanto ela insistia em (mal) disfarçar e tentar afastá-lo com seus olhares congelantes, ele era bem explícito na paquera, inclusive dando-lhe o apelido Pernas. Até que finalmente se renderam à paixão. Pra Parker o maior dilema foi abrir mão do perfil ideal de companheiro. Ela queria alguém mais cult, parecido com ela, que apreciasse as coisas refinadas, mas acabou se apaixonando por um cara com mãos sujas de graxa, mas muito amor no coração.

A história me envolveu demais. Não esperava tanto dela, aliás sempre achei que ia me identificar muito mais com Laurel, mas Parker se mostrou bem mais parecida comigo (exceto pelo quesito organização, acho que fugi dessa fila). Duas personalidades fortes descobrindo o que é a paixão de verdade, tentando vencer os próprios desejos e aprendendo que podem ser o complemento ideal uma da outra.

Quem é você? Quem é você que consegue fazer isso comigo, que consegue se apoderar do meu copro e do meu coração?

Confesso que sempre que leio/vejo sobre grupo de amigas, fico com uma invejinha. Mas enfim, mesmo que eu tivesse a amizade ia ficar faltando o dinheiro. kkkkkkkkkk É muita utopia na minha atual condição ter uma casa com minicasas espalhadas pelo quintal e um mega espaço para eventos, com grana sobrando pra viagens babado nas férias.

Foi um final digno pra essa série que me arrancou suspiros e risadas e me deixou com a maior vontade de casar de novo (com o mesmo marido, claro!). O mais legal foi ver a conclusão de todas as 4 histórias e até o casamento de Mac e Carter. Acho justo a Nora fazer um conto extra mostrando o casório dos outros 3 casais, porque né? A gente merece!
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)