Brilho - Amy Kathleen Ryan


Título: Brilho (Em Busca de Um Novo Mundo #1)
Autora: Amy Kathleen Ryan
Editora: Geração


A mais fascinante trilogia desde Jogos Vorazes. A Terra não existe mais, e em duas naves que procuram um novo mundo no espaço, uma menina de 15 anos precisa casar e engravidar para garantir a sobrevivência da humanidade. Enquanto isso, uma sucessão de acontecimentos eletrizantes torna a jornada pelo espaço algo absolutamente imprevisto. Temas como religião, a escolha da mulher e a ideia de poder e dominação vão aparecendo muito suavemente articulados ao longo da trama, amarrando o leitor com surpresas e reviravoltas estonteantes. São temas universais, postos num livro por uma escritora surpreendente e que promete arrasar a cena literária a partir desta sua fantástica criação.

A Terra sofreu com desastres naturais e já não é uma opção de lugar pra se viver. Por isso, 2 naves foram construídas para serem autossuficientes no espaço enquanto buscam um novo lar durante décadas.

A New Horizon foi lançada primeiro, mas as mulheres a bordo não conseguiram engravidar e povoar a nave com uma geração jovem. A Empyrean tem adolescentes já sendo treinados pra assumirem funções de comando, só que sua população não sabe o que acontece na nave irmã.


E um dia, quando deveriam estar a anos-luz de distância, as naves se encontram em uma terrível surpresa: a população da New Horizon invade brutalmente a Empyrean, levando consigo as meninas da nova geração, concebidas no espaço, para garantir sua reprodução e continuidade. Restaram os meninos, que precisam de uma maturidade ainda não atingida para lidar com o medo e a responsabilidade, e poucos adultos, que lutam pra reverter os estragos na nave.

Enquanto isso, as meninas vivem na New Horizon uma nova realidade, divididas entre a adaptação e a revolta, o medo e a novidade. As mais velhas, lideradas por Waverly, não ficam conformadas com a situação, principalmente por saberem o motivo de terem sido capturadas. E vão lutar até o fim pra fugirem da vigilância excessiva e voltarem à nave onde nasceram.

Brilho é uma distopia com um fundo de romance, mas ele é tão mínimo pro enredo que eu nem citei no resumo aqui em cima. Pra começar, preciso dizer que não gosto dessas comparações com outros best seller; já na capa aparece uma referência a Jogos Vorazes, e não consegui enxergar nenhuma relação entre eles.

Vamos ao romance... Citei a Waverly, que é a menina mais velha da geração que nasceu no espaço. O menino mais velho é Kieran, cogitado pra ocupar o posto de Capitão da nave. Eles namoram, mas é no pedido de casamento que ela para pra pensar se realmente quer isso pra sua vida. Eles são bem diferentes, principalmente em relação à religião, e isso pode ser um problema na vida a dois.

No momento do ataque à nave, Waverly começa a olhar Seth com outros olhos, e aí começa um triângulo amoroso que ninguém merece! Não posso nem dizer que torci pro cara errado porque não tem nesse primeiro livro uma definição do casal (será essa a relação com JV?). Sei que os 2 meninos ficam um bom tempo discutindo e rivalizando, não só pela liderança na nave na ausência dos adultos, mas também por causa dos sentimentos por Waverly.

Achei legal os temas tratados no livro, que vão muito além de romance.
O primeiro deles é a gravidez: numa realidade de poucas pessoas no espaço em busca de um novo mundo, torna-se imperativo "crescer e multiplicar", senão a missão estará fadada ao fracasso. Waverly estava pressionada a casar com Kieran pra poder engravidar logo e povoar a nave. Já na New Horizon, a discussão vai mais a fundo, tratando necessidade, sonho, vontade própria e abuso.

A religião também é um tema bem presente. Enquanto a Empyrean é povoada majoritariamente por pessoas sem religião, a New Horizon tem cultos, ritos e uma líder ditadora. Daí vem questões como a cegueira que a fé causa, a confiança irrestrita na liderança a ponto de não enxergar evidências, a justificativa de erros por obediência divina. E na Empyrean também tem esse tema, mas de uma forma surpreendente.

