Em Águas Sombrias - Paula Hawkins

Nel acabou de ser encontrada morta no lugar que mais lhe despertava fascínio, o Poço dos Afogamentos, um trecho do rio onde várias mulheres também morreram. Ela vinha pesquisando há algum tempo sobre aquelas mortes, o que a fez não ser tão bem-vista na cidade. Aliás, em Beckford todo mundo tem seus segredos. A começar por Jules, que fugiu da cidade assim que pôde e ignorou a família durante anos, e agora se viu obrigada a voltar e enfrentar os trâmites envolvendo a irmã e sua sobrinha e, o pior de tudo, relembrar todos os seus traumas.

Um tom mais escuro de magia - V.E. Schwab

Quatro universos paralelos, diferentes de muitas formas e unidos por uma única cidade. Há alguns séculos, a pessoas transitava livremente entre as Londres existentes, mas quando a magia se tornou uma doença, elas se isolaram. Das quatro, a Londres Cinza foi a única que esqueceu da existência da magia. A Londres Vermelha vem prosperando, com sua filosofia que se deve tratar a magia de igual para igual; ao contrario da Londres Branca que tenta escravizar a magia, e que nunca terá magia suficiente para satisfazer seu povo. A Londres Preta foi consumida pela magia, se tornando uma lenda entre os povos. É por causa dela que as portas entre os mundos foi fechada, restando aos magos Antari manter o mínimo de comunicação entre os mundos.

Não há uma explicação lógica para saber quem será ou não um mago de sangue. A magia simplesmente parece escolher, julgar os mais capacitados e após o fechamento dos mundos, eles se tornaram cada vez mais raros. Kell, oriundo da Londres Vermelha, é um dos últimos de sua espécie. Com foi com a magia Antari que selou as portas entre os mundos, esse magos são os únicos capazes de criar frestas para se locomover entre eles.

Porém eles não são livres para fazer o que quiserem nessa viagens. É terminantemente proibido levar transportar objetos originários de uma Londres para outra. As travessias são restritas à comunicação entre os governos, de forma que o único objeto autorizado a ser levado são pergaminhos oficiais. Contrariando o bom senso, Kell desenvolveu o hábito de colecionar pequenos objetos de outros mundos.

Quando uma mulher lhe pede encarecidamente para que Kell entregue um embrulho em outras Londres, ele não imaginava estar caindo em uma emboscada. Para muitos seria uma simples pedra, mas ele reconhece a magia pertencente no objeto. Não é fácil destruir tamanha magia, mas aquilo não deveria existir faz muito tempo. É em sua empreitada por mantê-lo longe de mãos perigosas que ele conhece Lilah Bard. A garota, que não aparentar ser muito mais velha que ele, é uma experiente ladra na Londres Cinza. As primeiras vezes que esses dois se encontram não são amigáveis, mas eles sabem que, se querem proteger seus mundos do caos que está próximo de se instalar, precisam juntar suas forças.

Sabe aquele autor que você quer ler a muito tempo, mas acaba acumulando vários de seus livros na estante sem ao menos folhear? Era minha situação com a autora. Nesse momento eu só consigo me perguntar como demorei tanto para fazer uma de suas leituras. Para quem não sabe, Victoria Schwab, de A melodia feroz e A guardiã de histórias, é a mesma autora que V.E. Schwab. Ela muda seu pseudônimo de acordo com o público alvo do livro, que nessa caso são os adultos.

O livro é narrado em terceira pessoa, sendo tão rico em detalhes que é como se você se transporta-se para dentro da história. Os personagens são bem desenvolvidos, sendo a alternância da narrativa responsável por nos permitir conhecer melhor cada protagonista. Há vários momentos clichês, e outros tantos que foram surpreendentes, mas o fato é que torci em cada etapa do caminho deles.

A divisão do livro é feito em muitas partes contendo poucos capítulos, que tinham a numeração zerada a cada nova parte. Com isso, acabei me perdendo na contagem de capítulos, e quando me dei conta, já estava avançadíssima na história. A escrita instigante da Schwab também foi essencial para que eu não quisesse desgrudar do livro um só segundo.

