A Sereia - Kiera Cass


Título: A Sereia
Autor(a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Nº de páginas: 320
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Casas Bahia
Nota:

Uma menina misteriosa.
O garoto de seus sonhos.
A Água entre eles.
Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, vai precisar usar sua voz para atrair pessoas até o mar e afogá-las. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo com que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, a sereia será obrigada a abandoná-lo para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, Kahlen está determinada a seguir seu coração.

Esqueça tronco de mulher e corpo de peixe! Agora! As sereias desse livro são humanas, meninas que tiveram suas vidas salvas de um naufrágio quando prometeram fazer qualquer coisa para não morrerem. Aqui a Água é uma divindade que faz acordos com belas garotas - elas cantam, os tripulantes se sentem atraídos pela voz a ponto de pular do barco, tudo isso a fim de alimentar a Água. Por 100 anos, as garotas se tornam imortais, como se tivessem congelado no tempo, e após esse período estarão livres. Só que elas precisam viver reclusas, já que suas vozes são fatais, só podem ser usada entre pares ou no momento de cantar. Como passar um século sem família, sem vínculos, sem amor?

Eu queria ser capaz de explicar como a interrupção de uma vida plena era melhor do que o prolongamento de uma vida vazia.

Kahlen é uma sereia graças ao naufrágio do barco onde estava com toda a sua família. 80 anos depois, ela ainda vive o dilema da culpa por acabar com tantas vidas, tanto que faz uma caderneta pra cada naufrágio, "colecionando" reportagens sobre suas vítimas. Ela também tem planos pra uma futura carreira após a liberdade, mas seu maior sonho mesmo é se casar. Ela quase não sai de casa, afinal não pode interagir com ninguém. E, num dos poucos dias que enfim sai, conhece Akinli, o único humano que insistiu por manter uma conversa apesar do total silêncio da outra parte.

Ela tenta de tudo pra evitar um relacionamento, até mesmo por medo de que a Água descubra, que não aceita esposas ou mães. Akinli despertou sonhos adormecidos, e Kahlen não sabe se quer abandoná-los. O que será mais difícil: manter sua paixão escondida da Água ou fingir pra si mesma que não está envolvida com um sentimento maior do que a amizade?

Perdi meu coração para ele completa e instantaneamente. Akinli não sabia direito o que havia de errado comigo, e mesmo assim queria que eu ficasse. Ele não sabia o perigo que eu corria, mas estava pronto para enfrentá-lo por mim.
E quem eu era? Ninguém, na verdade. Só uma garota.
Mas aos olhos dele... Eu parecia muito mais que isso.

A Sereia foi o primeiro livro escrito pela tia Kiera, 6 anos atrás, mas só agora, depois do sucesso de A Seleção, que ela voltou a ele. Podemos ver que seu fascínio por nomes estranhos vem desde cedo (os protagonistas, Aisling, Nombeko, Miaka, Ifama). A narrativa tem algo que vicia mesmo não sendo a melhor história do mundo. A história segue uma linha lógica, até um pouco previsível, mas se você conhece a escrita da autora conhece bem a sensação de urgência pra chegar ao final da leitura. Confesso que fiquei bastante surpresa com a mitologia criada, principalmente porque não curto muito fantasia.

A irmandade entre as sereias é a melhor parte. Cada uma chegando em um momento, se ajudando a passarem pela transformação e pelas consequências que isso gera, a vontade de ver as outras bem... Sororidade. ♥ O esforço de uma mulher protegendo a outra do mundo e até de si mesma. E Elizabeth me chamou a atenção não apenas por ser a mais empolgada de todas, mas principalmente por aparentar uma autoconfiança que me inspirou.

Mas senti muita, muita falta de uma mensagem mais positiva. Onde está toda a independência e autossuficiência que vimos em America? Kahlen me decepcionou demais com uma fala.

