O Visconde que me Amava - Julia Quinn


Título: O Visconde que me Amava (Os Bridgertons #2)
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro


A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será
Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.
Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro
da série Os Bridgertons, o senso de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

Hoje é o Julia Quinn Day, aniversário da nossa diva dos romances históricos. Nada mais justo do que trazer pra vocês a resenha de mais um livro dela, né? Adorei O Duque e Eu, amei O Visconde que me Amava e já estou louca pelos outros 2 já publicados no Brasil (e por todos os outros que ela tem e ainda terá) Que ela viva muitos anos pra escrever mais histórias maravilhosas! o/

Anthony herdou o título de visconde do pai, seu ídolo e referência, que morreu muito novo, aos 38 anos. A perda foi um choque e gerou a certeza no coração de Anthony: ele não poderia superar o pai em nada, e isso incluía a idade. Enquanto ainda era jovem, foi um típico libertino, mas a casa dos 30 batia à porta, lembrando-lhe da necessidade de gerar um herdeiro, pois sua morte estava iminente. Fácil, era só arranjar uma esposa bonita e inteligente, mas não apaixonante. Ele não queria se envolver emocionalmente nem ser amado por ela pra não causar o mesmo sofrimento que a mãe viveu ao perder o esposo. Lógica simples, mas quem manda no coração?

Como Anthony se acostumara a conseguir o que queria, não tinha dúvida de que encontraria uma mulher atraente e inteligente por quem nunca se apaixonaria. E qual era o problema nisso? Era provável que ele não encontrasse o amor de sua vida mesmo se ele estivesse procurando por ele.

Kate perdeu a mãe quando criança, foi criada pela madrasta como se fosse filha. A situação financeira da família não ficou boa após a morte do pai, então elas precisaram esperar a irmã mais nova chegar à idade de desposar para que as duas fossem apresentadas juntas. Kate, já considerada "velha" pra casar, arranja um problemão quando a irmã - linda, que atrai os olhares e interesse de todos os solteiros - disse que só se casa com sua aprovação, e justamente o maior dos libertinos resolve lhe fazer a corte. Como permitir que a irmã se case com um homem de reputação tão ruim?

- Ironia não lhe cai bem, Srta. Sheffield.
- Nada lhe cai bem, lorde Bridgerton.

Já conseguiram delinear a história, né? (até porque fica tudo muito óbvio na sinopse) Li algumas resenhas que criticaram o medo de Anthony de se apaixonar porque ia morrer jovem, que era algo sem fundamento, por isso o livro não foi tão bom. Eu não enxerguei assim. Se a gente não consegue controlar a paixão, quem dirá o medo. A mente humana é inexplicável, muitas coisas acontecem sem motivo mesmo... Eu achei plausível, incluindo as reações e precauções.

- Às vezes... - disse Anthony com a voz hesitante -... às vezes, existem razões para os nossos medos que nós não conseguimos explicar. Pode ser só uma sensação, algo que sabemos que é verdade mas que pareceria infantil a outra pessoa.

Esse livro tem enredo e personagens diferentes, mas há muitas semelhanças com o primeiro. O mocinho é influenciado pelo passado, mais especificamente por causa do pai. A mocinha tem personalidade forte, se apaixona por ele, mas teme nunca ser correspondida. Ambos os casamentos foram forçados depois de uma situação comprometedora. A cerimônia em si não tem destaque na narrativa, a autora só fala superficialmente que teve e como foi, mas não é uma cena importante. O conflito se dá com o casal: ela tem um desejo e ele se nega a realizá-lo. Mas tudo isso é um parecido que fica bem diferente.

Não dá pra gente começar a ler esperando algo totalmente inovador, até porque - vamos combinar - é difícil fugir do clichê. Mesmo assim, é uma delícia de ler! Julia é divertida e irônica. Eu ria tanto que cheguei a acordar meu marido com a gargalhada ainda bem que ele tava com sono demais pra lembrar no dia seguinte rs. Como não se divertir com as cutucadas de Lady Whistledown em cada início de capítulo? Amo/sou! É o maior mistério da história: quem será a dama fofoqueira e autêntica por trás do pseudônimo?

