Namorado de Aluguel - Kasie West


Título: Namorado de Aluguel
Autor(a): Kasie West
Editora: Verus
Nº de páginas: 250
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

Quando Bradley, o namorado de Gia Montgomery, termina com ela no estacionamento do baile de formatura, ela precisa pensar rápido. Afinal, ela vem falando dele para suas amigas há meses. Esta era para ser a noite em que ela provaria que ele não é uma invenção de sua cabeça. Então, quando vê um garoto esperando pela irmã no estacionamento do baile, Gia o recruta para ajudá-la. A tarefa é simples: passar por namorado dela — apenas duas horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. Depois disso, ela pode tentar reconquistar o verdadeiro Bradley.
O problema é que, alguns dias depois do baile, não é em Bradley que Gia está pensando, mas no substituto. Aquele cujo nome ela nem sabe. Mas localizá-lo não significa que o relacionamento de mentira deles acabou. Gia deve um favor a esse cara, e a irmã dele tem a solução perfeita: a festa de formatura da ex-namorada dele — apenas três horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas.
E, justamente quando Gia começa a se perguntar se pode transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece, expondo sua farsa e ameaçando destruir suas amizades e seu novo relacionamento.
Inteligente e maravilhosamente romântico, Namorado de aluguel retrata a jornada inesperada de uma garota para encontrar o amor — e possivelmente até a si mesma.

Resenha escrita em parceria com a Dreeh, do blog Mais que Livros.

O dia da formatura chegou. Muitos adolescentes estão empolgados com o fim eminente do colegial, mas tudo que Gia Montgomery consegue pensar é que poderá, enfim, apresentar seu namorado lindo, gostoso e universitário para as amigas. Eles se conheceram há dois meses no campos da UCLA, quando ela foi visitar o irmão e desde então se viram bem pouco, já que o universidade fica à algumas horas de distância da cidade. Por isso, quando estão juntos, eles querem aproveitar o momento sozinhos. O resultado é que ninguém conhece Bradley e a mais nova integrante do seu grupo de amigas, Jules, parecia disposta a convencer a todos que o garoto não existia. Ela não entendia o porque dessa rivalidade, mas acabaria com um problema de cada vez. Só que não.

Com uma justificativa muito furada só para ela, Bradley decidiu terminar o namoro bem ali, no estacionamento do baile. Ela se negava a passar por mentirosa e num ato de desespero, acabou entrando em uma confusão daquelas. Perto de onde ela estava, um garoto - que obviamente não era do colégio - estava sentado em seu carro lendo um livro. Ao avistá-lo a ideia surgiu em sua mente: ele seria seu namorado de mentira. Seriam duas horas, algumas mentirinhas, um rompimento dramático e tudo acabaria bem. Era um plano simples, eficiente, não tinha como dar errado. Só que deu tudo errado, pra ela. Após o baile aquele garoto que, em uma situação normal, dificilmente chamaria sua atenção não saia da sua mente. E ela nem ao menos sabia o seu nome! A única informação que tinha era que a irmã dele estudava no mesmo colégio que ela. E agora, o que Gia faria?

Eu sei, já da para avistar todos os erros dessa história, todos os pontos em que a protagonista errou e as situações que irão se complicar depois. Isso porque vocês nem leram a sinopse, ela conta tudo mesmo. O livro é bem isso, adolescente e previsível e ainda assim, trás assuntos sérios e de grande importância para a nossa geração. A escrita de Kasie West é descontraída, refletindo muito bem o espírito jovem. Eu já tinha outros livros da autora na lista de leituras e a boa experiência está me fazendo querer mais obras suas.

Essa história tem tantos personagens legais, que fica até difícil escolher algum. O meu preferido é o namorado de mentirinha de Gia. Sério, se ela achava o Bradley perfeito é porque ainda não tinha conhecido esse menino. Ele pode não ser um galã, mas está longe de ser feio e é tão fofo e divertido... Além disso, ele trás sua irmã, Bec, para a história e ela é demais. Tem alguém querendo história dela por aqui?! Ela faz a linha rebelde, mas na verdade ela só quer ser ela mesma, sem nenhuma amarra. Bec tem seus motivos para querer Gia bem longe de sua família, mas reconhece que a garota pode ser de grande valia e mesmo contra sua vontade, acaba por reaproximá-la de seu irmão. E a mãe deles, eu falei sobre ela? Ahhh gente, essa família é muito amor! Ao contrário de uma outra ai...