Já tinha pensado em ser médica, para compensar todas as vidas que tirei. Dançarina, para poder controlar meu corpo de todas as maneiras. Escritora, para descobrir uma maneira de usar minha voz quer eu falasse ou não. Astronauta, caso precisasse botar mais espaço entre a Água e mim. Mas lá no fundo sabia que só havia uma única coisa que eu queria de verdade, dolorosa demais para pensar agora. Olhei para o grande livro de história que estava sobre minha cadeira favorita - o livro que eu tinha intenção de levar comigo para o quarto na noite anterior -, tomando cuidado para que a revista de noivas ainda estivesse escondida dos olhos das outras.

Errou feio! Errou rude! Kahlen podia aspirar tantas coisas, inclusive aproveitar seu tempo de sereia pra conhecer o mundo e se divertir, mas sua vida girava em torno de casamento. Ah, para! Quantas adolescentes lerão este livro empolgadas por ser da mesma autora da série queridinha? Que tipo de mensagem a história está colocando na cabeça delas? Mais uma vez, como vimos em tantos filmes, o propósito da vida da mulher é encontrar o amor e se casar. Não, né?!

Ele retribuiu o sorriso, e lembrei do quão normal ele me fizera sentir na primeira vez que nos encontramos. Mais uma vez, ele não se incomodou com o meu silêncio. E de repente percebi o que me deixava tão desconfortável nas aventuras de Elizabeth. As pessoas que ela atraía ficavam fascinadas com as mesmas coisas que fascinavam todo mundo: nossa pele brilhante, olhos sonhadores e um ar misterioso. Mas esse garoto? Parecia enxergar mais do que isso. Me enxergava não só como uma beleza misteriosa, mas como uma garota que ele queria conhecer.

Se alguns trechos fossem alterados e o "propósito de vida" de Kahlen fosse outro, com certeza eu teria gostado muito mais, até porque Akinli é um fofo, daqueles que você queria que existissem de verdade pra conversar. Ele é super de boa com a vida, simpático com todos, transmitindo alegria por onde passa.

Foi curioso descobrir nas diferentes cenas o tipo de relacionamento das sereias com a Água. Como o livro é narrado por Kahlen, temos detalhes do que ela vivia e sentia, o conflito de considerá-La uma mãe ao mesmo tempo que fora Ela a responsável pela morte da sua família, o conforto do carinho que sentia quando estava em suas águas e o medo de ser sua serva e consequentemente uma assassina. E não estranhe essas letras maiúsculas, porque o livro é assim mesmo, sempre se referindo à Água com substantivo e pronomes grafados diferente.

Ela não podia acabar com os meus sonhos, mas sempre me confortava da melhor maneira possível. Às vezes Ela me levava a ilhas ou me mostrava suas partes mais velas, fáceis de esconder dos humanos. Às vezes Ela sabia que cuidar de mim significava me deixar ficar longe. Nunca quis me afastar dEla por muito tempo, porém Ela era a única mãe que eu tinha agora.
Parte mãe, parte carcereira, parte chefe... Era uma relação difícil de explicar.

A capa é essa lindeza que todo mundo já baba desde que foi divulgada. Uma curiosidade: esse vestido divo não está aí por acaso; a Água "confecciona" modelos maravilhosos com suas cores (roxo dos corais, verde das algas, dourado da areia) unindo pequenos grãos de areia ao redor do corpo das meninas quando estão nadando. Infelizmente, após alguns dias eles somem, mas pelo menos deu tempo de tirar a foto pra capa. hahahaha!
A diagramação segue o padrão de todos os livros da Seleção, com a diferença de que agora temos uma concha no lugar da coroa. Vi alguns erros de revisão, mas como é prova tenho que relevar, só espero que tenham corrigido pra versão final.