Como comentei na resenha do outro livro, tem machismo pra caramba, característica da sociedade da época. Aqui o conceito "me divirto com as mulheres que não se dão valor, mas me caso com uma de família" é o cerne da questão. E ainda tem as questões de honra, tanto da mulher, que precisa se preservar, como do homem, que tem suas obrigações a cumprir.

Um homem charmoso é muito agradável e um homem de boa aparência é, sem dúvida, uma visão que vale a pena, mas um homem honrado, ah, querida leitora, é para ele que as jovens deveriam correr.

A tal conversa entre mãe e filha na véspera do casamento é bem menos cômica do que no primeiro livro, mas ainda assim é curioso ver a diferença daquela época pra agora. E, falando nesse relacionamento, adorei a forma como Julia apresentou uma madrasta maravilhosa, que assumiu a responsabilidade de criar a enteada como se fosse sua, tanto que nunca fez diferença entre ela e a filha biológica. Gostei da sacada de fazer uma oposição ao livro 3, que é uma releitura de Cinderela (ainda não lido, quem estou ansiosíssima?).

- Ouça com muita atenção - disse ele, com a voz firme e intensa -, porque só vou falar uma vez. Eu a desejo. Meu corpo arde por você. Não consigo dormir à noite pensando em você. Mesmo quando não gostava de você, eu a desejava. É a coisa mais enlouquecedora, encantadora e abominável, mas é isso. E se eu ouvir mais uma bobagem da sua boca, vou amarrá-la a esta maldita cama e me satisfazer com você de mil maneiras diferentes, até enfim entrar na sua cabecinha idiota que você é a mulher mais linda e desejável da Inglaterra, e se nem todos veem isso, então são um bando de malditos tolos.

Daphne e Simon, casal protagonista de O Duque e Eu, aparecem bem rapidamente, mas podemos ver que eles continuam bem e felizes. E os outros irmãos são citados, só pra dar um gostinho do que podemos esperar nos próximos livros.

Não poderia terminar meus comentários sem destacar as cenas de sexo. Como o foco do livro não é esse, não categorizamos como hot, mas quando chega a noite de núpcias (e os outros dias posteriores)... ui ui ui ui ui! É a forma não vulgar de narrar a relação, o sabor da descoberta, o amor não declarado, mas presente em cada atitude. Acho que gosto tanto porque tem sentimento envolvido e delicadeza na forma de descrever.

Assim como no 1, eu imaginei uma Kate totalmente diferente, não consigo enxergar uma Kate loira. Mas vá lá, a capa tá bonita, mantendo o padrão da série. E a revisão também está ótima.

Depois disso tudo, nem preciso dizer que gostei, né?

19 comentários

  1. Julia escreve muuuuuuuuuuuuuuuuuuito e merece o reconhecimento tanto dos leitores, quanto da Arqueiro, melhor aposta em romances históricos não poderia ter!
    ja estou com saudade de ler os livros dela, eu os devorei tão rapidamente!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu amo demais esse livro, muito mesmo. No início eu achei o medo do Anthony meio besta mesmo, mas a autora ao longo da narrativa consegue convencer o leitor da seriedade da questão. Eu também não tenho moral nenhuma para reclamar, morrendo de medo do escuro como morro. Ah, já estou com vontade de reler.

    http://thefatunicorn.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ooi, Giulia!!

    Eu nunca fui fça de romances de época, mas todas essas resenhas sobre essas obras estão me deixand com uma super vontade de ler. A autora é sempre muito elogiada e a escrita parece ser incrivel. Ainda bem que seu marido não lembrou de ter sido acordado HSUAHSUAHSUAH. Gosto quando isso acontece em uma leitura.
    Quando a autora consegue criar uma cena hot de uma maneira diferente do que estamos vendo hoje em dia, ela já ganha ponto comigo. Enfim, eu quero ler essa série de livros assim que terminar a minha pilha.