Ponto de destaque do livro: a autora construiu a trama tão bem amarrada que eu não sabia quem era mocinho, quem era vilão, quem estava falando a verdade e quem estava blefando. As personalidades eram mutantes, consequentemente os meus sentimentos em relação aos personagens também. E tem ação já nos primeiros capítulos, pra te prender na leitura e plantar a semente da curiosidade.

Maaaaaas, como nem tudo é perfeito, o livro termina sem acabar. A história foi cortada do nada, sem um fechamento sequer, sem dar respostas, deixando tudo para os outros 2 livros. Não gosto de livros assim, prefiro quando a série consegue apresentar histórias individuais que se ligam para formar o todo (vide Harry Potter).

Outra coisa que me incomodou foi o excesso de personagens. Muitos nomes pra gravar, e eu já comecei sem saber o sexo dos nomes Waverly e Kieran (pra mim era o contrário, demorei a engatar a leitura). Ao final, consegui gravar os principais, e um ou outro eu preferi ignorar.

Que capa é essa??? Coisa mais linda da minha estante! Ela realmente brilha, como se tivessem colado purpurina em alguns pontos pra simular as estrelas. Adorei! \o/
Em relação à revisão, não lembro como ela estava. Faz algum tempo que li (sim, demorei a escrever a resenha), e acabei não guardando essa informação.

Espero poder ler os outros e conseguir entender melhor a história. Muitas perguntas ficaram no ar, muitas questões a serem resolvidas que podem causar uma reviravolta na história e na minha concepção sobre os personagens. O jeito é esperar.

Trilogia Sky Chasers
1: Brilho
2: Centelha
3: Flame (previsto para esse ano em inglês)

Resenha originalmente publicada no blog Todas as Coisas do Meu Mundo

♦♦♦♦♦

Esse post é válido para o TOP COMENTARISTA!
Quer participar? Veja como aqui!

26 comentários

  1. Oie!! bem bem, gostei da resenha! Gosto muito de distopias e esse mundo onde sempre acham que estão fazendo a coisa certa para o bem da nação... se esquecendo que temos o direito de questionar e não aceitar tudo oque é dito!
    Esses triângulos amorosos, se bem escritos são tão gostosos de ler... eu sempre torço pelo carinha que parece ser o errado no inicio tbem... depois é ele o escolhido! *-*
    E uma coisa que tenho tbem muito problema é com muitos personagens e nomes diferentes... eu faço uma confusão até decorar quem é quem... affffffff

    ResponderExcluir
  2. Ah Giu, eu estou super afim de ler essa distopia, mas acabo não comprando o livro.
    A primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa divina, e depois a proposta do livro.. Eu ando em uma fase onde quero romance, então acho que esse livro não é indicado para mim no momento.. e esse monte de nomes estranhos onde você não sabe quem é o homem e quem é a mulher.. isso me incomoda muito também.
    Também não gosto de histórias que terminem do nada.. mesmo sendo uma série, o livro precisa ter um fim gente!

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  3. Acho a capa deste livro divina, não gosto de livros com muitos personagens, me perco um pouco, mas a proposta deste livro parece ser interessante, eu gosto de distopia, adorei jogos vorazes, mas prefiro não fazer comparação para não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  4. Oi Giu! Também não gosto quando ficam comparando com outras séries, mas quando se trata de distopia sempre tem. A capa do livro é muito linda, já me desperta o interesse ler..mas que pena que tem muitos personagens - isso me incomoda também -, e a questão do final ,porém gostei da premissa do livro e acredito que vou ler sim.

    Beijos,
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Já vi algumas resenhas desse livro, mas acho que a sua foi a mais completa até agora. Concordo com você com relação a capa, é linda demais e só por isso já teria na minha estante.
    O que me chamou a atenção foi a necessidade extrema da procriação para lutarem, pelo que entendi só visavam isso e nada de amor.
    Também não gosto quando o livro termina do nada deixando tudo para os outros livros.
    Gostei da resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu detesto quando um livro termina desse modo também, gosto igual a vc quando tem uma história fechada por livro e uma maior que entrelaça todos eles, mas não são todos assim, vou esperar as resenhas dos próximos para ver se leio, e se ler vou esperar lançar todos para ler seguido!
    Beijos
    Paulinha Juliana
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Giu.
    Esse lance de nave para viver me lembrou o seriado The 100.
    Adoro quando fazem comparações com JV, porque pra mim é indiferente, não li, rsrs, então essas comparações não me empolgam nem desestimulam.
    Eu gosto muito de distopias, e estou sempre atrás de novas dicas, e essa das mulheres não poderem ter filhos é bem interessante. Gostei também de saber que a autora brinca com o leitor trazendo uma trama de difícil dedução.
    Mas você fez umas ressalvas de peso, como o número excessivo de personagens e o final totalmente inacabado, isso me mata.
    Como eu não quero iniciar novas séries, prefiro não ler esse livro, já que o final dele praticamente obriga o leitor a continuar...ou ficar roendo unhas.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  8. Olá amiga, passei para deixar um abraço e desejar
    que os anjos de Deus
    estejam ao seu redor
    durante toda sua vida,
    te abençoando
    grandemente!
    Que seu coração e seus sonhos
    sejam renovados e
    fortalecidos por Deus!
    Abraços no coração!
    Lourdes Duarte