Sinceramente? O enredo até é legal, o que me deixou com o pé atrás foi a "moral da história". Se fosse só pra diversão, recomendaria de boa, mas pensar que isso estará na mão de tantas meninas me preocupa. Faltou um pouquinho dessa vez.
Giulia Ladislau
26 anos. Filha do Rei. Carioca da gema. Aliança na mão esquerda. Pedagoga por formação, militar por profissão, revisora por paixão. Fascinada por livros desde quando nem se entendia por gente.

20 comentários

  1. Oiii!

    Giu, essa capa é sensacional! Eu vi quando vca receberam o lançamento e fiquei mega ansiosa para conferir essa resenha. Eu acho que esse livro para mim, seria o mesmo de A Escolha. Eu acho o enredo fraco mas há algo na escrita da Kiera que nos vicia e nos faz querer devorar o livro.
    Que pena que está faltando uma mensagem no final. Vou aguardar para lerz mas já sei qe não será prioridade.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Ooi,
    Não sou super fã da escrita da Kiera mas gostei bastante da Seleção e provavelmente vou ler The Siren logo logo. Gostei da resenha e espero gostar do livro.
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Tenho muita curiosidade de ler esse livro, ele parece ser diferente dos outros livros de sereias que eu cheguei a ler, mas saber que a única ambição da personagem principal é se casar, me desanimou um pouco. Já passei dessa fase...haha' Maaas... Estou curiosa para ver as meninas ajudando uma às outras. Esse livro é livro único ou vai ter continuação? Se tivesse, bem que a Kahlen podia encontrar um novo sonho, né?!
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Espero que sim. As capas dos livros da Kiera Cass sempre têm vestidos kkkk bom foi isso o que eu reparei, enfim, mesmo sendo um livro da Kiera Cass, não me chamou a atenção, a capa é bem bonita, mas o conteúdo não me atraiu, pode ser uma história bonitinha, mas mesmo assim, só compraria para ler se eu encontrasse na sebo , porque eu não achei que esse livro vale mais de 15 reais. Beijos...
    Sthe - Blog
    http://leesoncre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Giu, a capa é realmente linda... mas desde o lançamento do livro já sabia que eu não iria ler... e nem pretendo... essa falha da autora de nos enviar uma mensagem após o término da leitura me deixou mais ressabiada ainda... porque hoje em dia esse negócio de adolescentes pensar em encontrar um homem e se casar passou e faz tempo... elas pensam em conhecer o mundo e se descobrir primeiro, depois disso se der pensam em se casar minha filha de 12 anos já fala isso... "mãe casamento é no final de carreira, depois dos 30" kkkkk dou tanta risada, mas não acho ridículo o seu planejamento... ai vem a Kiera e coloca isso no livro rs... enfim... de qualquer forma acredito que a história seja boa, pulando este ponto... Xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Meu coração acaba de ser despedaçado... Eu ainda não li esse livro, mas pretendia fazê-lo o quanto antes. GOSTEI muito do contexto e da promessa que ele traz ao leitor. Mas saber que a protagonista é imatura... Poxa, ela tem "quase 100 anos" e suas preocupações são tão fúteis?! Decepcionei-me muito em saber disso. Ainda pretendo ler a obra, mas não está nas minhas prioridades. Parabéns por expor sua opinião de modo tão tranquilo, mantendo o encanto da obra.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, confesso que não sabia que esse livro havia sido escrito antes pela Kiera e acho a capa uma lindeza. Confesso que realmente não sou muito fã de personagens cuja única aspiração seja se casar, pelo amor de Deus, a vida não gira em torno de um homem u.u Mas como sou apaixonada pela autora vou ler e tentar relevar isso, mesmo ainda preferindo que ela fosse mais como America e seu jeito independente de ser. Quem sabe nos próximos reencontramos uma protagonista que queira mais do que apenas se casar, certo? Mas acredito que mesmo com tudo isso seja uma boa história. Ótima resenha!
    Beijos
    - Bruna
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  8. Oiee
    Gosto da Kiera Cass, mas não morro de amores por ela, justamente por achar muito previsível suas histórias.
    Bem legal ela ter voltado a esse livro depois do sucesso, da até vontade ler. O fato das sereias serem humanas também é bem curioso.
    bjs
    diariodeumapsicopedagoga.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ola Giulia lindona essa capa é linda demais, sendo o primeiro livro acredito que tenha algo sempre a aprimorar fica inevitável a comparação com a Seleção, ler somente por diversão sem uma mensagem ainda mais vindo de jovens fica muito vago mesmo, pretendo ler mas em outro momento. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Tenho alguns livros dessa autora aqui em casa, mas confesso que a animação para ler não é muita, viu :c E agora lendo sua resenha, eu tive certeza que não é uma história que eu gostaria, não gostei da personagem e essa coisa de tudo girar em torno de casamento na vida dela.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Giu, sou tão bem informada que nem sabia que esse livro tinha sido o primeiro que a Kiera escreveu. Pena que a história não é tão boa assim, mas felizmente ainda é viciante! Legal saber que a mitologia te surpreendeu, mas esse negócio de mostrar que o propósito da vida da mulher é encontrar o amor e se casar é meio demais mesmo... Não que seja um problema querer isso, né, mas dedicar sua vida só a isso com tanta coisa pra fazer nesse mundo pra tentar fazer dele um lugar melhor... enfim, vou querer ler de todo jeito, é da Kiera... hehe...

