Antes que aconteça - Juliana Parrini

Esta resenha contém spoilers do primeiro livro apenas no 2º parágrafo.
Depois do que aconteceu


Título: Antes que aconteça
Autor(a): Juliana Parrini
Editora: Suma de Letras
Nº de páginas: 237
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Casas Bahia
Nota:

O vazio deixado por Alex está sempre comigo e isso é bom. Bom porque essa dor me dá a certeza de que a sua existência em minha vida foi real. E o mais difícil nessa batalha que se estende dia após dia é ficar longe de quem você mais queria estar perto.
Isabel passou o último ano fugindo. Depois do que aconteceu, ela não acredita que conseguirá voltar a ser feliz. O que não esperava era que o destino colocaria Daniel Clark em seu caminho. A atração entre os dois é imediata e irreversível: ao voltar para casa, a carioca Isabel não será capaz de esquecer os encantadores olhos azuis daquele cara que conheceu por acaso em plena Avenida Paulista. A partir desse dia, a tristeza de Isabel perde espaço para uma paixão que mudará sua vida. Ficar presa ao passado vale mesmo a pena? Ou é preciso seguir em frente e dar uma segunda chance ao amor?

Se eu não curti o primeiro livro, pra que ler o segundo? Me fiz essa pergunta antes, durante e depois da leitura. Mas cheguei à conclusão de que foi melhor pra eu fechar a história na minha cabeça e tirar conclusões mais aprofundadas.

Após receber a carta de Alex, Isabel fica visivelmente abalada, e Daniel logo percebe. Depois de ser pressionada, ela abre o jogo e conta sobre a volta do ex pro Brasil. E aí começa um show de ciúmes. Daniel é explosivo demais, não confia no que a namorada diz e faz. E vamos combinar que ela dá motivos, porque não nega que ainda ama o ex. Enquanto isso Alex tenta se reaproximar e reconquistar o coração do seu grande amor. Em resumo, o livro todo é isso.

Há momentos em que o mundo parece parar. Tudo começa a ficar distante, ou talvez sejamos nós que ficamos distantes de tudo. Momentos em que nos sentimos sozinhos, mesmo com tanta gente ao redor. Momentos onde nada parece fazer sentido, tudo parece estar perdido. Meu mundo estava inteiramente imóvel.

Eu poderia copiar e colar a resenha do primeiro aqui fazendo pequenas alterações, até porque nas minhas anotações abordei vários pontos já esquecidos que me fizeram perceber que tive as mesmas impressões nos 2. Esse volume é uma continuação do anterior, começando do ponto em que o outro terminou, talvez ela até tenha escrito em sequência. A diferença é que Depois é narrado só pela Isabel, e em Antes os 3 protagonistas ganham voz.

Se você, assim como eu, tem dificuldade pra lembrar detalhes de um livro pro outro, relaxa que o primeiro capítulo te ajuda nisso. Conforme cada um vai narrando, você recorda os acontecimentos e até entende melhor os 2 homens. Quer dizer, você tem acesso ao emaranhado de pensamentos deles, porque não consegui mesmo entender o Daniel.

Isabel continua instável, variando de bom-humor a desespero em poucas linhas. Chora muito, sofre muito, mas se esquece de todos os problemas com uma boa dose de sexo. Ela me irritou profundamente cedendo fácil demais nas brigas com o Daniel. Ele tava errado, mas dava um jeito de reverter a situação, ela se sentia mal e implorava desculpas.

Daniel é um babaca! Alex é um egoísta! E eu sou patética.

Daniel também é um personagem beeeeeeeeem complicado, muito possessivo e ciumento. Não gosto de cara assim, que pra mostrar o amor tem que dominar. Por isso preferi o Alex. Desde o primeiro, quando a gente só o via pelas lembranças de Isabel, já gostei do seu jeitinho, e agora o conhecendo melhor entendi os seus motivos pra fazer o que fez da maneira como fez.

A mensagem continua bem machista. Sente o nível da coisa.
"Você quer uma dica? A primeira é não ser uma vadia. Desculpa, mas mulher do seu naipe serve apenas para transar uma vez ou outra. A segunda é mudar de estilo. Seu comportamento é inadequado para qualquer lugar que não seja um puteiro." Oi? Cadê empatia, minha gente? Cadê sororidade?
(sobre a traição de Daniel) "Vocês estavam brigados, Belzita. Não estou querendo justificar, ele foi um cretino! Mas você sabe como são algumas mulheres hoje em dia, né?" O cara tá errado, MAAAAAAS a culpa é da mulher. Porque, afinal, quem tinha o compromisso não era ele, né?
Uma mulher que demora a perceber que não precisa de prostrar com o término de um relacionamento, mas só se sente plenamente feliz e completa com o homem ao lado. E - pior! - ela fala coisas como "adoro quando você quer mandar em mim". Zzzzzzz

Não posso dizer que gostei nem que desgostei do final. Achei bastante plausível e até bonito, mesmo não sendo da maneira que mais me agradou, mas parece que a autora ficou com preguiça de pensar em algo mais elaborado e foi pelo caminho mais fácil.