    ResponderExcluir
  9. Oi Giu,
    Já te disse lá no blog que amei essa história, rs. Adoro distopias e só li The 100 que se passava no espaço!
    Adoro triângulos amorosos e geralmente acerto na escolha... pelo menos nos livros né?! kkkkk
    Também detesto essas comparações, acho que é só pra vender mais... tem um novo com essa mesma comparação. é o ó!
    Ai capa linda é comigo mesmo... quero e quero!!!

    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
  10. Hummm os autores fazem isso para deixar agente louca de curiosidade hahhaa eu também prefiro HP nesta questão ;) mesmo assim fiquei curiosa Giulia!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  11. Oi, Giulia, comprei o livro, vi que a continuação saiu e estou muito interessada na leitura!
    gostei de saber que o romance é mínimo, isso deveria ser REGRA em distopia. O romance sempre deveria estar em segundo plano, costumo dizer isso e as pessoas não gostarem, mas distopia tem que ter crítica social, cultural, existencial, etc, sempre em destaque. O resto apenas preenche a trama.
    Também não gosto de comparações com outras sagas, porque às vezes não se parecem em nada. Ou, pior, cria expectativa de algum fã, muito fã, que corre o risco de não gostar e ficar detonando o livro por aí em rixa de fandom.
    Droga! você foi contar que "acaba sem acabar" e eu não comprei a continuação, porque não sabia que seria lançada logo agora... Não sei se leio e vejo se gosto, antes de comprar o dois, ou se compro o dois e leio um atrás do outro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oie, como vai?
    Comprei esse livro por 9 reais no submarino porque tinha bastante gente comentando, agora ele sumiu um pouco dos blogs.
    Queria lê-lo ainda esse ano, mas não sei se vou conseguir.
    Pesquisei a capa do próximo e é tão bonita quanto a desse (eu achei).
    Bjs,


    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
  13. A capa é linda mesmo. Acho que estas coisas que ficaram no ar é por conta de ser o primeiro volume. O jeito é mesmo esperar como você disse.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  14. Oi, Giulia!
    Ameei sua resenha. Foi bem esclarecedora. Eu tenho esse livro e ganhei ano passado da minha amiga. Ela leu e amooou e eu ainda não li, :(
    E estou perdendo tempo. Sou fã de distopias e desses livros na qual a raça humana deve aprender sobreviver com o pouco e lidar com impactos de guerra, ataques, mentiras e blefes.
    Já li um livro que toca no ponto da gravidez na adolescência para dar continuidade a nossa espécie e amei (o livro é Partials). Não sabia dessa abordagem religiosa e achei interessante o romance, mesmo sendo pequeno!
    Aaah, e concordo com você. Autores que acabam o livro sem acabar merecem um tapa na cara ¬¬ kk

    Eu amo essa capa e Centelha já vai ser lançado! Quero muito :D

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com

    ResponderExcluir
  15. Ola Giulia a capa deve ser linda mesmo , a premissa do livro promete mas lá vem triângulos amorosos rsss ai ai , quando li a sinopse pensei nossa 15 anos precisa engravidar casar, quero ler para ver como será , só não gostei da parte do livro acabar do nada .Ma vai para lista de leitura para saber como será toda a trama . beijos