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. Concordo com você: o maior sonho da vida da criatura é se casar? Tudo bem que o livro foi escrito 6 anos atrás, mas putz grila! Se fosse década de 80, dizia nada... Enfim, achei a capa até bacaninha, mas nenhum espetáculo, pois é bem parecida com várias capas atualmente. A história tem uma ótima premissa, e seria bem mais cativante pra mim se a protagonista fosse menos... hum... boboquinha.
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
  13. Ainda não li nada da Kiera mas assim como achei linda a capa de A seleção também achei linda a capa de A sereia. Achei interessante essas sereias viverem quase como humanas, mas uma pena a moral da história ser aquela de que a mulher sonha apenas com o amor e o casamento, acho que hoje em dia as coisas mudaram bastante. Parabéns pela resenha Giu, como sempre está muito bem escrita.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Ainda não li nada da Kiera, mas acho que gostaria muito da forma como ela escreve.
    Achei a premissa desse livro muito interessante, mas fui me decepcionando conforme lia sua resenha. Uma moral fraca? Uma personagem ruim? São combinações para me fazer não ler o livro, definitivamente.
    Apesar de não sentir nenhuma vontade de ler o livro, adorei sua resenha que está, como sempre, bem escrita e muito clara!
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oiii
    Eu sou doida e viciada nos livros da Kiera. Ainda não li A Seria,mas já quero muito ler.
    Sua resenha me fez ficar com o pé atrás e por isso vou com as minhas expectativas dominadas para não ficar decepcionada.
    Sua resenha é bem estruturada e explicativa,me mostrou vários pontos do livro.
    Obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi Giulia! :D
    Acho que devemos levar em conta que esse é o primeiro livro da autora e que as meninas de hoje em dia não sonham em casar, querem ficar. Essa é a realidade, passo muitas horas em escolas pois sou professoras e só escuto falando que fulana quer ficar com fulano e etc, então não se preocupe de elas se preocuparem com casamento, pois elas não estão pensando nisso.
    Acredito que essa será apenas uma leitura para elas passarem o tempo assim como para nós que não ficaremos procurando grande mensagem nos livros da autora, até porquê a seleção também não tem.
    Talvez durante a leitura cause um desconforto a personalidade da personagem e esse pensamento constante, mas como eu disse no outro livro também teve coisas em relação a sociedade deles que eu não concordei...