O grande diferencial desse universo criado pela autora, é que a magia foi posta em posição de destaque. Ao mesmo tempo em que é abstrato, é algo vivo e dotado de vontade própria. A magia coordena todo o enredo, e torna aquela análise sobre o que é bom ou não ainda mais complexa.

Quem se interessou por essa história, precisa correr para ler antes da Bienal do Rio, e por dois bons motivos. O primeiro é que a autora estará participando, a segunda é que a continuação sai em setembro! E vamos lá, depois de um final como esse, quem ia conseguir aguentar muito tempo?

A capa de Um tom mais escuro de magia é uma adaptação do original, que eu acho linda de morrer. Ela é repleta de detalhes que o leitor só irá perceber no decorrer da leitura, mas que são instigantes o suficiente para atrair o leitor que está apenas passando por ela na livraria.

Eu amei conhecer essa história e tenho certeza que, sendo um amante de fantasia ou não, você tem grandes chances de ser arrebatado por esse mundo assim como eu fui.


Um tom mais escuro de magia (Tons de Magia #1) - V.E. Schwab
Galera Record
420 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

Uma noite inesquecível - Lisa Kleypas

Esta resenha NÃO contém spoilers dos outros livros.
Segredos de uma noite de verão
Era uma vez no outono
Pecados no Inverno
Escândalos na Primavera

Resenha em parceria com a Andressa, do blog Mais que Livros

O Sr. Bowman descobriu que dinheiro não é tudo para a sociedade londrina, mas com persistência e um pouco de sorte é possível trazer um pouco de sangue azul para sua família. Depois de uma vida inteira tentando agradar ao pai, Raphael Bowman desistiu. Ele foi para o mundo fazer sua própria fortuna na Wall Street, mas se quiser assumir uma parte da empresa do pai, precisará acatar suas ordens. E, como tudo que precisa fazer é se casar com uma bela jovem, o sacrifício não lhe parece tão terrível assim. Só que, para ter sucesso em sua corte, precisará dobrar a acompanhante da moça.

O bom do amor - Chris Melo

Resenha Livro O bom do amor

Falar que eu amo a Chris Melo depois de ter lido quase todos os livros dela é até redundância. Toda resenha que sai aqui de um livro dela eu me derreto em elogios. E esse vai pelo mesmo caminho, com a diferença que aqui não tem histórias, e sim ilustrações.

Tash e Tolstói - Kathryn Ormsbee

Resenha Livro Tash e Tolstói

Natasha Zelenka é completamente apaixonada pelas histórias de Liev Tolstói, o renomado autor de clássicos como Guerra & Paz e Anna Kariênina. Ela acha que o homem é um gênio e se identifica com vários aspectos de sua vida e personalidade. Por conta disso, Tash resolveu criar uma websérie, inspirada em Anna Kariênina.

As cores do amor - Camila Moreira


Henrique Montolvani cresceu sob a rigidez do pai, o barão da soja da região. Enzo supervalorizava o dinheiro e suas posses e sonhou com o mesmo futuro para o filho, mas este tinha outros desejos, que acabaram ficando em segundo plano. Ser a única família do velho, que estava com câncer em estágio avançado, o enchia de culpa nos momentos em que pensava em abandoná-lo. E foi assim que ele levou a vida, sem imaginar que ousaria contrariar o pai. Até que conheceu uma mulher capaz de virar seu mundo de cabeça pra baixo.

A rosa e a adaga - Renée Ahdieh

Esta resenha contém spoiler do primeiro livro da série. Mas pode ler depois da 2ª foto.
A fúria e a aurora


Gosto é de livro assim, que com 2 já resolve logo tudo e não deixa a gente sofrendo na espera (mentira, se eu curto a série, quanto mais livros a autora escrever, melhor! Já já falo mais sobre isso. hahaha). Terminou a história de Sherazade e Khalid, e eu tô aqui querendo um tiquinho mais.

Três Coroas Negras - Kendare Blake

Resenha Livro Três Coroas Negras
Foto: Resenhando Sonhos

Nessa obra vamos conhecer a ilha de Fennbirn. Segundo a tradição, três rainhas irmãs trigêmeas devem disputar entre si o trono. Assim que a nova linhagem nasce, a rainha antiga já perde seu posto. Cada uma das irmãs tem um dom, que deve aprimorar até seus 16 anos, o Ano da Ascensão. A que vencer a disputa se torna a próxima rainha, as que perderem morrem.