Essa história tem dois problemas centrais e um deles pode ser atribuído a Jules. Ela é nova no pedaço e foi adotada por seu trio de amigas, que agora virou quarteto, mas que está quase voltando a ser trio. Só não se sabe, ainda, quem é que ficará de fora. A garota faz questão de ser do contra! Investiga, mente, questiona... tudo que puder fazer para gerar atrito entre as meninas, pode ter certeza que ela fará! A autora até tentou redimi-la no final, dando uma justificativa aceitável para tal comportamento, mas sinceramente? Existiam formas mais simples e bem menos dolorosas de se resolver a questão e isso vale para as trapalhadas de Gia também. Ainda bem que nossa protagonista amadurece ao fim da história, ela nem tinha outra opção depois de todas as situações pelas quais passou.

Todo livro que aborda temas colegiais costuma mostrar o quanto os jovens são influenciáveis, principalmente por aqueles com quem convive e são raras às vezes em que essa influência é boa. Namorado de aluguel vai um pouco mais além mostrando que esse não é um problema que se limita a uma faixa etária. Como a leitura é bem rápida, de uma chance para esse livro, mesmo que sua época de colégio já tenha passado há algum tempo.

{ novidades } Lançamentos de Maio - Grupo Planeta




Raio de Sol
Kim Holdem

Segredos.
Todo mundo tem um.
Alguns são maiores que os outros.
Alguns, quando revelados,
Podem curar você...
E outros podem acabar com você.
Faça épico, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol.
E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.

{ evento } Conhecendo a Record


Sexta-feira foi dia de pegar o cupom dourado e vistar a fantástica fábrica de chocolates livros. Alguns parceiros da Galera e do Grupo Record foram convidados a conhecer a editora, incluindo o local onde são impressos esses pedacinhos de paraíso, também conhecidos como livros.

Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar - Sarah MacLean


Título: Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar (Os Números do Amor #1)
Autor(a): Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 384
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Cultura
Nota:

A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.

E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para
cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.

Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.

Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Aos 17 anos, Calpúrnia teve um encontro marcante com o marquês de Ralston nos jardins de um casarão quando fugia de um baile. Era sua primeira temporada, mas ela já pressentia seu fracasso na sociedade, especialmente por conta do seu nome incomum, de sua beleza nem um pouco exuberante e dos vestidos estranhos que sua mãe a obrigava a usar. Ele a tratou com bastante atenção, fazendo elogios e elevando a autoestima da moça, mas, quando ela achou que poderia ser alguém importante pra ele, se deu conta de que apenas era um inconveniente pros planos do marquês; ele precisava do local para um encontro secreto com outra mulher. Ela assistiu tudo escondida, e as imagens dos beijos ardentes nunca saíram de sua cabeça.

10 anos depois, Callie nunca foi beijada, mas não deixou de acreditar no amor. Leu todos os livros que pôde e sonha com o dia que seu Ulisses chegará, só que isso parece cada dia mais impossível, ainda mais agora que sua irmã caçula está noiva. No baile de noivado, ela deu uma fugidinha e acabou parando no escritório do irmão,que sem querer incentivou-a a agir com mais ousadia, a ir além. Soma isso com um tantinho de bebida... pronto! Ela escreveu uma lista com 9 itens que gostaria de fazer caso não precisasse se preocupar com sua reputação.

Beijar alguém... apaixonadamente
Fumar charuto e beber uísque
Montar com as pernas abertas
Esgrimir
Assistir a um duelo
Disparar uma pistola
Jogar (em um clube para cavalheiros)
Dançar todas as danças de um baile
Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.

Já estava meio alegrinha, com ideias novas na cabeça, e, pra piorar a situação, ouviu em uma conversa que mania de ficar escondida espiando, Callie! sua irmã e seu cunhado a chamado de passiva, usando o futuro do pretérito pra indicar que ela seria uma boa mãe. Pronto, acabou com a menina! Dois segundos e meio de falta de juízo, e ela se vê saindo de casa - escondido, porque já deu pra perceber que ela é dessas - e batendo na porta de Gabriel St. John, o tal marquês que há uma década povoa seus pensamentos. E num momento ímpar de coragem lhe pede um beijo.

Foi tudo aquilo que ela esperava e mais um pouco. Mas não, não era paixão, e sim um acordo. Gabriel acabara de descobrir que tinha uma meia-irmã, fruto do relacionamento da mãe com um italiano, e agora ela estava sob sua responsabilidade e precisava ser apresentada à sociedade. Quem com uma reputação melhor do que a de Callie pra amadrinhá-la? Ela apareceu como a solução para todos os seus problemas. SQN!