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Giu <3

    Ainda não conheço a escrita da Julia, mas só ouvi elogios dessa série e da autora. Gosto muito de romances de época, mas faz tempo que não os pego para ler. Pretendo ler os livros dela esse ano. Pare de me tentar dona Giulia! HAHAHAHAHAH Já sou gastona e com as suas resenhas como resistir? Coitado do marido!!! Ainda bem que ele não lembrou de nada HAHHAHA eu acordo a casa toda </3 Você literalmente devorou o livro :p O diferencial dos romances históricos é que as cenas hots dão apenas um gostinho de quero mais! Leia "Sedução" da Nicole Jordan, eu fiquei pasma. Que livro incrível. HAHAHAHAH

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, moça.
    Adorei a resenha.
    O livro pelo visto é mais do que gostoso de ser lido. As diferenças entre o casal é bem chamativa e me deixa curioso para saber como se dá a união de ambos. Já a narrativa engraçada e irônica da autora deve ser outro ponto forte no livro, apesar dos clichês. Fiquei curioso para ler, já que adoro romances de época e gostaria de saber como a autora nos mostra a Londres de 1814.

    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Giulia eu amo romances históricos, lendo sua resenha imagino a cena você gargalhando hehe , e com isso o livro já me cativou um livro de romance histórico que vai me garantir boas risadas. Esse lance de casamento arranjado sempre tem seus clichês não tem como mudar isso mas a Diva Julia sempre conquista seus leitores. Gostei muito da premissa do livro e já comprei para ler. beijos lindona

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Giulia!
    Preciso dizer... romances de época não me atraem. Vi muitas resenhas positivas à essa autora, mas por ser de época não tenho vontade de ler. Agora que você citou que tem muito machismo, o que eu já imaginava, tirou totalmente a minha vontade de ler, é meio que questão de honra eu, como boa feminista que sou, evitar e desencorajar leituras machistas rs
    Mas gostei bastante da sua resenha, ficou super bem explicada, que bom que gostou do livro!

    Beijos
    Rayssa
    http://diariosdleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Giulia, os romances históricos são meus preferidos, mas ainda não li Julia Quinn, pretendo ler em breve. Gostei bastante dos pontos destacados na resenha, principalmente o fato de a madrasta tratar Kate como sua filha. Fico me imaginando em um casamento arranjado, nossa não ia ser fácil!
    Beijos
    Porão da Liesel
    Fan page

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Primeiro quero parabenizar a Julia atrasado kkkk Desejo muitos anos de vida para essa mulher, que ela escreva muitos outros livros para a gente :3 Bom, eu ainda não li essa série, mas tenho os livros aqui e quero muito ler todos eles, só vejo comentários positivos, então imagino que devam ser realmente romances maravilhosos *o* Gostei bastante da sua resenha, imagino que irei adorar esse livro o/

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Giu, tudo bem???
    Ah.... Sou fã dessa coleção, estou comprando os livros aos poucos e quando minha série estiver completa, irei ler todos de uma vez só. Ontem eu descobri que a editora já liberou a capa do livro 5, depois confira no facebook da editora.