Primeiramente conhecemos Katharine, a rainha envenenadora. As Envenenadoras têm dominado o poder há várias gerações, mas parece que será diferente com Katharine. O Ano da Ascensão está chegando, e a jovem ainda não conseguiu desenvolver seu dom, o que preocupa seus mentores.

O mesmo acontece com Arsinoe, a rainha naturalista. Todo naturalista tem um companheiro animal, seu Familiar, e o de Arsinoe ainda não atendeu seu chamado. Sua melhor amiga tem um dos Familiares mais fortes que se conhece, mas a rainha, que deveria ser poderosa, não tem nada.

Resenha Livro Três Coroas Negras Foto: Resenhando Sonhos

Por fim, temos Mirabella, a rainha elemental. Ela desenvolveu seus poderes logo na infância e é tida como a elemental mais poderosa das últimas gerações. Todos na ilha têm certeza de que Mirabella será a próxima rainha, mas as coisas não são fáceis assim nem para ela. Mirabella sofre com a pressão do Templo, que deveria ser imparcial, mas não esconde seu apoio à rainha elemental. Será que ela está preparada para algo tão grande?

O Ano da Ascensão está chegando e as três rainhas ainda tem muito que aprender e desenvolver se quiserem enfrentar as provações que se aproximam. Mas, numa guerra pelo poder, nem tudo é bem como parece.

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

Quando vi a capa de Três Coroas Negras sendo divulgada, foi amor à primeira vista. Já conhecia o trabalho de Kendare Blake, por ter lido Anna Vestida de Sangue, e a proposta desse novo livro da autora tinha tudo pra ser uma nova experiência maravilhosa! E foi, mas poderia ter sido bem melhor.

A escrita de Kendare é muito boa, mas demorei muito a me introduzir na trama. Não sei se foi devido à expectativa que criei acerca da obra ou por qualquer outra razão, mas as páginas iniciais foram um sufoco de serem lidas. Demorei quase uma semana para passar dos primeiros capítulos e, se fosse qualquer outra obra, teria abandonado ali mesmo.

Porém, mais para a metade do livro, quando a ação começa a acontecer, a autora dá um show de desenvolvimento e não deixa o leitor se desprender da história até virar a última página. Além disso, o final foi de tirar o fôlego. Kendare nos recheou com várias reviravoltas e deixou o desfecho com aquele gancho que nos faz desejar a continuação para ontem!

A edição física está sensacional. A capa é simples, mas chama bastante atenção, é lindíssima e tem um toque aveludado. A diagramação é bem trabalhada, a fonte é agradável para leitura e a revisão está impecável. As páginas são amareladas e com uma textura ótima. Mais um trabalho maravilhoso da Globo Alt.

Três Coroas Negras não foi bem como eu esperava, mas não deixa de ser uma obra muito boa. Sendo assim, deixo aqui minha recomendação a todos. Espero que gostem e se empolguem com essa narrativa. Vale a pena!

Resenha Livro Três Coroas Negras Foto: Resenhando Sonhos

Três Coroas Negras - Kendare Blake
Globo Alt
304 páginas
Livro cedido pela editora
Onde comprar: Submarino | Americanas | Saraiva | Amazon

Simpatia pelo Demônio - Bernardo Carvalho


Simpatia pelo Demônio traz um romance-suspense-nosense com um autor de peso na casa Companhia das Letras, mas que não me convenceu muito não...

Em suas páginas iniciais, o protagonista Rato é convocado para uma missão no Oriente Médio para tentar salvar uma refém nas mãos dos terroristas. Permeando essa missão, nós, leitores, vamos viajando entre passado e presente; Nova York, México, Rio de Janeiro e o destino da sua missão.

{ top comentarista } Agosto



Regras:
* Ter um endereço de entrega no Brasil.
* Curtir a fan page do blog.
* Deixar um comentário neste post com seu e-mail e/ou link de perfil no Facebook.
* Comentar em todas as postagens do mês de agosto, exceto promoções/sorteios.