- Acho que estou muito satisfeita pelo senhor ter cumprido sua parte no acordo.
- Bastante agradável não deveria ser o que está procurando. Nem o beijo deveria deixá-la satisfeita.
- Como ele deveria me deixar?
Gabriel então a beijou. De verdade.
E ela se perdeu.
- Beijos não devem deixá-la satisfeita. Eles devem deixá-la querendo mais.

Agora ela já poderia riscar o primeiro item da lista, e ela tomou o gostinho pela aventura. Entre ajudar a irmã St. John a aprender as regras da sociedade londrina, conviver com o marquês Ralston, se disfarçar pra viver novas aventuras e riscar outros itens da listas, Callie vai descobrir que o amor é tão perigoso quanto delicioso.

Nunca tinha lido Sarah MacLean, mas em se tratando de romance de época a gente pega sem medo. E não me arrependi! Foi uma leitura ótima, bem envolvente e rápida. Deu até agonia porque não podia parar pra me dedicar ao livro, então ia lendo de 1 em 1 capítulo em qualquer intervalo que eu tivesse até completar.

Claro que deu uma raivinha da Callie em alguns momentos, de gabriel em outras, mas o ser humano é assim, né, minha gente? Cheio de manias e defeitos como eu e você, com suas paranoias que por muitas vezes impedem de seguir rumo à felicidade. Os traumas pessoais foram bem trabalhados, cada um com seus motivos para manter um pé atrás e não se jogar de cabeça no relacionamento.

Nunca experimentara nada como aquilo... nada como ela. Nunca estivera com uma mulher tão aberta e livre... nunca conhecera nenhuma tão disposta a dar e a receber e a abraçar a paixão com uma vontade tão poderosa. Nunca conhecera ninguém como ela.

Entenderam que eu gostei do romance? Ok, agora tira o foco dele e vamos falar de outra coisa. Toda essa libertação da protagonista poderia ter acontecido sem o vínculo TÃO forte com um homem. Gosto da pegada feminista dos romances de época, que mostram protagonistas à frente do seu tempo, independentes, ousadas. E Callie teria tudo pra ser assim, mas Ralston está o tempo inteiro guiando seus passos, dando a ela uma pseudoindependência. Seria muito mais legal se ela conseguisse romper com os padrões, acessar os locais proibidos e cumprir toda a sua lista sem a mãozinha dele.

Ah! Não entendi esse título. É uma tradução quase fiel à original, mas ficou esquisita, porque no fim não teve muito a ver com a história. Ficou com cara de livro de autoajuda. E não é exagero, eu já tinha essa impressão quando ouvi uma menina contando que perguntou sobre ele na livraria e a atendente mandou procurar na seção de autoajuda. ¬¬ Então, né?

A capa é padrão Arqueiro de qualidade, com bom gosto e sem aquela cara de romance de banca. As próximas da série também são lindas, e é claro que eu quero ler as histórias do gêmeo de Gabriel e da meia-irmã deles. ♥

Mais uma ótima série que eu comecei, pra lista de incontáveis que estão pela metade e que não consigo definir de qual gosto mais. hahahaha!

{ novidades } Lançamentos de Maio - Grupo Companhia das Letras





A Coroa (A Seleção #5)
Kiera Cass

Às vezes, se apaixonar é a atitude mais corajosa que alguém pode ter.
Em A herdeira, o universo de A Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria Seleção. Ela não acreditava que encontraria, tal como seus pais, um amor verdadeiro durante o concurso. Mas alguns candidatos conseguem abrir rachaduras nas muralhas que Eadlyn construiu em volta de si mesma, principalmente de seu coração. Aos poucos, os Selecionados se tornam seu porto seguro, ao mesmo tempo que a fazem enxergar como é a vida fora da bolha em que vive.
E ela realmente está precisando: os acontecimentos no palácio obrigam Eadlyn a assumir cada vez mais responsabilidades no governo, e a garota não tem escolha a não ser encarar a rejeição do público. Seu maior desafio é se aproximar do povo, mostrando que se importa e que tem capacidade de governar. Tudo isso enquanto a pressão para escolher um marido só aumenta — e um garoto em particular começa a tomar conta de seu coração.

O Acordo - Elle Kennedy


Título: O Acordo (Off-Campus #1)
Autor(a): Elle Kennedy
Editora: Paralela
Nº de páginas: 360
Onde comprar: Saraiva | Cultura
Nota:

Tocante, profundo, engraçado, sexy... "O Acordo" é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto. Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

Quando chegou o e-mail disponibilizando a prova, eu respondi sem sequer ler a sinopse. Pra mim bastava saber que a) era new adult e b) era Paralela. Esse gênero sempre traz um tema forte, e quando ia começar estava me perguntando qual era. Minha resposta veio na primeira página: estupro.