Mais uma vez fiquei incomodada com a falta de tradução das músicas. Não sou obrigada a saber inglês, e ficar parando de ler pra ir pesquisar o significado da letra não rola. Eu simplesmente pulei e fiquei sem saber o que a música interferia na cena.

Os secundários apareceram mais e até acompanhamos o desfecho de algumas histórias. Como os capítulos eram intercalados e até houve um só pra uma nova personagem, quis que houvesse outros com a voz de outros, como as amigas e o pai de Isabel. Só senti falta da Marcela, que foi a grande vilã do primeiro livro e simplesmente sumiu nesse.

A capa segue o mesmo padrão de lindeza da primeira, mantendo o fundo e só mudando o personagem. Nesse livro senti a leitura um pouco mais arrastada, talvez porque já no começo tem a cena de ciúmes e descontrole do Daniel, preguiça total! Mas no geral a escrita da Juliana é boa, surpreende pra primeira história. Ela só precisa escrever coisas mais reais, críveis, e principalmente, empoderadoras. Fico na torcida pra que sua próxima história seja melhor.
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

9 comentários

  1. Oi Giu, tudo bem??
    Nossa aquelas partes machistas me irritaram profundamente... detesto esse tipo de comportamento, não sei o porque da frase ou onde ela se encaixou, mas não curti rs... não pretendo ler os livros, porque eles não me cativaram muito pela leitura... confesso que me apaixonei pelas capas e até ponderei ler, mas depois que comecei a ler as resenhas, percebi que o enredo não é pra mim... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu acho a capa linda de viver, mas desde o lançamento do primeiro livro não tive interesse em ler, pois alguma coisa me diria q não ía gostar e pelos pontos que comentou aqui realmente ia me desagradar. Normalmente não leio resenhas de segundos livros, mas essa eu fui sem medo, com ou sem spoiler já não pretendia ler e após todos os pontos ressaltados por você, tenho certeza de que ficaria FULA da vida com vontade de tacar os dois livros na parede.... kkkkkkkkkkkkk... Gosto dessa coisa de macho dominante, ciumento, mas já to saturada disso... e seria outro ponto pra me afastar da trama... rsrs

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  3. Oi, Giulia
    Eu lembro que você tinha se incomodado com as faltas de tradução, eu já li um livro assim e fiquei também. E também já li continuações mesmo não tendo gostado do primeiro livro. Algumas eu nem me arrisquei a ler.
    Uma pena, parece que a autora não soube desenvolver mesmo.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Giulia. Pra quê ler isso MESMO!!!
    Que porcaria machista, eu quase vomito de ler tua resenha, com os pontos q vc destacou, imagina ao ler uma droga dessas.
    Mulher reproduzindo machismo me deixa enlouquecida da vida, e essas personagens horrorosas acabam com a minha paciência.
    Triste mesmo é uma mulher escrever uma droga dessas cheia de clichês machistas.

    ResponderExcluir
  5. creeedo, essas passagens machistas são o suficiente pra eu evitar esse livro, ainda mais que vc não gostou nem do primeiro e nem dele... nunca tinha ouvido falar da história antes, mas não me empolguei pra fazer a leitura...
    sobre as músicas, deveria ter uma nota de rodapé com as traduções, acho que seria mais prático...

    ResponderExcluir
  6. Oi Giulia,
    Sou do tipo que mesmo quando não gosto, termino um livro porque sempre tem algo positivo para se tirar, mas dificilmente encaro uma continuação justamente por já ter criado uma opinião sobre o primeiro. Pelo que pude ver, é muito fácil se irritar com algumas atitudes dos personagens e há uma não aceitação referente a visão do livro, e isso já é suficiente para que eu não embarque na história. Também espero que a autora tenha mais sucesso em descrever todos os elementos de uma história.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  7. A cada linha da sua resenha menos vontade eu fico de ler o livro. Alguns romances meloosos são machistas, mas tem uns que se salvam ou pelo menos não atropelam tanto as meninas. Esse livro está me dando angustia só de pensar nas cenas de ciúme e de 'a culpa é sua por ser uma vadia!'
    Obrigada por me avisar a não ler. Me dá uma tristeza no coração ver uma ótima autora com muito futuro escrevendo coisas nada ruins... Vou torcer que a próxima resenha dela que vc nos trouxer seja algo mara e digno de seu talento!

    Bjnhos de Tinta
    Blog Mundo de Tinta

    ResponderExcluir
  8. Que livro machista é esse? E escrito por uma mulher? Ok, eu sei que isso acontece e ela só está mostrando a realidade, mas personagens que não se tocam e deixam fazer gato e sapato também não dá. Não digo que não leria o livro, porque no fim fiquei curiosa para ler tudo isso, mas não é prioridade.
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Ok! Opinião e assim mesmo, cada um tem a sua. Eu por exemplo, achei essa resenha escrota! Não se critica/ataca um autor dessa forma. A resenha é sobre o livro e a pessoa tem todo direito de não gostar, mas esse radicalismo a ponto de atacar o aoutor, para mim, reflete a falta de noção e ética do resenhista.
    Agora para quem ainda não leu, sugiro que procurem uma segunda opinião outra resenha (de alguém sério), já que de todas as que li, está é a primeira com uma visão negativa sobre a obra.

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)