    Agora para tudo!!!! Eu ouvi com muita atenção o que ele disse, risos...Adorei esse trecho que colocou, super forte, já me apaixonei e fiquei suspirando aqui!!!!! Que homem!!!
    Giu, amei sua resenha!!!! Que vontade de pegar o livro agora e começar a ler, ele está tão pertinho de mim!!!! E olha, eu conheço alguns homens que morrem de medo de morrer, sem nenhuma explicação plausível. Quando pegam uma simples gripe, dizem que estão com algo muito grave, risos... Acho que é típico dos homens, é mais comum do que parece.
    Ah!!!!! Quero muito saber quem é essa fofoqueira, me deixou super curiosa e fiquei imaginando a cena aqui de você dando gargalhadas.
    Adorei e ainda nem li, risos... É por isso que os romances históricos são meus preferidos, nunca me canso deles!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Giulia, não vejo a hora de começar a ler esta série. Acho que já vou começar este mês mesmo, já que o ultimo volume já saiu. Estas cenas delicadas como você bem ressaltou acho que combinam melhor com a época retratada.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Oi, Giu
    O que mais interessa nesses romances históricos é captar as nuances da sociedade representada na época. Os costumes, as convenções sociais acerca do homem digno, famílias respeitadas e casamentos. O que mais me motiva a ler livros assim é justamente isso e não o romance como foco narrativo, entende?
    Gostei do que foi dito e suas ressalvas. Confesso que já fiquei mais interessado ( :

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Nem fiquei sabendo do Julia Quinn Day, a desinformada... rs.... podia ter aproveitado pra ler o primeiro livro dessa série, porque morro de curiosidade para conhecer a escrita da autora! Adorei saber que ela é irônica e divertida, tão divertida a ponto de você acordar o marido com as gargalhadas! hahaha... Acho que nesse gênero não dá mesmo pra fugir muito do clichê, mas o jeito como as histórias são contadas que faz a diferença.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  14. Olá Giulia, eu amo romances históricos etão não tem como não querer ler essa serie <3 Gosto de quando os protagonista lutam até o ultimo momento contra seus sentimentos, mas no fim acabam cedendo para eles *--*

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  15. Li poucos romances históricos, mas adorei as sua resenha! Ainda não conhecia essa série, mas fiquei curiosa. Não é o meu gênero favorito, mas de vez em quando é bom fugir dos gêneros favoritos né? Gosto de protagonistas que precisam de um tempo maior para aceitar seus sentimentos, os finais são sempre de tirar o fôlego. Parabéns pela resenha =)

    Beijinhos, De
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Você é uma chata que começou justamente a série que eu não tenho! Assim eu morro de curiosidade hahaha
    Adorei a proposta, e foi ótimo saber que a madrasta de Kate é decente. Nunca vi uma assim em histórias, mas é é bom mudar um pouco né. Histórias que abordam dilemas entre razão e coração sempre me agradam =)
    E estou morrendo de curisiosidade para saber como vai acontecer essa transição entre 'ele é o pretendente da minha irmã' e 'ele é o meu marido'.

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  17. AMo os livros da série, amo a escrita da autora e amo os Bridgertons<3

    OS livros da Julia Quinn são tão viciantes e fofos e lindos e apaixonantes e quentes e doces, afirmo de todo coração que os livros dela foram uma das melhores leituras que já conclui. Amo livros de época, e amo esse jeito que ela transforma a estória em algo um tanto mais leve do que realmente seria se fosse naquela época... as escapadas, os meninos safados, as risadas que são marca presente em todos os livros, os suspiros, é tudo tão mágico e doce, que confesso que fico morrendo de vontade de estar participando de tudo, de viver junto deles rsrs

    VocÊ viu que a Julia vai estar presente na Bienal do Rio? Tô quase tendo um treco, porque queria muito conhecê-la..

    Adorei! Bateu saudade dessa família linda! rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Olá Giulia!
    Eu tenho até o livro três, mas só li O Duque e Eu e amei esse livro. Pretendo ler esses livros em breve. Que bom que você gostou desse livro. Deve ter sido difícil os personagens não se apaixonarem, principalmente com o medo de Anthony de morrer cedo. Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Adoro a Julia! Pra mim é a melhor escritora de romance de época e a série dos Bridgertons então... minha favorita! Eu gostei mais desse do que do primeiro, me cativou um pouco mais a história de amor de Anthony e Kate, além das cenas hilárias que me fizeram rir demais. Gostei da resenha :)

    Dá uma passadinha no meu blog:

    http://manualinvertido.com/

    Beijos

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)