    Beijos e até logo!
    Capa lindona mesmo, sorte deles terem conseguido tirar a foto a tempo! <3
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  17. Nossa, essa resenha foi um misto de emoções pra mim...
    Quando vi esse livro pensei que era algo relacionado a outro série dela, e já estava descartando comprar, afinal, mesmo tendo essa capa linda não li nenhum dos outros...
    Ai vejo a sinopse e o começo da resenha que é um livro sobre sereias, mitologias... e fiquei super empolgada...
    Mas quando vejo que o objetivo da menina é se casar kkkkkkk Morri de rir!
    gente, essa autora é doida! kkkkkkk
    A seleção já é cheia de críticas sobre os conceitos dela de amor e outras coisa que são bem distorcidos, ai ela anteriormente já tinha escrito um livro onde uma menina adolescente só pensa em casar.. eu ehn hahahaha
    Agora que passo longe desse livro :P

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  18. Acabei de ler o livro e pelo que eu entendi, a personagem foi transformada em sereia no começo do século XX. Logo, é bem normal que ela só queira se casar, até porque no decorrer do livro ela se mostra ligada a coisas do passado e também uma figura de um amor só, como é descrita. Além disso, o fato de ela ser noiva não impede que ela seja outra coisa, apenas que ela desejava isso mais intensamente.

    ResponderExcluir
  19. querida... Se vc quer ver a personalidade da América, leia a seleção meu amor. Nao é pq o livro é da mesma autora, q os personagens precisam ser iguais. Essa é a essência da escrita, inventar NOVOS personagens. O sonho da kahlen não é pequeno, nem ingênuo, é o mesmo sonho q o meu. Quero me casar ter família, aonde tá escrito q isso é ruim? Como ela iria aproveitar a sentença e se divertir com a consciência pesada por seu culpada por tantas mortes? Nenhuma pessoa com coração seria capaz. Elisabeth e miaka conseguem, por terem nascido numa época onde mortes eram mais frequentes e assassinos tbm. Nao da pra comparar anos 30 com anos 90. Se fosse pra alguém se parecer aqui, deveria ser a América com a kahlen, ja q ela foi feita primeiro. Me poupe querida...

    ResponderExcluir
  20. Eu gostei do livro, não sou adolescentes, mas eu amei a história. Acho que só pecou por não ter se aprofundado muito, foi um tanto superficial, mesmo não deixando brechas aparentemente. O guri é um fofo mesmo e a kahlen é muito chatinha, parece uma velhinha xD
    Quanto a questão do casamento, achei normal, ela é uma menina do início do século XX que teve a vida semi interrompida, mas manteve sua personalidade e seus desejos guardados. Não acho que o problema seja ela ser má influência com este tema, na verdade as meninas que lêem é quem deveriam deixar de se influenciar com o superficial. Eu vi a história como um sonho da kahlen que se manteve por quase 100 anos e ela pode enfim realizar. Qual o problema de ser encontrar o amor? Cada um com seus sonhos. Eu sempre quis encontrar o amor, fiz faculdade em outro estado, longe por5 anos do meu namorado e quando terminei descobri que o meu amor por ele era maior que todos os outros sonhos, nem fiz mestrado ou qualquer outra coisa, vim viver minha vida do lado dele é mesmo que desse errado não me arrependo, pq em certos momentos temos que fazer o que desejamos mais e largar a indecisão. A kahlen talvez não fosse feliz só como profissional, cada um sabe o desejo do seu coração e é importante buscarmos ser felizes onde quer que nossa vontade nos leve. Super apoio a mulher que quer ter uma carreira, que não quer casar, acho até bonito quem não tem medo e vai a luta. Quando tomei minha decisão de me casar o que mais choveu foi preconceito dos meus colegas e familiares, mas gente, eu sou uma pessoa que deseja realizar seus sonhos. Claro que a kahlen não é uma pessoa real, mas não deixa de ser um personagem que possa acrescentar algo bom com o seu sonho. Vamos nos despir do preconceito, né? Com certeza várias meninas que gostaram podem ter se sentindo reprimidas com essa saraivada de críticas ao desejo da kahlen u.u

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)