Hannah passou por uma experiência bastante desagradável aos 15 anos, mas, depois de muito tratamento, superou e seguiu a vida. Saiu da sua cidade natal e foi estudar fora, se revelando uma ótima aluna do curso de música e uma cantora com a voz excepcional. Depois de 2 relacionamentos frustrados, ela se fechou um pouco, mas mesmo assim fica de olho no cara do time de futebol americano, só que ele é praticamente inacessível, ainda mais pra uma menina invisível como ela.

{ novidades } Lançamentos de Maio - Grupo Autêntica




A Bela e o Ferreiro (Spindle Cove #3,5)
Tessa Dare

Diana Highwood estava destinada a ter um casamento perfeito, digno de flores, seda, ouro e, no mínimo, com um duque ou um marquês. Isso era o que sua mãe, a Sra. Highwood, declarava, planejando toda a vida da filha com base na certeza de que ela conquistaria o coração de um nobre. Entretanto, o amor encontra Diana no local mais inesperado. Não nos bailes de debute em Londres, ou em carruagens, castelos e vales verdejantes… O homem por quem ela se apaixona é forte como ferro, belo como ouro e quente como brasa. E está em uma ferraria… Envolvida em uma paixão proibida, a doce e frágil Diana está disposta a abandonar todas as suas chances de um casamento aristocrático para viver esse grande amor com Aaron Dawes e, finalmente, ter uma vida livre! Livre para fazer suas próprias escolhas e parar de viver sob a sombra dos desejos de sua mãe. Há, enfim, uma fagulha de esperança para uma vida plena e feliz. Mas serão um pobre ferreiro e sua forja o “felizes para sempre” de uma mulher que poderia ter qualquer coisa? Será que ambos estarão dispostos a arriscar tudo pelo amor e o desejo?

Adeus, por enquanto - Laurie Frankel


Título: Adeus, por enquanto
Autor(a): Laurie Frankel
Editora: Paralela
Nº de páginas: 320
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Fnac | Cultura
Nota:

A talentosa autora de Atlas do amor inova em seu segundo romance, no qual conta a história do jovem casal que estendeu seu amor para além dos limites da vida. Não é milagre e nem magia, é pura ciência da computação. Graças ao software que Sam Elling, um divertido programador do MIT, desenvolve, torna-se possível conversar com projeções perfeitas de pessoas queridas que morreram. Assim, ele ajuda sua namorada a superar a perda recente da avó, mas não esperava que um dia fosse precisar se tornar usuário de seu próprio programa...

Um cara nerd, MUITO nerd, que manja muito de ciência de computação e trabalha numa empresa de relacionamentos cria um software perfeito que cruza todas as informações das pessoas e as junta em casais ideais. Foi assim que Sam conheceu Meredith, uma funcionária da mesma empresa que nunca iria cruzar o seu caminho se não fosse por isso.

{ novidades } Lançamentos de Maio - Valentina




Delícia, delícia
Donna Kauffman

Quando a extraordinária confeiteira Leilani Trusdale trocou a agitação de Nova York pela pacata e doce Ilha de Sugarberry, não esperava que seu passado a seguisse. Seu antigo chefe, Baxter Dunne, também conhecido como Chef Hot Cakes, o homem que ensinou a ela que o creme compensa, reaparece desejando filmar seu famoso programa de culinária. O problema é que ele escolheu filmar na Cakes by The Cup, a minúscula e aconchegante confeitaria de Leilani. Com seu olhar de brigadeiro de colher e aquele irresistível sotaque britânico -- que faz a moça babar e seu rosto corar como calda de cereja --, ele fez as fofocas de cozinha rolarem soltas.

Lani, lá no fundo, só deseja que algumas sejam deliciosamente verdadeiras... Os amigos estão convencidos de que o ex-chefe é o ingrediente que falta para a definitiva receita de felicidade dela. Porém, Baxter terá que botar a mão na massa se quiser tirar do forno um grande, verdadeiro, quentinho e saboroso amor. No Clube do Cupcake, cozinhar é apenas um detalhe. Entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando, hummmm, mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar. É hora de praticar boloterapia!!!