    ResponderExcluir
  16. OI Giulia!
    Eu estou bastante curiosa a respeito do livro, uma amiga minha me falou maravilhas a respeito do livro. E talvez por se tratar de uma trilogia é que ficaram essas "pontas soltas".
    Eu acho a capa linda, e detalhe não sabia que ela realmente brilhava rsrs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Olá, até gosto de distopias, mas não curto muito romances. Apesar da história ser bem amarrada, o que me irritou foi o livro não ter final deixando tudo para os próximos volumes. Isso é realmente muito chato. Dispenso a leitura.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  18. OI Giulia
    O problema dessas distopias que estão sendo lançadas é que todas querem pegar uma carona com JV, mesmo se as duas histórias não tenham nada em comum.
    A premissa do livro parece ser realmente interessante. Toda essa pressão sobre as meninas para que ela engravidem, sem levar em consideração o que elas realmente desejam.
    É muito ruim quando o autor resolve terminar o livro no meio, parece até que faltam folhas e tal. Uma pena que uma história que parece tão interessante e promissora tenha apresentado um defeito tão grande como esse.
    Tomara que os próximos livros possam suprir isso.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  19. Oieeee, achei bem legal esse livro, tenho vontade de ler mas nunca tive a oportunidade rsrs, acho a capa maravilhosa e depois de ler na sua resenha que a capa possui tipo brilhos fiquei ainda mais interessado, gosto de capas exóticas kkkk. Também odeio quando fazem comparações entre séries, quando eu li Jogos Vorazes fiquei meio assim????? Como Assim???? kkkkkkkkkkkkk, apesar dos seus pontos negativos como os personagens por exemplo eu acho que leria o livro, deve ser bem legal, gosto de histórias desse tipo rsrs, Abraços.

    ResponderExcluir
  20. Oieee
    O enredo é bastante instigante e sem dúvidas vai me prender do inicio ao fim.Achei um pouco desnecessário essa abrangência de personagens,sempre acabo me esquecendo ou confundido aqueles que não são os protagonistas.Com base no que você falou o livro é maravilhoso,tirando o fato de acabar do nada,mas só me deixou ainda mais curiosa para o próximo volume e estou cruzando os dedos para o nível da escrita da autora não ter caído.
    beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi coisa chata, tudo bem?

    Eu não tive nenhum desejo em ler a série. A capa é linda, mas essa onda de distopias, tá dando nos nervos :c hahaha.

    Vou deixar passar e ainda quero o meu livro lá!

    ResponderExcluir
  22. Oi Giulia,

    Já li muitas resenhas do livro e eu sempre falo que quero o livro, acho essa capa tão linda, imagina eu ter ela na minha pequena estante! Bom vamos a resenha, acho tão chato quando não aprendo os nomes dos persongens, muitas pessoas fica difícil de eu aprender e na hora, como você só ligo para os principais! Nao gosto de comparação com séries, pra quê fazer isso! Acho super nada a ver!

    Mayla

    ResponderExcluir
  23. Nossa, eu li Jogos Vorazes e acho que iria gostar desse tb... eu acho seu blog mto lindo e já o leio faz um tempo; tb tenho um, é bem recente, mas gostaria que vc desse uma olhada: http://livroarbitriodotco.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  24. Olá Giulia!
    A história parece ser bem legal. Gostei de saber que o livro aborda temas polêmicos como religião e gravidez. A capa é realmente linda. Não gostei muito do "romance" que tem no livro pareceu muito fraco.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Gostei bastante de Brilho, mas realmente aquele final é cruel. Sorte que agora Centelha já saiu, espero que termine de um jeito melhor, também prefiro quando são histórias meio que individuais em cada livro que formam um todo. A capa é mesmo maravilhosa, e foi ela que me fez ler inicialmente.

    ResponderExcluir
  26. Oi Giulia, tudo bem?
    Que bom saber que a capa brilha de verdade!!!!! Deve ser linda mesmo. Uma pena o desfecho ter sido assim, do nada, mas a história levanta assuntos polêmicos, que mexem com a gente, com nossas escolhas, nossos valores. Estou muito interessada nesse livro, já está na minha lista de desejados, as distopias estão dominando o mercado pelo visto.
    Fico impressionada com a criatividade desses autores.
    Gostei muito da resenha, super bem argumentada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Que prazer em ter você aqui! Entre e sinta-se à vontade.
Se gostou do post (ou não), deixe um comentário. Sua opinião é muito importante pra melhorar cada vez mais o blog. =)