Temporada de Segredos - Sally Nicholls


Título: Temporada de Segredos
Autor(a): Sally Nicholls
Editora: Geração
Nº de páginas: 244
Onde comprar: Submarino | Saraiva | Americanas | Cultura | Fnac
Nota:

Perdida de sua irmã, Molly vê um rapaz sendo caçado numa floresta. Aterrorizada, ela tenta ajudá-lo e sente compaixão. Voltando para a casa de seus avós, conta a todos o que ocorreu, mas quando procuram o homem ferido, não o encontram e atribuem a imagem à fértil imaginação da menina. No dia seguinte, numa velha igreja, Molly percebe, surpresa, que o rosto daquele misterioso rapaz está esculpido em uma coluna. Quem seria ele? No desenvolver da história, nos envolvemos com o misto entre mistério e magia que envolve aquela noite de perseguição, ao mesmo tempo em que nos sentimos comovidos pela triste histórias das irmãs, órfãs de mãe e levadas pelo pai para serem criadas pelos avós. Vemos o texto se desenvolver pela ótica de Molly, o que nos leva a imaginar o mundo dela, como uma criança. Ao mesmo tempo, o livro nos faz lembrar das fábulas de infância que tanto admirávamos e nos causa grande impacto, pelo fato de alguém tão jovem ter que lidar com algo tão complexo como a doença e a morte da mãe.

Molly e Hannah foram morar com os avós maternos após a morte da mãe. O pai ficou meio desorientado no período de luto e se tornou bastante ausente, quase não visita as meninas. Cada uma delas reage de uma forma, até porque têm personalidades bem distintas. Hannah é mais velha, bem impaciente, mais extrovertida, responde os avós e já está desiludida quanto às promessas do pai. Já Molly tem uma visão mais ingênua, romantizada; é instrospectiva, crédula, gosta de ler e imaginar e ainda sofre com a ausência da mãe. A mudança foi bem impactante pra ambas. O avô é aquela fofura que a gente imagina de vô, sempre carinhoso, mas a avó não tem tolerado as grosserias de Hannah e não está muito satisfeita.

É nesse cenário familiar confuso que a aventura de Molly começa. Hannah tentou fugir de casa e chamou a irmã pra ir junto, mas a caçula acabou se perdendo na floresta. De repente se deparou com um homem sendo perseguido por um bando de cães e cavalos e um homem com chifres. Claro que ela ficou com medo e preocupada com o homem correndo perigo, então voltou pra casa pra buscar ajuda. Mas também é claro que ninguém acreditou nessa história, né? Molly não esqueceu aquilo, e no dia seguinte, no meio de uma visita escolar à igreja, vê o rosto do tal homem numa coluna da igreja, descobrindo que ele era o Homem Carvalho.

Será que Molly sonhou? Foi fruto de sua imaginação fértil? Ou realmente aconteceu? Junto com a pequena, vamos embarcar nessa fábula e participar de seus conflitos de luto, saudade e amor por um pai ausente.

Você pode até se acostumar com o vazio na sua vida onde antes havia alguém. Um vazio onde você pensava que aquela pessoa iria viver ali para sempre, mas um dia essa pessoa sai, sem olhar para trás, ou dizer adeus, e some para sempre.

Já tinha lido Como Viver Eternamente e achado mais ou menos. Impactante - lógico - por se tratar de um menino tão novo com câncer dando uma lição de vida em muito marmanjo. Mas a escrita não me conquistou. Resolvi dar outra chance à autora e foi mais decepcionante ainda. Acho que entendi errado a proposta da sinopse, porque frustração é a palavra que define minha leitura.

A parte familiar é bacana, com a visão de uma menina sobre um dos fatos mais temido da vida: a morte. Perder a mãe tão cedo certamente foi impactante, mas ela praticamente perdeu o pai também. Mudou de cidade, mudou de vida, passou a conviver com uma avó amargurada pela morte da filha e impaciente com a neta. Na escola não fez muitas amizades... E pra piorar a família acha que ela tem um amigo imaginário. Complicado! Molly é uma personagem cativante, e foi por ela que eu levei o livro adiante.

Se a autora focasse nessa questão da família, eu teria gostado. Mas essa parte do Homem Carvalho... que saco! Além de ser uma história meio estranha, eu achei extremamente perigoso um livro tratar com normalidade uma criança se relacionando com um homem, fugindo pra cuidar dele, se preocupando excessivamente com seu bem-estar... Sou dessas chatas que já se preocupam com a mensagem que o livro passa. A criança pode absorver tamanha responsabilidade? E pior: a criança pode sair sozinha pra ficar com um cara bem mais velho? Socorro, né?

Os capítulos eram MUITO curtos, alguns com uma página só, chegava a irritar. Ao invés de me querer ler "só mais um", eu pensava "ai, lá vem mais outro", principalmente quando eu via que lá vinha o tal homem.

Não rolou, infelizmente. Queria ter gostado, mas não deu. E não sei se daria uma terceira chance à autora, já foi decepção demais pro meu coraçãozinho.